14 de jan de 2009

Um vassalo chamado Lampréia

O blog do jornalista Luiz Carlos Azenha traz um pequeno histórico do vassalo-diplomata brasileiro Luiz Felipe Lampreia, ex-ministro das Relações Exteriores do governo FHC de 1995 a 2001. Segundo Azenha, o "home" deixou de lado a diplomacia para atacar duramente o atual ministro Celso Amorim. O motivo da bronca foi a viagem do representante do presidente Lula ao Oriente Médio na tentativa de contribuir para um cessar-fogo na Faixa de Gaza. Falando em vassalagem, não foi no govenro FHC que um ministro de Estado foi humilhado ao ser obrigado a tirar os sapatos na chegada a um aeroporto americano ?? Celso Lafer se não me engano. De uma coisa eu tenho certeza, nunca nos especializamos tanto no quesito lamber botas de americanos como naquele período de FHC. Veja na integra o material sobre o lambe botas Lampreia clicando aqui

A Marca da Besta: Passam de 1000 palestinos mortos, 40% são crianças

Segundo o site da Al Jazeera, mais de 1.000 palestinos foram mortos por Israel desde o inicío da ofensiva, que teve início dia 19/12 na Faixa de Gaza. Cerca de 40 por cento dessas vítimas são crianças, representando um terço dos mortos. Pelo menos 4.630 pessoas foram feridas, conforme informe de Hasanein Myawaya, chefe dos serviços de emergência palestino.

Ayman Mohyeldin, correspondente da Al Jazeera em Gaza, disse que menos palestinos foram mortos nesta quarta-feira do que durante os dias anteriores, mas a situação permanece de terror e medo. Segundo ele, para aqueles que saem em busca de alimentos, sabem que pode ser a última vez que verão novamente suas famílias.

Mais de 80.000 palestinos já fugiram das suas casas devido aos combates e há um sentimento de superlotação. Somente nas escolas da ONU há 35.000 refugiados.

Nota do PT sobra Gaza não necessita de reparo, afirma Marcon

O deputado Estadual Dionilso Marcon (PT) declarou que a posição do deputado Adão Villaverde, que entende que a nota do PT sobre o conflito em Gaza não está equilibrada nota que condena o terrorismo de Estado do governo de Israel contra o povo palestino— é equivocada. Segundo Marcon, desequilibrado e desproporcional é o massacre que o quarto maior exercito do mundo pratica há anos contra a população civil da palestina e de outros povos da região, matando mulheres,crianças e idosos indiscriminadamente, além de descumprir tratados de guerra e resoluções da ONU. Segundo Marcon, a comunidade Israelense deveria exigir do governo de Israel o cessar-fogo imediato, o fim do massacre e a retirada incondicional das tropas Israelenses dos territórios palestinos. O PT, segundo ele, sempre repudiará o terrorismo e a violência, venha de onde vier e sempre defenderá o direito a terra e a autodeterminação dos povos. O deputado lamenta que o Estado de Israel ignore e não cumpra as resoluções da ONU, a mesma instituição que garantiu o direito a terra ao povo judeu.