27 de mai de 2009

Clone de Yeda leva a pior






















Quando olhei a capa do jornal O Sul de hoje (27) disse: Bah ! deram um pau na Yeda aahaahahaha. Que nada, a mulher da imagem acima é uma das vítimas da turbulência do Avião da TAM que vinha de Miami para São Paulo. O certo é que o clone de Yeda levou a pior dessa vez (aahahahahah)

Presídios de Papel

Ontem o deputado Dionilso Marcon (PT) distribui nota afirmando que a responsabilidade pela liberação de uma quadrilha que furtava caminhões em Canoas, devido a falta de vagas nos presídios, não é de responsabilidade do juiz Paulo Augusto de Oliveira Irion, da 4ª Vara daquela cidade. Para o deputado a responsabilidade principal é do governo de Yeda (PSDB) e de aliado e antecessor, Germano Rigotto. (PMDB). Segundo o deputado tanto Yeda quanto Rigotto afundaram o sistema carcerário gaúcho ao não tirar do papel os presídios gaúchos já planejados e deixar o atual sistema sem condições. Segundo Marcon há recursos Federais disponíveis e vários prefeitos já aceitaram receber às penitenciárias, só que até agora nada foi feito. O prefeito de São Leopoldo, Ary Vannazi, por exemplo, encaminhou junto ao Estado e a administração municipal todas as providencias para receber o presídio: discutiu com a comunidade e propôs modificações no projeto. A prefeitura propôs a melhoria na segurança pública local,na infraestrutura das ruas próximas ao futuro presídio , nos hospitais (porque também receberão presos doentes), além de determinar que o presídio também fizesse a formação profissional de jovens infratores. No entanto, segundo a prefeitura, tudo está parado. Somente do governo Federal estão disponíveis R$ 44 milhões de reais que não foram utilizados porque o governo abandonou o sistema carcerário. O Rio Grande do Sul foi modelo para outros estados até 2002 no que se refere ao sistema carcerário a época do governo Olívio Dutra e nunca houve um presídio interditado pela justiça, assim como também nunca houve casos em que a polícia decretasse a prisão e a justiça determinasse a soltura por falta de vagas ou por falta de condições. No dia 12 de fevereiro a governadora chamou a imprensa para anunciar a primeira reunião de trabalho da força-tarefa instituída para a reestruturação dos presídios do Rio Grande do Sul. Pura balela, era só pra fazer mídia, pois já passados sete meses nada foi feito e o secretário estadual de Segurança Pública (SSP), Edson Goularte, prometeu que, em 90 dias, terá condições de anunciar o início das obras de um novo presídio no Estado. Ou seja, daqui 90 dias ele vai anunciar que vai começar a fazer algo que já deveria ter feito há sete meses.
O povo gaúcho é o mais politizado do Brazzzillllll hahahahahahahhaha