31 de out de 2009

Como gastar R$ 1 bilhão em 12 meses

Yeda vai ao fundo, ao fundo do bolso do trabalhador (ahahaha). Vai meter a mão nos dois fundos, que ela mesma criou com a promessa de combater o desequilíbrio da previdência no Estado. Ela quer gastar R$ 1 bilhão em 12 meses. Ela vai precisar de muita ajuda (ahahahaha) . Vai fazer como fez o famigerado Antônio Britto, que chupou os fundos das privatizações da CRT para pagar empreiteiros e suas obras fantasmas. Provavelmente Yeda vai fazer como fez Britto: abrir centenas de canteiros de obras nas estradas (acesso asfáltico para os municípios) e colocar enormes placas nas entradas . Quando acabar a eleição só ficará às placas e o dinheiro do fundo será consumido para pagar os barões da mídia e os empreiteiros amigos. Yeda vai ter que montar uma equipe "experiente" para gastar essa dinheirama toda (ahahahah). Bem ! pelo menos o discursos do déficit zero já foi pro brejo, viu que ninguém deu bola pra tanta bobajada e colocou o discurso no lixo.

30 de out de 2009

A crítica de Paulo Henrique Amorim à imprensa

A BM e os barões da mídia no mundo da fantasia


Já é comum ligar para o 190 (aquele que no governo Olívio só atendia em 15 segundos) e ninguém atender ou atender mas uma viatura demorar de três a quatro horas para chegar após o chamado de uma acorrência de assalto ou homicídio. Se for em áreas conflagradas pelo tráfico a policia só chega no outro dia já com o DML para levar os corpos. Pequenos furtos, roubos de veículos e atividades suspeitas, esqueça, isso só em filme da S.W.A.T.

Falo isso porque o comandante-geral da Brigada Militar (BM), coronel João Carlos Trindade voltou maravilhado de Israel, e deseja fazer "negócia" e comprar aeronaves não tripuladas capaz de gravar e transmitir imagens a três quilômetros de altitude. Trindade disse que a BM vai testar essa aeronave na Operação Golfinho (Parece que estou vendo a capa de Zé H com Yeda e o comandante da BM ao lado do avião e a seguinte manchete: Tecnologia Israelense na Operação Golfinho)

O coronel, preocupado com a Copa do Mundo no Brasil, em 2014, e o risco do Brasil se tornar alvo de atentados (ahahahahahahah) quer fazer mais "negócia" e comprar o fuzil Tavor pela bagatela de U$6,5 mil por peça,(preço apontado em sites especializados de armamento). Trindade gostou tanto do briquedinho que pretende comprar 80 deles. A arma é produzida aqui no Brasil pela Taurus, e já teria destino certo: pelotões e batalhões de operações especiais da corporação. Segundo ele, a arma é ideal para combater quadrilhas de assalto a banco (daqui 6 meses vai ter uma duzia dessas nas mãos dos assaltantes)

O certo é que mesmo que o governo Yeda compre poderosas armas ao custo de (R$ 880 mil reais) e aviões não tripulados (ela tem fascínio por aviões né ?) os brigadianos continuam a fazer bicos, ganhando mal, morando mal e sendo uma das polícias mais mal pagas do país, só perdendo para o estado do Piauí. Enquanto o comando da BM brinca de Forte-Apache e os barões da mídia trasmitindo e imprimindo o mundo da fantasia. Brincar de segurança pública não faz muita diferença num Estado onde as chamadas "forças vivas" e põe vivas nisso mostram um Estado que cresce como o rabo do cavalo, para baixo.

29 de out de 2009

Operação tapa-buracos de Yeda


Pequenos agricultores do município de Ajuricaba-RS cansaram de esperar pelo famoso défict zero de Yeda e de suas ações midiáticas. Como eles precisam de estradas verdadeiras e reais para escoar a produção da próxima safra, meteram as mãos calejadas nas enxadas e pás e passaram o final de semama passado fazendo o que o governo Yeda não fez nesses três anos, trabalhar.
Os barões da mídia vendem o Estado maravilhoso de Yeda e de seu déficit zero. Das suas rotativas saem noticias boas e maravilhosas todos os dias sobre o governo tucano. Lá do alto da bufunfa de R$ 150 milhões de reais que Yeda gastou em mídia em 2008, eles apreciam o desmantelamento do RS sem culpa, afinal o Estado é grande e para todos (ahahahahaha). Com esse dinheiro, o Estado poderia, por exemplo, fazer 150 quilômetros de asfalto, suficente para asfaltar a estrada acima.
Vamos conferir no ano que vem quantos votos fará a governadora ou seus aliados em 2010 nessa cidade.

Estradas da morte do défict zero

O RS cresce como rabo de cavalo, para baixo. Nossas estradas passaram do terceiro para o 12º lugar no ranking das melhores estradas, perdendo até mesmo para o Piauí. Isso é o que demonstra a Pesquisa Rodoviária 2009 da Confederação Nacional do Transporte (CNT). Apenas 9,% dos trechos inspecionados no Rio Grande do Sul são classificados como ótimos e 61,6% apresentam condição de regular a péssima. A falta de uma malha ferroviária, o lobby das montadoras de veículos automotores (automóveis, ônibus e caminhões) transforma nossas estradas em verdadeiras roletas russas que jogam com a vida de famílias. Um país continental como o nosso não pode depender de estradas para transportar cargas ou pessoas. A quantidade de mortos anualmente, vítimas de acidentes, equivale a uma guerra. A mesma situação vale para nossas cidades que possuem transporte coletivo precário e ruas em péssimo estado de conservação.

28 de out de 2009

Anistia denúncia discriminação hídrica por Israel na Cisjordânia


O relatório divulgado pela Anistia Internacional sobre a discriminação na distribuição de água na Cisjordânia denuncia a exploração por Israel de recursos naturais e a política discriminatória (na distribuição) de água nos territórios ocupados palestinos.

A Anistia Internacional denunciou em seu dossiê que Israel nega aos palestinos o direito ao acesso livre e adequado à água potável, ao controlar os recursos compartilhados, situação que a organização considera uma política de discriminação.

"Israel só permite aos palestinos o acesso a uma parte dos recursos hídricos compartilhados, que estão na maior parte na Cisjordânia ocupada, enquanto os assentamentos israelenses ilegais recebem praticamente abastecimento ilimitado", segundo Donatela Rovera, investigadora da Anistia.

Mais de 80% da água procedente do aquífero subterrâneo é compartilhado com a ANP para fornecer aos colonos judeus em território ocupado, enquanto os palestinos recebem da mesma fonte 20% dos recursos.

26 de out de 2009

Pesar


É com muito pesar que lamentamos a morte da estudante Aline Jahn, 17 anos, e sua família, que estavam se dirigindo à Câmara de Vereadores de Novo Barreiro, para uma homenagem a jovem Aline como rainha da Feimate. Um choque envolvendo vários veículos provocou a morte de Aline, de seus pais, Aloísio Jahn, 56 anos, de Jurena Jahn, 52 anos, e de um sobrinho, Henrique, de cinco anos. Neste momento de profunda dor e tristeza apenas queremos dar nossa solidariedade para a Lisisane, mãe do Henrique e nossa amiga. Estaremos ai para te ajudar.

Base de Yeda tenta flexibilizar legislação ambiental do RS

O deputado Dionilso Marcon (PT), membro titular da Comissão de Agricultura Pecuária e Cooperativismo da Assembleia Legislativa, alerta que o PL 154/2009 dispõe sobre o Código Estadual do Meio Ambiente do Estado, protocolado pela base do governo Yeda, não representa o pensamento dos deputados da Comissão. Segundo o deputado, o presidente da Comissão, Edson Brum, simplesmente coletou nove assinaturas, exceto do PT e PSB e protocolou o projeto, sem uma discussão profunda com a sociedade.

A proposta, segundo o petista, tenta flexibilizar toda a legislação ambiental do Estado do RS e se coloca em desacordo com a legislação federal, em especial no que diz respeito ao Código florestal, garantindo igualdade entre a agricultura familiar e a agricultura empresarial. No atual Código Florestal Brasileiro a agricultura familiar tem tratamento diferenciado.

Marcon informa ainda que o projeto está tramitando rapidamente, e se aprovado, revogará o Código Estadual do Meio Ambiente, Código Florestal do Estado do RS, Organização do Sistema Estadual de Proteção Ambiental, Preservação do Solo Agrícola, Lei do Regramento de Corte de Capoeira que alterou o Código Florestal do RS, Lei que Instituiu o Sistema Estadual de Recursos Hídricos e a Lei que Dispõe sobre a Gestão dos Resíduos Sólidos. "O PL, na forma que está, fará regredir a política ambiental do Estado, presente nessas sete leis estaduais em vigor", destaca Marcon.

O circo de Yeda

A cidade de Porto Alegre recebe anualmente uma série de circos, no entanto, o governo Yeda simplesmente criou o seu. Tudo bem que já estamos acostumados, mas dessa vez ela passou a utilizar uma via pública da Capital, em frente ao Piratini. O local está bloqueado há mais de seis meses, com o silêncio e a omissão da prefeitura de Fogaça.
A via, inicialmente foi fechada pela Brigada Militar e ponto final. Após isso, paulatinamente, foi instalada uma tenda plástica, e agora, temos uma espécie de tenda maior de alvenaria com teto de sapê. Festas, comemorações, e até empresas públicas são obrigadas a aportar atividades para preencher aquele espaço. Na realidade, o fechamento "forçado" serve pra contrapor a enorme quantidade de protestos e de manifestações contra o governo tucano. Como se não bastasse toda a parafernália, uma barraca Yanes foi montada atrás da oca, tendo a foto da governadora ao fundo, onde a base tucana se reveza diariamente. A via dá, ou dava, acesso aos veículos ao Palácio Farroupilha (Assembleia).

Buracos e lagoas


É impressionante a buraqueira das ruas de Porto Alegre e também nas estradas gaúchas. Na Capital é comum ter que desviar de buracos ou de tampos de redes de esgoto, que até parecem crateras lunares, mas como a mudança não pode parar (ahahaha) paciência.

No interior, as estradas, além da falta de de sinalização nas pistas (mas com muitos pardais), e da quantidade enorme de buracos, também apresenta verdadeiras lagoas nos dias de chuva: são pistas desniveladas e com o asfalto afundado. Motoristas de carros de passeio sofrem ao dirigir, pois em determinados momentos têm seus carros cobertos por cachoeiras de água, jogadas por caminhões ou ônibus, quando esses passam essas lagoas rodoviárias. Não vamos nem falar da qualidade do asfalto, nem da qualidade dos serviços das estradas pedagiadas. Uma vergonha

24 de out de 2009

Latifúndio na terra e no ar

Se dependesse apenas de nossas elites, duas coisas nunca seriam feitas nesse país: a reforma agrária no campo e dos meios de comunicação. Mais de 75% das terras brasileiras estão nas mãos de apenas 800 mil proprietarios rurais, enquanto que os outros 4 milhões de estabelecimentos se concetram em apenas 25% dessas terras. O mais engraçado nisso é que 70% de tudo que está na mesa do trabalhador brasileiro tem origem nos 25% e não dos 75%, conforme comprovou o Censo da Agricultura Familiar.
Apesar da concentração absurda da terra, o latifúndio, agora, se uniu às grandes empresas transnacionais para abocanhar terras, águas e fontes energéticas, dando sustenção aos lucros de suas empresas ou da elite atrasada do campo. Enquanto isso os Barões da Mídia e o latifúndio não param de atacam o MST. O latifúndio além de não pagar suas dívidas agrícolas de seus financiamentos, impede que se atualize índices de produtividade do campo. Também grilam terras públicas, desmatam florestas para implantar o agronegócio e ocupam terras produtivas com produção de monoculturas de eucaliptos, cana-de-acuçar e soja para exportação e ainda apresentama agricultores sem-terra como criminosos via os barões da mídia.
Também se faz necessário a reforma agrária dos meios de comunicação do Brasil. Aqui, os barões da mídia, além de possuírem posição de partido político, com seus interesses e contradições, também agregam a concentração desses meios: rádios, jornais, TVs, Internet, e em vários Estados (PRBS), e ainda por cima fazem uma guerra implacável contra pequenas rádios comunitárias do interior do Estado. A saber: o governo Yeda, somente no ano de 2008, "investiu" mais de R$ 150 milhões de reais nesses barões para melhorar sua imagem. Esse dinheiro seria suficiente,por exemplo,para construir R$ 100 mil casas populares ou quem sabe, comprar mais de 26 mil hectares de terra na região de São Gabriel para fins de reforma agrária.
Me desculpem, mas não conheço nenhum agricultor que tenha comprado uma área do tamanho de Caxias do Sul apenas trabalhando. Aliás porque será que os latifundiários não gostam do Censo da Agricultura Familiar e nem de comparar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da região serrana gaúcha com a região da fronteira, pra ver os benefícios da reforma agrária. Na serra há milhares de pequenos agricultores que em espaços de apenas 25 hectares produzem mais do que latifundiários da fronteira pobre e miserável de nosso Rio Grande.
Quem não enxerga isso e ainda dá discurso de elite, mas tem bolso de classe média baixa, deveria trabalhar na fronteira durantes seis meses apenas (será que tem emprego ?). Tenho certeza que a opinião sobre o que digo mudaria radicalmente.

23 de out de 2009

PIG perde espaço

Parada Livre 2009

Torre de Petróleo em Porto Alegre

Ontem (22), foi reinaugarada e reinstalada em Porto Alegre, a "Torre de Petróleo", localizada na Praça da Alfândega, inicialmente inaugurada em 1963, pelo movimento estudantil da Capital. Naquele tempo nossas elites, associadas aos especialistas americanos afirmavam que "não havia petróleo no Brasil" (pelo visto não mudaram muito em cinco décadas ahahahha).
O ato foi promovido pelo Comitê Gaúcho em Defesa do Pré-Sal e contou com a participação de entidades sindicais, políticas e estudantis. Segundo o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ivar Pavanesta é uma campanha que resgata a luta do povo brasileiro nos anos 50 pela nacionalização das riquezas naturais do País", destaca.
A torre também foi um símbolo de resistência contra a ditadura e ponto de encontro dos movimentos estudantis na década de 60 (Uma espécie de Esquina Democrática). Os militares sabendo dessas simbologia retiraram a torre na década 70 e a colocaram num depósito. Com a redemocratização, e no governo Alceu Collares na prefeitura, a torre foi recolocada.
Recentemente, na gestão Fogaça, novamente foi retirada a pedido do Projeto Monumenta, por estar sobre um sítio arqueológico. Infelizmente a torre não foiu devolvida ao seu lugar de origem e nem a outro qualquer, e foi abandonada no parque saint'hilaire , em Viamão. Petroleiros, estudantes, sindicalistas e parlamentares se mobilizaram e exigiram que o monumento fosse reposto. O Ato também demarcou os 55 anos do inicio das operações da Petrobras e a nova luta em defesa do monopólio estatal da extração do petróleo e do pré-sal.

22 de out de 2009

Nunca antes na história do Brasil


A energia elétrica está para nossa nós, assim como o fogo estava para os homens que viviam nas cavernas. Imaginem para quem está acostumado a chegar em casa e não poder ligar uma simples lâmpada, uma geladeira, uma TV, um rádio. Pois essa realidade ainda estava distante de milhões de trabalhadores nas áreas rurais de nosso imenso Brasil. O vídeo abaixo é do Programa Luz para Todos do governo Lula. Esse é o maior programa de inclusão elétrica que o Brasil já fez e tem a meta de fazer chegar energia elétrica para mais de 10 milhões de pessoas.

O material foi rodado no municipio de Erval Grande, perto de Erechim, no noroeste gaúcho. O vídeo tem 7 minutos e conta a história da família de Itacir Ramon, que em pleno século XXI dependia de velas e lampiões para iluminar sua residência. Não vamos nem falar da geladeira e de outras coisas cotidianas que usamos na cidade grande, como o simples ato de conservar um alimento ou um medicamento. Este era o caso da agricultora Maria de Lourdes Pinheiro de Oliveira, 59 anos, da localidade de Cerro da Gaudência, em Piratini. Ela recorria a um método pré-histórico de refrigeração para manter os medicamentos do tratamento do diabetes, transformando uma cacimba em geladeira. Ontem, ao ouvir o discurso de Lula, avisando a oposição de que vai inaugurar muitas obras, lembrei desse programa, que somente no Rio Grande do Sul já tirou da escuridão 2,2 milhões de gaúchos. São nesses mega-projetos de inclusão social que residem o grande pavor da direitona Brasileira e de seus aliados.

Yeda faz autovitimação midiática

O deputado Raul Pont, entende que o discurso da desgovernadora Yeda, ontem (21), tem o objetivo de promover sua autovitimação para sensibilizar a opinião pública. Segundo ele, há inúmeras evidências que mostram que, no mínimo, a governadora se omitiu em relação ao esquema montado no Detran,. Outro fato que chama a atenção são as inúmeras versões apresentadas para a compra da Casa.
Já o deputado Dionilso Marcon (PT) lamentou que a base do governo Yeda (PMDB,PSDB,PP,PTB,PPS) tenha rejeitado o pedido de impeachment da governadora Yeda Crusius, apresentado pelo Fórum dos Servidores. Para Marcon, o verdadeiro impeachment da governadora e dos deputados que votaram pelo engavetamento do processo virá das urnas, em outubro de 2010.
Essa nova fase de yeda nada mais é do que um belo esquema de markenting pensado pela nova agência paulista de imagem, contratada por Yeda recentemente. Vocês acreditam que ela viaja pra São Paulo e some porque foi convidada para alguma agenda com Serra ? Foi lá decorar o texto (ahahah)

21 de out de 2009

O destino da Policia Federal no governo tucano

Hoje, pelo noticiário nacional, já deu pra ver qual será o destino da Policia Federal caso o PSDB de Serra ganhe as eleições: desaparelhamento, sufocamento financeiro, e estreitamento da atuação, provavelmente limitado ao combate ao tráfico de armas e de drogas (peixes pequenos é claro)na fronteira e olhe lá (ahahahaha). Esse negócio de combate à corrupção terá um fim rápido,afinal, segundo a progenitora maior de nsso estado, o Ministro da Justiça deixou que a PF tomasse red bull. Delegados de ponta e seus agentes serão colocados na geladeira ou mandados para alguma missão impossível. Quem não lembra dos frangalhos da Policia Federal na era FHC, que não tinham nem gasolina para fazer roda as viaturas em 2001.
Leiam um trecho da matéria que
coletei do dia 28 de fevereiro de 2002
No Pará, no Ceará e no Rio Grande do Sul, os policiais usam seus próprios carros e assinam cheques pré-datados para pagar despesas com hotéis e alimentação em viagens de serviço. As diárias também não são pagas desde julho.
A PF acumula dívidas de R$ 51 milhões para pagar credores de toda espécie, desde fornecedores de comida para presos a combustível para as viaturas. Já há ameaças de despejo dos imóveis alugados para abrigar as superintendências regionais. Na capital federal é a mesma coisa. No final do ano passado, o delegado Hélbio Dias Leite teve que cobrir um déficit mensal de R$ 1.500 com alimentação e hospedagem para concluir a apuração de fraudes na extinta Sudam.
“Às vezes tiramos dinheiro do próprio bolso para pagar hotel e usamos nossos celulares quando os telefones são cortados por falta de pagamento”, testemunha um dos chefes da Superintendência em Brasília, onde quatro linhas telefônicas foram cortadas por atraso de até seis meses no pagamento. De certa forma, pode-se dizer que o primeiro passo para acabar com a impunidade no país é pagar a conta de telefone – e também a de luz, a de água e a gasolina, no caso da superintendência do Pará. A dívida já chega a R$ 400 mil, segundo o superintendente em exercício, José Ferreira Sales. “Os números mostram a gravidade da situação, que leva à inoperância da Polícia Judiciária Federal.
Isto inibe a repressão ao crime e gera na sociedade a incomoda sensação de impunidade”, protesta o juiz federal substituto da Terceira Vara do Pará, Herculano Martins Nacif. Ele encaminhou ofício esta semana ao presidente Fernando Henrique e ao ministro da Justiça, Aloysio Nunes Ferreira, denunciando a precária situação da Polícia Federal no estado. A pindaíba já levou a própria direção da PF à porta do ministro Aloysio Nunes. Indignado com a pressão dos credores, o delegado Itanor Carneiro (que substituiu Agílio Monteiro na direção geral) encaminhou três ofícios desde o início do ano ao ministro da Justiça, clamando por recursos.
Neles, listou o tamanho e a evolução das dívidas penduradas em cada superintendência e em organismos especializados, como a Interpol. Carneiro não quis dar entrevista sobre o assunto. A chefe da Divisão de Comunicação Social da PF, Viviane da Rosa, assumiu o papel de porta-voz da crise. “São dívidas que passam de um ano para o outro, o que não é uma situação exclusiva da Polícia Federal”, disse ela, relativizando o problema. Mas reconheceu: “R$ 51 milhões de dívidas, porém, é um valor muito alto”.
Na última quarta-feira, o Tesouro Nacional anunciou que serão liberados R$ 11 milhões para atender algumas das necessidades mais urgentes, como pagar aluguéis de imóveis.
SERÁ QUE MINHA TESE ESTÁ ERRADA ??
fonte: http://www.grupos.com.br/grupos/policia-br

Barões da mídia garantem sustentação à progenitora

É muitaaaaaa cara-de-pau desses vermes que querem vender a nova, nova, nova,nova,nova,nova,nova,nova,nova,imagem de yeda. O selamento do apoio ao desgoverno Yeda veio ontem (20) no 20º Congresso Guasca de Rádio e TV, que se deu na Serra Gaúcha e que ocorreu horas após o vergonhoso arquivamento do processo de impeachment . Lá, Yeda foi recepcionada com honras e glórias pelo barões. Eles estão estão dispostos a garantir o jogo da mídia de transformar os vermes em saborosos manjares em 2010.

Veja como votou seu deputado no engavetamento do processo de impeachment de Yeda na Assembleia


Veja como votou seu deputado no processo engavetamento do processo de impeachment de Yeda na Assembleia Legislativa. Guardem para o ano que vem. Notem que o PDT teve duas dissidências Giovani Cherini e Kalil Sehbe, pró Yeda é claro.

20 de out de 2009

o EsTaDo mais politisado do Brazil

Há muito tempo formei minha convicção de que nada pior do que Britto seria criado pelo PRBS, e não é que eles inventaram uma versão piorada daquele verme. Por 30 votos a 17, o processo de impeachment da governadora proposto pelo Fórum dos Servidores Públicos foi sepultado sem nenhuma análise .Os votos dos deputados do PMDB, PTB, PP e PPS fora decisivos, já que PSDB teria que defender seu governo. A grande verdade é que o PMDB guasca não está para brincadeira quando o assunto é investigar a origem do esquema, que segundo a Policia Federal, teria origem no governo Rigotto e "redefinido seu papel arrecadador" a partir da eleição da progenitora maior. O parlamento gaúcho deixa uma mácula na sua história que será analisada pelas futuras gerações. Me sinto envergonhado. NUNCA MAIS ABRAM A BOCA PARA DIZER QUE O POVO GAÚCHO É O MAIS POLITIZADO DO BRASIL, ISSO NÃO É VERDADE E FOI COMPROVADO HOJE.

O Rio Grande Vs. Base de Yeda


Amanhã será dia de guardar os jornais guascas para memorizar o nome dos deputados que votaram pelo enterramento do processo de impeachment contra Yeda. A tese vendida pela base da desgovernadora, comprada pelos barões da mídia, de que ela foi inocentada no STF é uma grande balela. Os magistrados não fizeram análise das provas contra Yeda, apenas aceitaram o recurso do advogado de Yeda que argumentou que a governadora não poderia ser julgada por improbidade naquela esfera jurídica. Ou seja, não houve debate sobre o mérito, mas sobre a forma de como a ação estava sendo encaminhada.

No processo de encaminhamento de votação cada partido terá 1 hora para fazer o debate e o PT defenderá que a Assembleia cumpra o seu papel de investigar o que até o minerais já sabem sobre o tema. A Sessão Plenária promete ser quente e com certeza os deputados que votarem a favor do parecer da relatora do processo, a companheira de partido de Yeda, Zilá Breitemback (PSDB), terão que dar muitas explicações para suas bases, e 2010 é logo ali.

Ministério Público Eleitoral cassa seis vereadores do PSDB de São Paulo

Pedido pelo Ministério Público Eleitoral, 13 vereadores da Câmara de São Paulo foram cassados pela Justiça Eleitoral por recebimento de doações ilegais na campanha de 2008. Desses, seis são do PSDB e ambos da base de apoio do prefeito Gilberto Kassab (DEM). Segundo a Justiça Eleitoral, a Associação Imobiliária Brasileira (AIB), serviu de fachada para o Secovi-SP (sindicato do setor imobiliário) para fazer doações a políticos.
Imaginem se esses seis vereadores fossem do PT. A essa hora a mídia guasca já estaria estorando foguete . Colunistas se revesariam na árdua tarefa de entrevistar a tucanagem nacional com direito a infográficos (ahahhaa0 . Ana, la Vieja, que está prestes a se filiar no PP (achei que já era filiada há 40 anos ahahaha.) se desdobraria nas entrevistas junto com nossa abelha rainha no seu programa matinal de rádio e a tarde o sumido Laser choque Martins chamria algum jurista da Casa para fazer o debate do escândalo.

19 de out de 2009

Presidência da CPI luta contra base de Yeda

Missão duríssima é a da presidenta da CPI da Corrupção, Stela Farias (PT). A tropa de choque de Yeda no Parlamento guasca não deixa passar nenhum requerimento que possar vir a ameaçar o "bom andamento" da CPI (ahahahahha).
Basta algum deputado de oposição requerer a vinda de alguém ligado aos supostos esquemas de desvios de recursos do Estado, para que os deputados da "base" rejeitem tudo imediatamente. Qualquer pessoa que acompanhar uma sessão da CPI reconhece que os deputados da base de Yeda entraram para a Comissão Parlamentar como objetivo de anular qualquer possibilidade de oitivas de "personas" comprometedoras. Chama a atenção nessa história a cabeluda conversa capitada pela Policia Federal entre o atual chefe da Casa Civil, Otomar Viviam (PP), e Antônio Dorneu Maciel, réu na operção Rodin e Solidária.
Pelo que deu pra entender, Viviam sabia de parte ou de todo o esquema, e num diálogo cheio de códigos, Maciel comenta com ele a conversa com o deputado Marco Peixoto, que atribui ser muito boa. Maciel disse que tem liberdade com "Marquinho" pra dizer o que pensa e que o deputado quer "entrar no seu coração grande" (????????), que pediu para não ser esquecido. Maciel disse que isto dependia dele (Peixoto) fazer as "coisas direito" e "deixar de ser criança".
O ex-diretor da CEEE perguntou se ele (Vivian) sabia o que Peixoto queria. Tratado por Vivian como "irmão", falou que eles precisam do "guri", mas que ele (o guri) não queria nem ouvir falar do "negócio". O guri seria o ex-presidente do PP, Jerônimo Goergen. O certo é que o material gravado abre uma nova fase na CPI da Corrução e aponta para uma fraude dez vezes maior do que ao desviado do Detran.
A sacanagem com o dinheiro público não tem mais fim, e pode chegar a R$ 400 milhões de reais

Cúpula do PSB prestigia Yeda e PSDB

Maldosamente chamado de Partido Só do Beto (PSB), a cúpula do Partido Socialista Brasileiro (PSB) foi fazer graça pro diabo rir, puxando o saco da desgovernadora Yeda, na convenção do PSDB gaúcho(18). O presidente do PSB estadual, Caleb de Oliveira, foi lá prestigiar um dos piores governos que este Estado já teve (não estou nem falando do ponto de vista administrativo). O PSB, por sua vez tenta articular uma chapa própria para o governo do Estado, denominada de bloquinho, liderada pelo deputado federal Beto Albuque, isolando o seu aliado histórico, o PT. Beto tenta se firmar como uma terceira via para o governo do Estado nas eleições de 2010. Hoje (19), em Zé H, a coluna de nossa abelha rainha nos informa que o deputado Beto Albuquerque (PSB) faz movimentos "diversificados". No sábado, após uma agenda lotada, Beto sentiu dores musculares na região do pescoço durante uma plenária estadual do partido em Riozinho. Não seria um problema de coluna ?

18 de out de 2009

Yeda:SONHEI COM O GOLPE

Yeda sonhou no dia anterior da viagem aos Estados Unidos que um golpe estava sendo preparado para tirá-la do cargo. "Os anjos me iluminam. Me disseram para eu não ir viajar que preparava-se um golpe" DOIDAAAAAAAAA

17 de out de 2009

Déficit zero

A gauchada politizada (ahahaha) já pode escolher o escândalo que deseja acompanhar envolvendo o dinheiro público guapo e figuras públicas guascas, que até bem pouco tempo ilustravam com toda a pompa os jornais dos barões da mídia mampitubiana.
O mais novo escândalo investigado pela Policia Federal diz respeito ao Programa Nacional de Inclusão de Jovens (Projovem) em Porto Alegre. De um total de R$ 11 milhões que a prefeitura recebeu do governo federal, cerca de R$ 10 milhões foram repassados a Fundae, contratada sem licitação. A Fundae, por sua vez, contratou a Pensant Consultoria. No caso do Projovem a Polícia Federal já confirmou o indiciamento de nove pessoas (cujos nomes ainda não foram divulgados) por envolvimento em irregularidades no contrato de execução do Programa. O vereador Mauro Zacher (PDT), que foi o ex-secretário da Juventude na prefeitura da capital e coordenador do Projovem em Porto Alegre afirmou estar "tranquilo" em entrevista concedida à rádio gaúcha (17). Segundo ele, as contas foram todas aprovadas pela procuradoria do município. Com a palavra o prefeito Fogaça e a procuradoria do município.
No Piratini nossa desgovernadora Yeda está virada numa máquina, uma máquina de fazer escândalos (ahahaha), e sua sanha ficará marcada para sempre na história do RS. Para melhorar (ahahah) sua imagem e de seu desgoverno, Yeda autorizou gastos em publicidade de mais de R$ 168 milhões no ano de 2008, extrapolando os limites legais. Desse total, somente as empresas públicas responderam por 67,35% (R$ 113,387 milhões). Ou seja, o governo do PSDB queimou R$ 13,8 milhões a cada mês em publicidade. Esse dinheiro seria suficiente, por exemplo, para construir 866 casas populares /mês, se considerarmos que o valor médio de uma residência é de R$ 15 mil reais.
No meio dessa dinheirama gasta em publicidade existe um pequena coincidência: um seleto grupo de blogs, de propriedade intelectual de jornalistas guascas, fieis defensores do governo Yeda, estão recebendo patrocínio do governo através do Banrisul. Gostaria de saber de quanto é esse patrocínio ? Qual é o efetivo retorno financeiro ao banco dessa mídia ? Outros bancos concorrentes também fazem o mesmo ? Aliás, alguns desses blogueiros enviam ilegalmente seus boletins eletrônicos para endereços eletrônicos que nunca se cadastraram (no caso o meu) e mesmo após vários pedidos de descadastramento o material continua a ser enviado. O Banrisul concorda com essa estratégia agressiva de propaganda ?
A direção do Banrisul , além de ter emprestado dinheiro além da conta e sem aval técnico para um pequeno grupo de fumageiras - coincidentemente as mesmas que em 2006 se empenharam em ajudar financeiramente nas campanhas eleitorias de Yeda -, também engordam mensalmente as contas dos barões da mídia guasca (Quanto mais fraco é um governo mais eles ganham). Note que diariamente, ao sintonizarmos nossas emissoras de rádios ou de TVs preferidas, somos brindados com centenas de spots do "Banco do Gaúchos", cujo o objetivo principal seria reduzir tarifas e juros aos trabalhadores deixam muito a desejar se comparada com outros bancos públicos. Gostaria de saber se o Banrisul praticou a redução dos seus juros tais como outros bancos públicos fizeram ? Na condição de correntista do Banrisul e também de outro banco público, posso afirmar que o pequeno cliente obteve pouca ou quase nenhuma vantagem do Banrisul na redução de tarifas ou ofertas de crédito mais barato.
E por falar em alimentar a mídia, outro agente público que bomba bufunfa na mídia é a Agergs. Essa agência reguladora extrapola no gasto do dinheiro público em mídia, e em ações fora do foco das suas atribuições. Quem presta a atenção no objeto principal das peças publicitárias veiculadas por essa agência reguladora estranha o leque de assuntos.
Enfim, além dos escândalos, ainda temos que financiar a propaganda desse belo desgoverno e encher os bolsos dos barões da mídia. Realmente tem um governo do déficit zero, zero de caráter e de moral.

16 de out de 2009

Camponesas do RS comemoram 20 anos de Luta, Conquistas e Resistência


A atuação das mulheres do campo nas lutas populares se dá a partir dos anos 80, por ocasião da luta pelos direitos de reconhecimento da profissão de trabalhadora rural e conseqüentemente pela documentação e direitos previdenciários. Neste período há toda uma discussão a cerca da Constituição Federal de 1988, com muito trabalho de base, articulação, caravanas para Brasília e coleta de assinaturas para abaixo-assinados. O ano de 1989 é o marco simbólico na organização de um movimento autônomo de mulheres do campo, denominado inicialmente como Movimento de Mulheres Trabalhadoras Rurais do Rio Grande do Sul.

A data para a comemoração destes 20 anos será dias 17 e 18 de outubro de 2009, no Parque Municipal de Exposições Telmo José Schardong, em Palmeira das Missões.Durante os dias as camponesas farão estudo sobre a conjuntura atual e os desafios para a agricultura camponesa e as mulheres. Comemorarão sua história num show com cantores populares e farão uma feira, onde levarão produtos da agricultura camponesa para venda, troca e mostra. Para maiores informações acesse: http://www.mmcbrasil.com.br/

Burguesia guasca toma conta da orla de Porto Alegre e de Eldorado do Sul


A burguesia guasca aos poucos começa a tomar conta da orla pública do guaíba, aos moldes do que já ocorre no litoral do nordeste (quem já foi lá sabe do que estou falando), só que agora é do outro lado do rio. Como se não bastasse a tentativa de erguer espigões residênciais no Pontal do Estaleiro, na Zona Sul de Porto Alegre, agora, a especulação imobiliára ataca na vizinha Eldorado do Sul, hávida por "desenvolvimento". O projeto chama-se o Ponta da Figueira Marina e terá apenas 305 lotes de, no mínimo, 600 metros quadrados, com valores a partir de R$ 290 mil.
Segundo o próprio anúncio a infraestrutura indoor contará com brinquedoteca, salão de jogos, lounge com bar, restaurante, sauna seca e úmida, spa, piscina coberta com raia semi olímpica, boate, salão de festas, fitness, área de ginástica, estética, office e loja de conveniência. Na área outdoor terá quadras de tênis cobertas e aberta, padle, cancha de futebol e poliesportiva, pista de skate, bocha, quiosques para churrasco e salão de festas infantil. Playgrounds para crianças estarão espalhados pelas praças do empreendimento (poderiam começar a falar inglês no tal empreedimento)
Do outro lado da BR-290, centenas de moradores estão sendo enxotados para longe porque ocupam há 30 anos o local que o Ministério Público Estadual (sempre eles) entende que lá está o Parque Estadual Delta do Jacuí . No entanto, nesse mesmo lado, estão dezenas de mansões com marinas, e lá, para o MPE, está tudo certo.

15 de out de 2009

Os mistérios da Alliance One e seus amigos


Os deputados Paulo Azeredo (PDT) e Daniel Bordignon (PT) denunciaram ontem (14) na CPI da corrupção que a fumageira Alliance One, empresa teria doado R$ 200 mil à campanha da governadora Yeda Crusius em 2006, recebeu um empréstimo irregular do Banrisul em abril deste ano.Os deputados apresentaram cópia de um documento reservado do banco em que a empresa teria como limite de crédito apenas R$ 25 milhões. A direção do Banrisul, porém, concedeu empréstimos no valor total de R$ 50,9 milhões, e segundo os deputados, as operações não receberam o aval da área técnica do Banrisul. Os deputados também estranharam o fato de que a Alliance One e a CTA-Continental Tobbacos foram as fumageiras que mais compensaram créditos de ICMS entre 2006 e 2008. Pelo visto a Alliance One tem bons amigos na Direção do Banrisul e na Secretaria da Fazenda

A Alliance One e a CTA teriam doado, cada uma, R$ 200 mil à campanha de Yeda após a eleição e uma semana antes da compra da casa da governadora. Os R$ 400 mil teriam sido recolhidos pelo ex-marido da governadora, Carlos Crusius, e usados na compra da Casa. Para quem não lembra, o empresário gaúcho Nestor Mähler, 56 anos, executivo da Alliance One foi encontrado morto no mês setembro na cidade de Itumbiara, em Goiás. Segundo um funcionário do hotel Beira Rio onde estava hospedado, ele foi encontrado na sacada do primeiro andar do hotel e teria "caído" do oitavo andar. A morte é cercada de mistério e segundo o delegado , a vítima teria sofrido um "escorregão" .

Ah! Lair Ferst alertou a víuva de Marcelo Cavalcante, quando da visita dela ao Rio Grande do Sul, de que o pessoal do Planalto Central, ao contrário do pessoal guasca, é profissional. Entendam como quiser. Esse aviso foi antes da morte de Nestor.

Exclusão não julgou o mérito

Os barões da mídia cantaram em prosa e verso a exclusão de Yeda da ação de improbidade administrativa movida pelo Ministério Público Federal. No entanto, a a governadora não foi inocentada pelo TRF. A decisão apenas decidiu que ela não pode ser julgada por crime de improbidade, mas só por crime de responsabilidade.

Vamos deixar claro uma coisa : Não houve avaliação de mérito, apenas o pleno do TRF entendeu que governador não pode ser processado por improbidade administrativa (atos praticados por qualquer agente público no exercício do cargo, mandato ou função, que resultem em enriquecimento ilícito ou lesão ao Erário). Ou seja, Yeda só pode ser julgada por crime de responsabilidade (impeachment) na Assembleia Legislativa ou ser alvo de processo criminal no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Portanto, se depender da base de Yeda na Assembleia (PMDB, PP) isso nunca acontecerá.

14 de out de 2009

Matar é derrotar o crime ?

Fiquei impressionado com a linha editorial e a visão grosseira de segurança pública da editoria de polícia de Zé H, em especial da página 42 de hoje (14). O título abre com "Derrota contra o crime" e o subtítulo acachapa com um "Quatro bandidos mortos em 5h". Pelo que entendi do conceito de combate à criminalidade de Zé H, podemos compará-la a um jogo de futebol, com dois times (policia vs criminosos), ambos armados de facas e pistolas. Quem matar mais ganha o jogo. Se esse conceito fosse verdade a família do taxista Irajá Gonçalves Guimarães Júnior, 42 anos, morto em assalto dentro de seu carro, não estaria chorando neste momento, assim como mais quatro de seus colegas que foram assassinados em 2009.

O que falta para o Rio Grande do Sul é uma política de Segurança Pública verdadeira, com inteligência policial, valorização dos servidores, unificação das polícias e combate à corrupção. Não adianta colocar fotos de brigadianos na capa de Zé H tentando mostrar que Yeda está fazendo segurança pública. Nos últimos 3 anos o déficit Zero sucateou o que havia dos equipametnos de segurança, os salários dos servidores da segurança são os mais baixos do Brasil e a cada anao se aposentam mais de 1000 policias.

13 de out de 2009

Yeda vai às compras, por Santiago


Nita Freire repudia fechamento das escolas itinerantes no RS

A educadora Ana Maria Araújo Freire, a Nita Freire, viúva do pedagogo Paulo Freire esteve hoje (13) em Porto Alegre presente na aula pública das Escolas Itinerantes do MST, em frente ao Palácio Piratini. Nita Freire repudiou a ação “inconstitucional e vil” do governo do Estado e de parte da justiça de impedir que as crianças acampadas, filhos de agricultores sem-terra, não terem o direito de estudar nas escolas itinerantes, que já existem há 12 anos no RS e serviram de exemplo a outros estados.
A pedagoga estava acompanhada do presidente da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia, deputado Dionilso Marcon (PT), do deputado Estadual Raul Pont, da deputada Estadual Marisa Formolo, e da presidente do Centro de Professores do Estado do Rio Grande do Sul (CPERS), Rejane de Oliveira. A escola itinerante é legal e cumpre normas do Conselho Estadual de Educação (Ceed), da Lei de Diretrizes e Bases (LDB) e da legislação das escolas no campo.

O MST denuncia que desde o início do ano, governo estadual e o Ministério Público Estadual (MPE) assinaram Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) em que decidiram fechar, sem consultar os pais, as escolas itinerantes. Desde então, o governo estadual não cumpriu com o que foi firmado no TAC, que é garantir transporte público às crianças nos municípios em que há acampamentos. É o que ocorre hoje em São Gabriel, em que 400 crianças assentadas e acampadas estão sem estudar desde o início do ano.
A atividade faz parte da Jornada de Lutas dos Sem Terrinhas que ocorre em todo país nesta semana.

12 de out de 2009

Agência Tucana


Essa eu peguei no site do PSDB nacional. A nota é da deputada tucana Zilá Breitenbach , engavetadora de CPIs, e de lambuja presidente do diretório do PSDB do Rio Grande do Sul. Vou pegar só um pedaço do texto porque o todo é de dar náusea.

[..a tentativa de afastar Yeda do cargo é mais uma manobra comandada por adversários políticos para desgastar a imagem da governadora junto à população.
Na opinião da parlamentar, falta à oposição um discurso político que a legitime para fazer críticas à gestão tucana no estado. "Como não podem bater nos maciços investimentos em segurança pública, educação e saúde, e no equilíbrio das contas públicas, através do déficit zero, os adversários decidiram usar como estratégia ataques pessoais a Yeda", advertiu.

Relatora do pedido de impeachment na comissão especial, a deputada disse que o documento não apresentou qualquer fato concreto que envolvesse a governadora em irregularidades. "Em nenhum momento, ela aparece participando de qualquer desvio", enfatizou...]

Fonte: http://www.psdb.org.br/

Bem ! como ninguém, roubou nada então vamos exigir do Ministério Público Federal, da Policia Federal e dos deputados da CPI do Detran que indenizem Yeda e o restante da turma do PUF.

O canto alegretense do Guri de Uruguaiana

Um relógio para o fim do governo Yeda


Yeda desapareceu, sumiu, escafadeu-se. Disse que ia para Nova Yorque, com uma escalinha na California (onde mora seu filho) com dinheiro público, mas teria ficado com medo de um golpe de seu vice, que estaria articulado com entidades de servidores do Estado(aahahahahahahaah). A direita sempre adorou um golpe, da direita é claro, e talvez esteja ai a razão de tamanho medo de feijó assumir interinamente (imagina o estrago que ele faria na dita cuja ahahahahah).

Mas isso já passou (ahahahha) hoje (12) nossa abelha rainha nos brinda com um "Como não escolher um vice", citando "divergências" entre Yeda e Feijó, e que isso não pode mais se repetir em campanhas futuras. Imaginem se cada vice da direita sai colecionado documentos de caixa 2 de campanha e depois entrega tudo isso ao Ministério Público Federal. Aí a casa cai (ahahaha). Na página 6 nossa abelha anuncia também a mais nova fase de Yeda, agora chamada de "Agenda Positiva" e com cinco dicas dos Barões da mídia de como "anular" as denuncias de corrupção. É de chorar

Ainda faltam 445 dias para o fim do governo Yeda, e segundo ela própria, felizmente ficará alguns dias desses que faltam em São Paulo. Lá, segundo ela, terá agenda lotada de convites de José Serra para atividades de governo.

Vamos montar um relógio regressivo para o fim do governo yeda. A gente poderia "sincronizar" em todos os blogs (ahahahahahhaha) e até colocar um de verdade no centro da cidade.

11 de out de 2009

Causa e consequência

Zé H dominical abre suas páginas 4 e 5 para "denunciar" que o Incra está fazendo uma devassa nas terras da fazenda Annoni para investigar supostas vendas e ou arrendamentos de terras . O que a matéria do jornalista Carlos Wagner "esquece" de dizer é que o Incra tem a obrigação de fiscalizar toda e qualquer irregualridade que possa existir, e que a maioria dos colonos e o próprio MST não concorda e não participa de nenhuma irregularidade que alguém possa ter cometido. As regras para ocupação das terras são claras e quem vende de boca ou arrenda suas terras deve sim perder o direito ao uso da terra, ponto. Na realidade o que a matéria traz no seu bojo é uma articulação política para criminalizar o MST, impedir a Reforma Agrária e proteger os interesses do agronegócio, do latifúndio e dos que controlam a terra para fins comerciais . Quem acompanha o dia-a-dia da mídia guasca sabe do que falo e de quem falo.

Para nós, cidadãos urbanos, que vivemos em apartamentos apertados, em áreas verticais, sabemos muito bem o que significa o cu$to e o uso da terra, mesmo não sendo um agricultor sem-terra. Nas grandes cidades, em áreas menores que metade de um campo de futebol, há cosntruções que abrigam até 2 mil pessoas. Não nos damos conta do que representa a falta da reforma agrária no Brasil e a concetração do latifúndio no aumento do nosso custo de vida, seja ele para morar ou trabalhar, e é claro, do ponto de vista social e econômico.

Imaginem 100 campos de futebol do tamanho do Beira-Rio ou do Olímpico nas mãos de uma única empresa multinacional ou de um único dono, que provavelmente não possua matricula de compra de toda essa terra (grilagem). Pois bem, nessas terras passam rios, riachos e têm florestas nativas, e em muitas vezes são devastadas para atender ao interesses do agronégocio com a plantação de eucaliptos ou a monocultura de soja ou da cana-de-açucar.

Junto com isso vem o êxodo rural e a concetração da miséria nas grandes cidades, gerando desemprego, falta de infraestrutura e a criminalidade. O Censo da Agricultura Familiar comprova que o latifúndio gera apenas 1,7 emprego no campo para cada 100 hectares , enquanto que na agricultura familiar gera 15 empregos, além da renda que quase dobra em relação aos grandes latifúndios.
A concentração de terras no Brasil é tão grande e tão desigual que é possivel afirmar que nossas terras estão sendo ocupadas de forma silenciosa, por centenas de empresas, que veem nelas uma forma barata de obter lucro, alimentando a pobreza e a concetração da renda. Mais de 75% das terras agricultáveis são ocupadas por esses barões medievais e somente 25% da nossa terra está nas mãos de quem realmente coloca a comida na mesa do brasileiro. O Censo da agricultura familiar comprova isso.

Se ainda não nos demos conta da desigualde social que a concentração da terra produz e dos interesses dos grandes Barões da Mídia e de seus aliados, é porque estamos muito ocupados em trancar portas, colocar câmeras de segurança em nossas casas e clamar por mais segurança. Não entendemos ainda que a violência não é a causa, mas a consequência da concentração da renda e das terras nas mãos daqueles que sempre usaram e abusaram dos trabalhadores, inclusive de forma escrava.

O caso Cutrale, uma história de grilagem de terras


Na tentativa de desqualificar os movimentos sociais, principalmente o MST, os barões da mídia disparam diariamente seus torpedos, chamando os agricultores sem-terra de bandidoss, baderneiros e vagabundos. O cavalo de batalha da mídia de agora é a fazenda de 2.400 hectares que a empresa Cutrale se diz proprietária e mais uma área de 50 mil hectares localizada no centro-oeste do Estado de São Paulo, entre os municípios de Iaras, Borebi, Agudos, Lençóis Paulistas e Águas de Santa Bárbara. Com a ocupação da fazenda pelo MST e o foco da mídia nacional, agora é possível desvendar a verdadeira história dessas terras.

A midia guasca não fala, por exemplo, que toda essa área é do governo Federal e que o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária de São Paulo confirmou que estão irregularmente em terras da União todos esses proprietários e ou empresas com fazendas.

A tal fazenda foi comprada pela União em 1909 para instalar colonos,mas segundo o Incra o projeto não vingou, e as áreas ficaram desocupadas, levando a um processo de ocupação irregular. O superintendente diz que o Incra, em 2003, foi condenado pela Justiça a implantar assentamentos no local. A partir daí foi feito um levantamento para identificar o histórico das terras. Os atuais ocupantes foram informados sobre a titularidade irregular.

Imaginem se hoje, com toda a tecnologia à disposição, ainda existe em larga escala a ocupação de terras do Estado, grilagens, queimadas e assassinatos, imaginem como era o processo no inicio do século passado, inclusive com a formatação de documentação dessas terras.

O MST publicou nota afirmando que ocupa fazendas que têm origem na grilagem de terras públicas, como acontece, por exemplo, no Pontal do Paranapanema e em Iaras (empresa Cutrale), no Pará (Banco Opportunity) e no sul da Bahia (Veracel/Stora Enso). São áreas que pertencem à União e estão indevidamente apropriadas por grandes empresas, enquanto se alega que há falta de terras para assentar trabalhadores rurais sem terras.

O MST também afirma que as famílias acampadas recorreram à ação na Cutrale como última alternativa para chamar a atenção da sociedade para o absurdo fato de que umas das maiores empresas da agricultura - que controla 30% de todo suco de laranja no mundo - se dedique a grilar terras. Já havíamos ocupado a área diversas vezes nos últimos 10 anos, e a população não tinha conhecimento desse crime cometido pela Cutrale.

O MST também lamentou o desvio de conduta de um integrante na ocupação e que o episódio não representa a linha do movimento. O MST de São Paulo reafirmam também que não houve depredação nem furto por parte das famílias que ocuparam a fazenda da Cutrale. Quando as famílias saíram da fazenda, não havia ambiente de depredações, como foi apresentado na mídia.

À sociedade, oa líderes do movimento pediram que não julguem a luta pela Reforma Agrária pela versão apresentada pela mídia, pois no Brasil, há um histórico de ruptura com a verdade e com a ética pela grande mídia, para manipular os fatos, prejudicar os trabalhadores e suas lutas e defender os interesses dos poderosos. Segundo o MST, apesar de todas as dificuldades, dos seus erros e acertos e, principalmente, das artimanhas da burguesia, a sociedade brasileira sabe que sem a Reforma Agrária será impossível corrigir as injustiças sociais e as desigualdades no campo. De nossa parte, temos o compromisso de seguir organizando os pobres do campo e fazendo mobilizações e lutas pela realização dos direitos do povo à terra, educação e dignidade.
* Grifo pessoal
Fontes consultadas: MST/ http://diariogauche.blogspot.com

10 de out de 2009

Capital pode perder R$ 1,1 bilhão

Do site do Correio do Povo:
Porto Alegre é uma das cidades que ainda não prestou contas dos recursos do Pronasci de 2008 e corre o risco de não receber a cota de R$ 1,1 bilhão referente a 2009. Até o final de setembro, do total de 27 estados e 70 municípios que integram o programa, cinco estados e 21 municípios estavam com os recursos de 2009 garantidos. A partir do dia 10 de novembro, o Ministério da Justiça começa a assinatura dos convênios de repasse do orçamento de 2009. Os estados que não comprovarem, até o final de outubro, a execução de pelo menos 30% dos investimentos do ano passado, não receberão os recursos.
Enquanto isso em Canoas:
O ministro da Justiça, Tarso Genro, lançou ontem o nono Território de Paz do país e o segundo do Estado, no bairro Guajuviras, o mais violento de Canoas. O projeto, que já funciona na vila Bom Jesus, em Porto Alegre, é um dos braços do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania (Pronasci). A proposta integra políticas de segurança pública e ações sociais preventivas com medidas que envolvem a comunidade e as forças policiais na redução da criminalidade. O programa conta com 24 projetos e um investimento do governo federal de R$ 7,6 milhões. ''Um dos problemas que o Brasil tinha para sediar as Olimpíadas de 2016 era a questão da segurança pública. Superamos ao apresentar o Pronasci, demonstrando que o país marcha a médio e longo prazo para ter uma segurança de verdade'', afirmou o ministro Tarso Genro. Canoas é a primeira cidade de região Metropolitana a sediar o Território de Paz. As demais são todas em capitais. Segundo o ministro, a escolha se deu pelos projetos implantados e a integração do município com o Pronasci, além da qualidade dos projetos. Tarso destacou que 90% dos guardas municipais de Canoas participam da capacitação do Bolsa Formação, que, no RS, contempla 13.415 policias com um adicional de salário, totalizando um aporte de R$ 47 milhões.

9 de out de 2009

A falcatrualgem não tem mais fim

Se tudo o que disse o vice-governador, Paulo Feijó (DEM) for verdade (eu acredito que ele também tem culpa ) sobre os esquemas de caixa dois na campanha eleitoral do PSDB na campanha de Yeda Crusius, coordenado pelo ex-marido de Yeda, Carlos Crusius,estamos diante do dantesco, da sacanegem pura . É MUITAAAAAAAAAAA FALCATRUAAAAAAAAAAAAA

Tomando na Cuia no twitter

http://twitter.com/tomandonacuia

Nota do deputado Raul Pont

Em decorrência da versão disseminada nos meios de comunicação sobre a sessão de votação da admissibilidade do pedido de impeachment da governadora, na noite de quinta-feira (8), esclareço que:

1- Não falei, não toquei, não fiz qualquer ameaça à relatora do processo, Zilá Breitenbach (PSDB) e nem “dei tapa” em microfone;

2- A versão disseminada pelo PSDB e pelos aliados da governadora Yeda Crusius não condiz com a realidade dos fatos e se configura numa tentativa desesperada de vitimizar, perante a opinião pública, os verdadeiros algozes do povo gaúcho;

3- A violência praticada durante a sessão partiu daqueles que, para atingir seu intento, rasgaram a Constituição, o Regimento Interno do parlamento e a legislação que estabelece o rito do processo;

4- Afronta à população foi o fato de o presidente da comissão especial ler o parecer do Procurador-Geral da Assembleia Legislativa e agir no sentido oposto, garantindo voto a um deputado sem representação na comissão, pois já mudara de partido, mas decisivo para aprovar a farsa. Sem ele, não haveria quorum – maioria absoluta – para assegurar o arquivamento do processo contra a governadora;

5-Desrespeito ao povo foi decisão do presidente e da relatora de ignorar o material sob sigilo, de não ouvir o MPF e os signatários do pedido de afastamento da governadora e de desconsiderar as reuniões subscritas por dez deputados para a realização de diligências. Ao invés disso, dedicaram-se à produção de um relatório chapa branca que encobre a verdade e envergonha o Rio Grande do Sul.

Deputado Raul Pont

Vice-líder da Bancada do PT na Assembleia Legislativa

O apartamento de Olivio Dutra

Recolhi e republico aqui um post do RS URGENTE sobre o apartamento de Olivio Dutra. Fica claro como água cristalina a diferença entre um governo sujo e corrupto de um governo íntegro e digno como foi o de Olívio Dutra:

[Um leitor do blog envia texto de Adão Oliveira, publicado no Jornal do Comércio, no dia 17 de agosto de 2005. Guarda atualidade:

Ontem (16/08/2005), vi uma foto do ex-governador e ex-ministro Olívio Dutra, tomando chimarrão, espremido na apertada sala de sua residência, na zona norte da cidade. Até aí nada de mais, não fosse o ex-bancário ter ocupado a chefia do Executivo gaúcho e o ministério das Cidades, durante mais de dois anos do governo Lula. Olívio não é mais governador e muito menos ministro, mas continua o mesmo sujeito simples de antes. O missioneiro, que mandou e desmandou em orçamentos altíssimos, não mexeu em nada que não lhe pertencesse. O cofre nunca lhe caiu nos pés. Terminadas as suas tarefas, Olívio voltava para o acanhado apartamento que um dia conseguiu comprar com os parcos salários que recebia como funcionário do Banrisul.
Olívio Dutra é, pois, um homem honesto! Nem sei porque estou escrevendo sobre isso, porque eu participo do princípio que honestidade não é virtude. Honestidade é inerente ao cidadão. Não ser honesto é um grave defeito de caráter mas, honestidade, não é virtude. Mas virtude ou não, a verdade é que Olívio Dutra é um homem intrinsecamente honesto.]

8 de out de 2009

Julgamento Popular: Yeda é culpada


Chamados a responder se a governadora Yeda Crusius (PSDB) é culpada ou inocente das acusações de corrupção apresentadas pela Justiça Federal, a população deu o seu veredicto: para 94% das pessoas que participaram do Julgamento Popular organizado pelo Comitê Fora Yeda ela culpada.

Ao todo, 92.520 pessoas participaram do processo. A opção culpada foi assinalada por 86.948 (94%), contra 4.626 (5%) da opção inocente. O número de votos brancos ou nulos foi de 946 (1%). O resultado final do julgamento foi divulgado na tarde desta quinta-feira 8, na Assembleia Legislativa do Estado, local onde, às 18h desta quinta, deve ser votado na comissão que analise o pedido de impeachment da governadora o relatório elaborado pela deputada Zilá Breitenbach (PSDB).

O pedido de impeachment de Yeda foi feito pelo Fórum dos Servidores Públicos Estaduais no dia 8 de julho. O pedido de afastamento da governadora foi aceito pelo Legislativo no dia 10 de setembro e a leitura da denúncia ocorreu cinco dias depois. O governo Yeda tem sido alvo de acusações desde a Operação Rodin, coordenada pela Polícia Federal, que apurou um esquema fraudulento em contratos de prestação de serviços feitos pela Fatec – Fundação de Apoio à Tecnologia e Ciência e da Fundae – Fundação para o Desenvolvimento e Aperfeiçoamento da Educação e da Cultura para o Detran.

Com o julgamento, o Comitê Fora Yeda demonstrou que o povo gaúcho não compactua com aqueles que não querem ver esclarecidos os fatos. Essa vontade também foi manifestada em pesquisa realizada pelo Ibope encomendada pelo Grupo RBS. O levantamento mostra que a maioria dos gaúchos (62%) aprovam o impeachment de Yeda, contra apenas 22% que se dizem contrários.

O governo estadual é reprovado por 64% dos gaúchos e o desempenho pessoal de Yeda é ainda pior: 74%. O desempenho dela é desaprovado por 79% dos porto-alegrenses e por 81% dos moradores da Grande Porto Alegre. No interior, a reprovação é de 70%.

Fonte: imprensa do CPERS/Sindicato

Foto: Roberto Vinícius

José Paulo Bisol recebeu homenagem na Assembléia

O ex-senador e ex-secretário estadual de Segurança Pública do Rio Grande do Sul, José Paulo Bisol, recebeu, nesta quarta-feira (7), a medalha Mérito Farroupilha, a mais alta distinção da Assembléia Legislativa do Estado, uma iniciativa do deputado estadual Elvino Bohn Gass (PT). A cerimônia ocorreu às 18h30min, na Sala Júlio de Castilhos, da Assembléia. Logo após, Bisol proferiu uma conferência na sala do Fórum Democrático. Durante sua passagem pela Secretaria de Segurança Pública, Bisol foi alvo de um massacre político e midiático. Suas posições em defesa dos direitos humanos, de combate à corrupção no aparato de segurança do Estado e de unificação das polícias foram atacadas dia e noite. Foi sucedido por José Otávio Germano, que assumiu a secretaria dizendo que, dali em diante, a polícia passaria a agir “sem freio de mão”. Germano é um dos acusados pelo Ministério Público Federal de integrar uma quadrilha que agia no Detran gaúcho.Mas a vida e a trajetória de Bisol são muito maiores do que esses episódios. São elas o principal objeto da homenagem.

www.ptsul.com.br

O limite da moralidade

Qual será o limite da moralidade do governo Yeda ? Segundo os deputados da CPI da corrupção, documentos comprovam o uso de dinheiro público na reforma da casa comprada pela governadora Yeda Crusius no final de 2006. Além dos pisos de borracha utilizados em garagens, foram encontrados móveis infantis que teriam sido colocados nos quartos dos netos da governadora. Não sei até que ponto isso pode ser legal, mas com certeza é imoral.

7 de out de 2009

Petistas são agraciados com o Mérito Farroupilha

Para comemorar os 20 anos da Constituição Estadual do Rio Grande do Sul, a Assembléia Legislativa promoveu uma sessão solene, na tarde desta quarta-feira (7), e concedeu aos deputados que elaboraram a Carta Magna a medalha do Mérito Farroupilha, maior distinção conferida pelo Parlamento gaúcho. Dos constituintes, o deputado Raul Pont (PT) é o único com mandato na atual legislatura.

Ao manifestar-se na tribuna, ele recordou que o voto contrário do PT à Carta não se constituiu numa afronta às demais bancadas e ao povo gaúcho. “Assinamos o texto, juramos cumpri-lo e respeitá-lo como decorrência direta da participação do processo”, frisou, ao salientar que, à época, a manifestação dos petistas teve o simbolismo da rejeição a um processo ilegítimo em sua origem. Adão Pretto, Selvino Heck e José Fortunati também foram representantes do PT no processo constituinte.

Adão Pretto não viveu para acompanhar a cerimônia comemorativa às duas décadas da Constituição Estadual. Ele morreu no dia 5 de fevereiro deste ano, deixando além dos nove filhos, nove netos e um bisneto, uma reconhecida trajetória de luta em defesa da reforma agrária e dos trabalhadores do campo e da cidade. Coube a seu filho, Edegar Pretto, receber, em seu nome, a medalha do Mérito Farroupilha. “O meu pai foi o primeiro agricultor que deixou a roça e assumiu uma cadeira na Assembléia. O grande legado que ele deixou foi o de ter quebrado o preconceito de que esses espaços não podem ser ocupados por pobres e por pessoas sem estudo. Diziam que um pobre que ocupa lugar importante passa para o outro lado. Meu pai desempenhou seus mandatos com competência e manteve-se fiel as suas origens. Prova disso foi o reconhecimento através do Prêmio Springer, concedido em 1987, em conseqüência do projeto do seguro agrícola, que virou lei à época do governo Olívio Dutra”, frisou Edgar Pretto.

Já o ex-deputado Selvino Heck é, atualmente, assessor especial da presidência da República. Para ele, a elaboração da Constituição Estadual gaúcha foi um importante momento histórico da política do Rio Grande. “A bancada do PT teve uma forte atuação. Os artigos que tratam da participação popular e da democrática tiveram o nosso empenho, portanto, trata-se de uma homenagem importante, justa e que nos deixa honrados”, assinalou.

Renan Kurtz e Éden Pedroso, constituintes pelo PDT, hoje são petistas e José Fortunati não está mais no PT.
Fonte: www.ptsul.com.br/Stela Valenzuela
Foto Marco Couto

A revolução tucana

Quem assistiu a entrevista de Yeda Crusius no Roda Viva dá a impressão de que o PSDB está fazendo uma revolução na gestão dos serviços públicos gaúchos. O quadro acima — investimento em saúde —mostra que a vergonha guasca não é só nos desvios de recursos públicos, mas também na falta de investimentos em áreas essenciais como a da saúde. O quadro acima revela o "cuidado" de Yeda com a saúde pública dos gaúchos (apenas 3,75%). O RS é o Estado que menos investe em saúde no Brasil e no orçamento de 2010 continuaremos a rankear o indicador dos governos estaduais de que menos investe em saúde pública.

6 de out de 2009

Os piores momentos de Yeda no Roda Viva

Clique na imagem para assistir os melhores ou "piores" momentos de Yeda no programa Roda Viva da TV Cultura.

Relatora Zilá (PSDB) isenta Yeda (PSDB)

Conclusões da deputada Zilá Breitenbach (PSDB) , relatora do pedido de Impeachment da governadora Yeda Crusius (PSDB):

[... todos os fatos examinados, a natureza do pedido e o exame autorizado dos mesmos, conclui-se que não está presente justa causa a autorizar a admissibilidade do pedido de instauração de processo por crime de responsabilidade contra a Governadora do Estado. Daí porque concluo, submetendo a esta Comissão Especial este entendimento, sobre a ausência das condições de admissibilidade do pedido formulado no processo nº 2300-01.00/09.8, razão pela qual seja deliberada sua remessa ao arquivo deste Poder Legislativo....] Para ler na íntegra do documento , clique aqui para baixar o PDF. O relatório está a partir da página 6

5 de out de 2009

Adão Pretto será homenageado com o Mérito Farroupilha

A Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul promove no próximo dia 07/10 às 14 horas, Sessão Solene, no Plenário 20 de Setembro do Palácio Farroupilha, em Porto Alegre, em homenagem aos 20 anos da Constituição Estadual e outorga da Medalha do Mérito Farroupilha aos Deputados Constituintes.

Um dos homenageados com o Mérito Farroupilha será o deputado Federal Adão Pretto — falecido em fevereiro de 2009 — deputado Constituinte Estadual. A Medalha do Mérito Farroupilha será entregue ao filho do deputado, Edegar Pretto, que representará a família no ato.

Na oportunidade também será lançada a revista Os Constituintes, a Exposição Comemorativa à Constituinte Estadual de 1988/1989 e o lançamento da edição da Constituição do Estado do Rio Grande do Sul - 20 anos - 1989/2009.

IBGE retrata pela 1ª vez a agricultura familiar

Clique na imagem acima para baixar o arquivo (PDF-2 MB) e ler a síntese do Censo Agropecuário 2006: pela primeira vez, a agricultura familiar brasileira é retratada nas pesquisas feitas pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Esse material vale ouro para quem deseja fazer o debate sobre o papel da reforma agrária no país. O censo desmonta a tese de que o agronegócio é o — recebe a maior parte dos recursos da agricultura — grande motor de produção brasileiro.
Na realidade são 4,3 milhões de pequenos estabelecimentos familiares que ocupam apenas 24.3 % das terras brasileiras, produzindo a maior parte dos alimentos básicos que os brasileiros consomem no seu dia-a-dia: (feijão - 70%, mandioca - 87% , milho - 46%, café 38% , arroz - 34%, trigo - 21%, soja - 16%, leite - 58%, aves - 50 %, suinos - 59%, bovinos - 30% ). Ou seja, nos outros 75.7 % das terras o latifundio produz menos ou igual aos 24.3%.
O documento revela que para cada 100 hectares de terra, a agricultura familiar ocupa 15 pessoas na atividade, contra apenas 1,7 pessoas no grande latifúndio, e gera R$ 677, 00 por hectare ano contrapondo os R$ 358,00 do chamados grandes produtores.
Os dados foram coletados em todo o Brasil entre 2006 e 2007 e foram analisados durante quase dois anos. O documento integral tem mais de 1000 paginas e renderá boas análises sobre a concentração agrária no Brasil tendo como parametro o Coeficiente de Gini .

Fora Yeda

O Ato Show pelo Fora Yeda, realizado neste domingo no Parque Marinha do Brasil reuniu milhares de pessoas ontem(04). O cantor Pedro Munhoz após ter recitado versos em referência ao agricultor sem-terra Elton Brum e criticado a violência contra os movimentos o sociais, ao descer do palco, recebeu a "visita" da Brigada Militar, queriam prendê-lo.

4 de out de 2009

Enviado manda notícias



Nosso enviado especial, Eduardo Quadros, nos manda notícias das OROPA sobre a repercussão nos jornais Londrinos do resultado da escolha do Brasil para as olimpíadas. Notem a Carmem Miranda Kitsch

Nassif: Caso ENEM, uma manobra paulistana

Blog do Nassif faz algumas valiosas considerações sobre o caso ENEM

Vamos a algumas considerações sobre o caso do furto das provas do ENEM, a partir do que saiu hoje nos jornais.

Primeiro, as conclusões. Depois, o raciocínio por trás delas:

A probabilidade maior foi a de uma operação política. O pedido de dinheiro foi despiste.
Quem atuou foi uma quadrilha organizada, que procurou dois veículos não estigmatizados por dossiês – Estadão e Record – para passar o furo.

Dois trombadinhas-laranja foram escalados para oferecer o material para a Folha no mesmo momento. Mas foi uma óbvia manobra de despiste. Os bandidos deixaram claro que o sigilo de fonte era a maior garantia de impunidade para essas jogadas, reafirmando aquilo que detalhei à exaustão em “O Caso de Veja”: todo esquema de quadrilha especializada em dossiês tem, na ponta, a contraparte jornalística. Foi uma operação paulistana, não brasiliense, embora não se descarte a possibilidade dos bandidos terem vindo de Brasília.

Vamos ao detalhamento, a partir das matérias publicadas (clique aqui).

1. Há duas maneiras de se fazer dinheiro com o ENEM. O usual – conhecido por esquemas que fraudam provas de vestibulares – é vender para cursinhos ou pais de aluno. É mais rentável mas supõe um esquema prévio armado. O outro modo é explorar politicamente o episódio. E, aí, há duas hipóteses a serem investigadas. Ou o esquema pretendia dinheiro oferecendo o dossiê a jornais (com o intuito de criar escândalos políticos) ou atuava a serviço de alguma organização política.

2. Na explicação dos bandidos aos repórteres do Estadão, fica claro que a melhor maneira de gerar escândalos criminosos é em parceria com veículos propagadores de dossiês (não é o caso do Estadão). Eles dizem claramente que o sigilo de fonte garante a impunidade, razão para não terem procurado o PSDB. Pode ser uma tentativa algo canhestra de explicar porque procuraram o jornal; pode ser uma tentativa de despiste.

3. Três veículos foram procurados: Estadão, Record e, pelo que se sabe hoje pela leitura dos jornais, a própria Folha. Os que procuraram o Estado e a Record (não se sabe se são os mesmos) tinham claro conhecimento de fontes especializadas, sabiam das implicações políticas do caso e “adoçaram” a boca dos jornalistas acentuando que o caso poderia derrubar Ministros ou procurando legitimar o vazamento com toques moralistas. Os que procuraram a Folha precisaram se valer de um dono de pizzaria para conseguir o telefone do jornal.

4. O objetivo final era obviamente o Estadão ou a Record, mas por qual razão? Uma possibilidade seria o fato de ambos não terem se queimado com armações e dossiês falsos. Outra possibilidade é que as duas portas óbvias – Folha e Veja - estavam impedidas de serem acionadas. A Folha devido ao fato de controlar a Gráfica Plural (que recebeu a gigantesca encomenda do MEC de imprimir as provas); a Veja pelo fato da Abril ser grande fornecedora do Ministério da Educação.
5. Qual a intenção de colocar dois trombadinhas para procurar a Folha, então? Uma possibilidade (não a única) é de despiste, soltar penas ao vento para dificultar o trabalho da Polícia Federal, ou colocá-la no encalço de trombadinhas-laranja desviando o foco dos verdadeiros autores.

6. Foi uma manobra paulistana, não se tenha dúvida. No caso da Record e do Estadão, havia uma posição dos bandidos em, sempre, colocar Brasília como fonte do vazamento. Eram os filhos de deputados, ora o delegado da Polícia Federal, ora o funcionário do INEP. Ora, há todo um mercado de dossiês já estruturado em Brasília, em torno de sucursais ou dos próprios jornais locais. Uma possibilidade é que tenham atuado em São Paulo para fugir dos esquemas marcados em Brasília. Mas, sendo assim, a troco de quê a insistência em jogar os holofotes sobre supostas fontes brasilienses? Típica manobra de despiste: a operação foi paulistana, reforçada pelo fato de que o material que os repórteres do Estadão viram já eram provas impressas, e o INEP tinha apenas o print das questões em seus cofres.

Autor: luisnassif

Mercedes Sosa - Gracias a La Vida

3 de out de 2009

Mino Carta: A glória e a infâmia

Há coisas do Brasil louvadas mundo afora, e não me refiro às ações da Petrobras e da Vale. Falo do refúgio dado pela embaixada brasileira em Tegucigalpa ao presidente José Manuel Zelaya. Há coisas do Brasil verberadas País adentro. Falo da mesma posição que o resto do planeta aprecia e que já começa a provar seu acerto.
Coisas nossas, diria o sambista. Típicas. Clássicas. Com raras exceções, a mídia nativa condena irreparavelmente o presidente Lula e o Itamaraty, réus por terem garantido abrigo a um presidente deposto por mais um golpe de Estado nesta América Latina ainda tão distante da contemporaneidade. Ou, se quiserem, de um ideal de contemporaneidade. Clica aqui para ler o artigo