17 de nov de 2009

Tiger

1ª Conferência Estadual de Comunicação

A 1ª Conferência Estadual de Comunicação começa na noite desta terça-feira (17), às 19h30, e se estende ao longo de quarta-feira, quando serão escolhidos os delegados para a etapa nacional.
Sob o tema Comunicação: Meios para a Construção de Direitos e Cidadania na Era Digital, o evento acontece no Auditório Dante Barone da Assembleia Legislativa, em Porto Alegre. P
ara hoje, o credenciamento terá início às 19h e término às 21h. No dia 18 o credenciamento inicia às 8h30 e encerra às 14h. São necessários para a sociedade civil empresarial no ato de inscrição ter a carta de indicação da empresa, da qual constem CNPJ e CNAE, a atividade principal da empresa, cédula de identidade ou documento equivalente com fotografia, cópia do CNPJ e da CNAE.
Para o poder público o representante deve ter a carta de indicação, cédula de identidade, CPF ou documento equivalente com fotografia. Para inscrição no segmento da sociedade civil é necessário a cédula de identidade, CLPF ou documento equivalente com fotografia. ProgramaçãoA mesa de abertura, que está prevista para às 19h30, terá Ottoni Fernandes Jr., da secretaria de Comunicação da Presidência da República; deputado Ivar Pavan, presidente da Assembleia Legislativa do RS; os deputados estaduais Adão Villaverde e Francisco Appio; Celso Schröder, presidente da Comissão Organizadora Estadual da Confecom; Clementino Lopes, coordenador regional da Abraço/RS; Leonardo Meneghetti, diretor regional sul Grupo Bandeirantes. Às 21h ocorrerá o encerramento das atividades. Dia 18 de novembro, às 9h, ocorre a plenária de abertura da Etapa Estadual da Conferência Nacional de Comunicação com a aprovação do Regimento Interno.
Às 9h30 começam os painéis. O painel 1, que trata do eixo temático Produção de Conteúdo, terá como painelistas Pedrinho Guareschi, professor da Ufrgs; Marco Antonio Campos, advogado da RBS; Christa Berger, jornalista e coordenadora do Programa de Pós-graduação em Comunicação da Unisinos. O mediador será Ricardo Haesbert, assessor da Presidência do parlamento.
O painel 2 terá início às 11h e tratará do II eixo temático, Meios de Produção, que contará com José Carlos Torves, jornalistas, diretor da Fenaj; Pedro Osório, jornalista, presidente do Conselho Deliberativo da Fundação Piratini e Eduardo Krause, advogado. O mediador será João Mota, superintendente geral da Assembleia Legislativa do RS. Às 12h30 haverá um intervalo para o almoço, com a retomada dos trabalhos às 14h, com o painel 3, que trata do eixo temático Cidadania: Direitos e Deveres. Deste painel fazem parte Roseli Goffman, do Conselho Federal de Psicologia e membro da Comissão Nacional de Organização da Confecom; Celso Schröder, superintendente de Comunicação Social da Assembleia Legislativa do Estado e Ricardo Guiliani, advogado. O mediador será o deputado Miki Breier. Às 15h30min haverá um intervalo e às 15h45 serão formados Grupos de Trabalho.
A plenária final está marcada para às 17h, com a eleição de delegados à Confecom. DelegadosO Rio Grande do Sul terá 38 delegados da sociedade civil, 38 do empresariado e 10 dos gestores públicos. O término das atividades está previsto para às 19h.Já foram realizadas pré-conferências nos municípios de Passo Fundo, Sapiranga, Novo Hamburgo, São Leopoldo, Canoas, Viamão, Frederico Westphalen, Gravataí, Pelotas, Horizontina, Porto Alegre, Encruzilhada do Sul, Esteio, Doutor Maurício Cardoso, Montenegro, Caxias do Sul, Nova Prata e Caçapava do Sul.

Por Sindicato dos Jornalistas do RS.

POA tá demais: a buraqueira não pode parar



Ainda não tive tempo de me dedicar ao assunto, mas hoje consegui descarregar algumas imagens que gravei ontem (16) da buraqueira, e dos desnivelamentos das ruas da zona sul deixados pelas obras das empreiteiras. Reparem na quantidade de pistas falsas que dá acesso à avenida Padre Cacique: coisa de doido.

Verdades e mentiras sobre a agricultura

Artigo do ministro do Desenvolvimento Agrário, Guilherme Cassel, publicado em Zé H (17) aprofunda a análise sobre o Censo Agropecuário 2006 e o papel fundamental da agricultura familiar no Brasil. É um banho de água fria em quem defende o latifúndio e ajuda a desmascarar o discurso de quem defende o chamado agronegócio.
Basta ver os Indicadores de Desenvolvimento Humano para constatar que onde há miséria extrema há latifúndio. A região serrana, ao contrário da fronteira oeste, já fez a sua reforma agrária, e por isso lidera o desenvolvimento econômico, social e industrial do nosso Estado.

Clique no link ao final do parágrafo para ler o texto integral do ministro Cassel

O Censo Agropecuário 2006, divulgado há algumas semanas pelo IBGE, esclarece muito sobre o meio rural brasileiro e joga luz sobre quem é quem no rural do Rio Grande do Sul. Há muito sabemos que a agropecuária tem valor significativo na economia gaúcha. Conforme estudo da Fipe/USP, 55% do PIB gaúcho vem deste setor. Mas também há muito tempo persiste entre nós a ideia de que essa é uma produção “dos grandes”, daqueles que têm mais terra, mais dinheiro, mais acesso a novas tecnologias e que produzem grãos para a exportação. Clique aqui para ler