4 de mai de 2009

Até a seca no nordeste Yeda prometeu acabar

video

Aqui se faz aqui se paga

Agricultores da Região Norte do Rio Grande do Sul trancaram várias rodovias neste final de semana. Exigem que o governo do Estado tome alguma atitude para combater os efeitos da estiagem. Pedem o mínimo: aberturas de poços artesianos, construção de cisternas e crédito, ou seja, tudo aquilo que uma secretaria de irrigação deveria fazer em grande escala e ainda não fez. Até agora mais de 150 municípios estão afetados e mais de 700 mil pessoas sofrem com o grave problema. No site da defesa civil veja a lista de ajuda do govenro do Estado: cestas básicas (?????????) e filtros de água, 550 kits de limpeza, 700 colchões, 700 cobertores, 700 travesseiros, 5 mil mosquiteiros, 700 toalhas, 700 lençóis, 700 fronhas e 9.810 telhas. A Corsan na cidade de Erechim já está racionando água, que será cortada durante 14 horas, em horários intercalados entre os bairros. O certo é que o lombo da governadora está lisinho lisinho nesse tema. Nossa querida mídia trata do assunto, mas simplesmente ignora que existe um governo que deve fazer algo. Também ignorou a representação de dezenas de prefeitos que vieram à Assembleia Legislativa ,na semana passada, pedir que os deputados intercedam, já que no Piratini parece que o tema não existe. O certo mesmo é que além da Febre Amarela, que o governo Yeda deixou passar batido e se alastrar, na questão da seca nem mesmo o site oficial do Estado trata do tema. Na agenda da governadora do dia 04 de maio apenas dois compromissos: 9 horas - Reunião do Grupo de Comunicação e 18 horas - Reunião do Conselho Político, e o tema estiagem não tem nenhuma referência. Seguindo na mesma linha no site da Defesa Civil até aparece que não existe seca, pois aparece apenas um texto oficial - o mesmo de onde tirei a informação sobre a ajuda do governo)- sobre o tema e um link de previsão metereológica. É gauchada politizada, aqui se faz aqui se paga.