3 de dez de 2008

Pedágios: deputados intercedem contra autoritarismo de Mendes

Após apreender dezenas de carteiras de motoristas do caminhoneiros presentes no ato contra os pedágios (por estarem buzinando), os deputados entraram em campo e exigiram a devolução dos documentos aos trabalhadores. os deputados (Marcon. Sossella, Marisa, Paulo Azeredo, Heitos Schuch) repudiaram a decisão de Mendes. O ato contra o projeto de Yeda conta com a presença de deputados, prefeitos, vereadores, lideranças de todo o Estado, sindicatos e Centrais Sindicais.
video

Deputados intercedem

Pedágios não ! Mobilização Já !


"Deputados comprometidos com o povo não votam à prorrogação dos pedágios" . Centenas de manifestantes estão em frente ao Palácio Piratini se manifestam contra o projeto do governo Yeda de prorrogar por mais 15 anos às concessões dos atuais contratos de pedágios. Vaias e buzinaços podem ser ouvidos por quilômetros. O cel. Mendes, segundo informes, determinou a prisão dos caminhoneiros e de seus veículos no centro da cidade.
O CENTRO ESTÁ TOTALMENTE PARADO.

A Transparência do governo Yeda

Há dois meses, quando a ex-secretária da transparência do governo Yeda, Mercedes Rodrigues, pediu pra sair do govenro por falta de apoio à criação da estrutura da secretaria, dois altos dirigentes (CCs) de Yeda, colocados na Emater já estavam em Roma, viajando, pelo visto a turismo, com dinheiro público. Só em diárias para alimentação, o chefe de gabinete recebeu US$ 6.700,00 dólares (cerca de R$ 16 mil). Em hospedagem paga pelo Estado recebeu outros US$ 1.577,00 para gastos com aluguel de carros e combustíveis. O diretor administrativo da Emater, também viajou a Roma. Ao todo, a expedição a Roma custou mais de R$ 40 mil aos cofres públicos. Cabe ressaltar que a Emater passa por grandes dificuldades devido a política de Yeda, políticas que envolvem demissão de funcionários e arrocho salarial.