18 de ago de 2009

Uma nova fase com mamãe

O ex-ouvidor da Secretaria de Segurança Pública, Adão Paiani, acostumado a transitar livremente pelo Palácio Piratini e até bem pouco tempo desfrutar da confiança de Yeda, agora, prova de uma nova fase da sua relação com a mamãe (ahahahahah). Paiani como ouvidor da segurança pública sempre fez ouvidos de mercador e ignorava sistematicamente as denuncias de violência contra os movimentos sociais. A política do bate primeiro e pergunta depois do coronel Mendes sempre foi ignorada pelo ex-ouvidor, mesmo quando parlamentares e os movimentos sociais condenavam internacionalmente o comando da BM, coronel Mendes, que mandava sentar o cassetete a torto e a direito em professores, estudantes e agricultores.
Paiani agora prova um pouquinho da democracia do governo Yeda e da forma com que seus colaboradores tratam seus adversários políticos. Mesmo assim entendo ser ilegal a tal ordem que o chefe da Casa Civil, José Roberto Wenzel, teria dado ao determinar a proibição do acesso do cidadão Paiani no palácio (um local público). Principalmente se o cidadão foi em busca de informações de seu interesse, no caso dele na condição de advogado,exigindo cópia de uma sindicância pública sobre o uso do sistema de escutas Guardião para espionagem política e chantagem contra adversários do governo.

@lheira.com.br

É muita cara-de-pau dessa gente fazer pompa ao lançar o site da transparência do Estado. O problema não está no mecanismo, mas sim no caráter, ou a falta dele no que se refere aos agentes políticos desse governo. Se pergarmos como modelo a prefeitura de Canoas quando Chico Fraga estava à frente da "gestão", podemos ter certeza que muita coisa podre ainda está por aparecer e entendo que a CPI tem forças para chegar nos peixes graúdos de dentro e principalmente nos que estão do lado de fora do portal da transparência. Já tem até um e-mail circulando pela internet onde qualquer cidadão pode enviar denuncias de corrupção no governo do Estado: transparencia@lheira.com.br (ahahahahaahahaha)