24 de jan de 2009

Simon e o tucano amarelo de 2010


Depois da morte de quase 1000 bugios e o diagnóstico de três pessoas mortas com febre-amarela no RS, o secretário da saúde, Osmar Terra (PMDB) afirma que o pior já passou. A negligência na saúde, a falta do controle epidemiológico, e o déficit zero no RS do novo jeito de governar fez voltar ao Estado uma epidemia que não havia aqui desde a década de 1950. Enquanto isso, sobra dinheiro pra compra de jato e o senador Pedro Simon articula a reeleição de yeda com uma grande aliança com o PSDB de Serra. A grande mídia dispara seus laseres seletivos contra Dilma Roussef e Tarso Genro, principais candiatos de Lula à sucessão presidencial. Tarso é a vítima da vez, devido ao "rumoroso" caso Battisti. Tudo será maravilhoso no RS a partir de agora para Yeda na sua nova fase e majestosas e positivas manchetes do novo jeito de governar pipocarão em nossos jornais "amarelados" do RS.

A bala perdida, o bode e o coronel Mendes

Tudo indica que a bala que matou o vice-presisdente do Cremers-RS, o médico oftamologista Marco Antônio Becker é mesma de um lote doado a Brigada Militar pela Força Nacional de Segurança, em um exercício realizado no Rs em 2005. Imaginem se esse fato tivesse ocorrido na época em que o secretário de segurança fosse José Paulo Bisol, do governo Olívio Dutra. A grande mídia ja teria massacrado o secretário e alguns "jornalistas" ja teriam disparado seus laseres, exigindo a queda do comandante da BM e uma profunda investigação dos métodos que a BM utiliza para manter seus equipamentos de trabalho. Mas como nosso jornalismo guapo-investigativo hoje se contenta apenas com as notas oficiais , provavelmente a verdadeira responsabilidade pelo desvio dos projeteis nunca será descoberto, ou algum "bode fedorento" será convidado para exalar seu fedor nas redações da grande mídia . Se foi um policial ou um civil que cometeu o crime, isso provavelmente será apurado, mas saber como esse material foi parar na mão de matadores, bom, isso nós podemos chamar o coronel Mendes para nos ajudar a responder.