1 de jul de 2009

Uma Profissão de Futuro

Nosso enviado especial em Londres, Eduardo Quadros, manda mais uma imagem da cidade do Big Bang em seu cotidiano. Esta cabine telefônica acima é praticamente um clone dos orelhões públicos que ficam na orla de Copacabana, no Rio de Janeiro. A diferença é que os "avisos" daqui (ahahahhaha) são em preto e branco, ao contrário da cabine Londrina que é multicolor (clica na imagem pra ampliar) e bem mais detalhada. Bem ! já que o STF desregulamentou a minha profissão, bem que ele poderia profissionalizar a profissão mais velha do mundo (aahahhaaha). Como se vê, tanto aqui no novo mundo, como no velho continente, essa profissão tem passado, presente e muito futuro....

Educação: RS é o que menos investe no Pais

Escondida entre o obituário e as publicações legais, hoje Zé H (01/07) traz uma matéria sobre o nível de investimento da educação na terra guapa. Segundo o levantamento da jornalista Leticía de Oliveira , o Rio Grande do Sul é o Estado que menos investe em educação no país, mas o título da matéria é no mínimo estranho "MEC e SEC brigam sobre investimento" O levantamento do Ministério da Educação (MEC) é claro e revela que a Constituição exige o repasse mínimo de 25% do orçamento para manutenção e desenvolvimento do ensino público, em 2008, o governo gaúcho liberou, segundo o governo federal, apenas 18,44%. Os indicadores apontam que a terra guapa não cumpre o percentual de investimento exigido por lei há, pelo menos, três anos. Em 2006, quando o MEC deu início à coleta de informações, 19,87% dos recursos estaduais foram repassados para a educação. No ano seguinte, o índice caiu para 17,34%.Além de amargar o último lugar no ranking, o governo gaúcho está impedido de firmar novos convênios para receber dinheiro da União. As prefeituras também são obrigadas a repassar, no mínimo, 25% do orçamento para o ensino. Entre as cidades gaúchas, Porto Alegre foi a que menos destinou recursos para a rede pública em 2008: 16,99%. O governo Yeda e de Fogaça somam os gastos com o pagamento de professores aposentados na soma dos investimentos para garantor os 25 %, o que não é aceito pelo MEC. A terra guapa é a mais educada do Brazzzzilllllll. ahahahahahahhaha. AGORA VAI, VAI AO FUNDO.