11 de dez de 2008

Deputados pedem que Mendes não assuma no TJM

O deputado Dionilso Marcon e o deputado Elvino Bohn Gass (PT) se revezaram na tribuna da Assembléia Legilativa para exigir que o governo Yeda anule o ato de nomeação do coronel Mendes, para o Tribunal de Justiça Militar do RS. Marcon lembrou da perseguição de Mendes contra os movimentos sociais e da gravação em que o então sub-comandante articula nota junto ao jornalista Políbio Braga contra o MST. O petista acusou Mendes de se associar a um ladrão de merenda escolar, referindo-se a Chico Fraga , investigado na operação solidária na fraude de contratos de fornecimento de merenda escolar e processado pela justiça federal na operação Rodin. O deputado Elvino Bohn Gass fez relação ao grande de poder que Chico Fraga mantém no governo Yeda, mesmo após o seu indiciamento pela Justiça Federal e vê que essa relação de poder também pode chegar a outros indiciados , tais como Lair Ferst.

Assista o pronunciamento do deputado Marcon

Mendes caiu pra cima


No velho jargão da política, o coronel Mendes "caiu pra cima". A conversa do coronel com o secretário-geral de Governo de Canoas, Franscisco Fraga, (indiciado pela operação Rodin e investigado na Operação Solidária que investiga fraude em contratos de fornecimento de merenda escolar e de obras rodoviárias) revela que o "Chico" tem poder e influencia a governadora Yeda e o seu governo, ao contrário do que ele mesmo havia afirmado na CPI do Detran, na Assembléia Legislativa. Outro fato importante revelado, mas escondido pela "grande mídia" é alto nível de partidarização do comando da BM. Fica claro que Mendes é indicação do PSDB de Canoas pelos "serviços prestados". O que mais enoja a população é que esse mesmo coronel — que muito pau mandou baixar em professor e agricultor—foi nomeado para uma vaga no Tribunal de Justiça Militar, onde receberá um salário de r$ 22 mil reais mensais. Alías, Yeda gastou mais com o tribunal militar do que segurança pública (TJM 21 milhões x 14,5 milhões segurança pública).

Me digas com quem andas e te direi quem és

Minha avó já dizia: " me diga com com que anda e te direis que é" Na mosca !
A reportagem públicada em Zero Hora hoje (11/12) traz mais um capítulo da novela sobre as relações de poder entre o governo Yeda com os indicados na operação Rodin. A matéria publicada descreve trechos granpeados pela Policia Federal em que aparece as falas do coronel Mendes (subcomandante da corporação à época) pedindo para Chico Fraga (PSDB de Canoas) que fizesse articulações que pudessem influenciar na decisão da Yeda para ascender ao comando da BM. Mendes chega a pedir que Chico Fraga interceda junto ao jornalista Polibio Braga para que "bombe" o seu nome, usando o MST como bode espiatório sobre o episódio da ocupação da Fazenda Southall, fazendo se passar por impressindível.
Se o próprio comandante deve favor a indiciados da operação Rodin, imagina-se como ele deve ter retribuido esse apoio.
Foto: Eduardo Seidl