7 de out de 2009

Petistas são agraciados com o Mérito Farroupilha

Para comemorar os 20 anos da Constituição Estadual do Rio Grande do Sul, a Assembléia Legislativa promoveu uma sessão solene, na tarde desta quarta-feira (7), e concedeu aos deputados que elaboraram a Carta Magna a medalha do Mérito Farroupilha, maior distinção conferida pelo Parlamento gaúcho. Dos constituintes, o deputado Raul Pont (PT) é o único com mandato na atual legislatura.

Ao manifestar-se na tribuna, ele recordou que o voto contrário do PT à Carta não se constituiu numa afronta às demais bancadas e ao povo gaúcho. “Assinamos o texto, juramos cumpri-lo e respeitá-lo como decorrência direta da participação do processo”, frisou, ao salientar que, à época, a manifestação dos petistas teve o simbolismo da rejeição a um processo ilegítimo em sua origem. Adão Pretto, Selvino Heck e José Fortunati também foram representantes do PT no processo constituinte.

Adão Pretto não viveu para acompanhar a cerimônia comemorativa às duas décadas da Constituição Estadual. Ele morreu no dia 5 de fevereiro deste ano, deixando além dos nove filhos, nove netos e um bisneto, uma reconhecida trajetória de luta em defesa da reforma agrária e dos trabalhadores do campo e da cidade. Coube a seu filho, Edegar Pretto, receber, em seu nome, a medalha do Mérito Farroupilha. “O meu pai foi o primeiro agricultor que deixou a roça e assumiu uma cadeira na Assembléia. O grande legado que ele deixou foi o de ter quebrado o preconceito de que esses espaços não podem ser ocupados por pobres e por pessoas sem estudo. Diziam que um pobre que ocupa lugar importante passa para o outro lado. Meu pai desempenhou seus mandatos com competência e manteve-se fiel as suas origens. Prova disso foi o reconhecimento através do Prêmio Springer, concedido em 1987, em conseqüência do projeto do seguro agrícola, que virou lei à época do governo Olívio Dutra”, frisou Edgar Pretto.

Já o ex-deputado Selvino Heck é, atualmente, assessor especial da presidência da República. Para ele, a elaboração da Constituição Estadual gaúcha foi um importante momento histórico da política do Rio Grande. “A bancada do PT teve uma forte atuação. Os artigos que tratam da participação popular e da democrática tiveram o nosso empenho, portanto, trata-se de uma homenagem importante, justa e que nos deixa honrados”, assinalou.

Renan Kurtz e Éden Pedroso, constituintes pelo PDT, hoje são petistas e José Fortunati não está mais no PT.
Fonte: www.ptsul.com.br/Stela Valenzuela
Foto Marco Couto

A revolução tucana

Quem assistiu a entrevista de Yeda Crusius no Roda Viva dá a impressão de que o PSDB está fazendo uma revolução na gestão dos serviços públicos gaúchos. O quadro acima — investimento em saúde —mostra que a vergonha guasca não é só nos desvios de recursos públicos, mas também na falta de investimentos em áreas essenciais como a da saúde. O quadro acima revela o "cuidado" de Yeda com a saúde pública dos gaúchos (apenas 3,75%). O RS é o Estado que menos investe em saúde no Brasil e no orçamento de 2010 continuaremos a rankear o indicador dos governos estaduais de que menos investe em saúde pública.