4 de ago de 2010

Um pôr-do-sol maravilhoso, e só, infelizmente



Hoje fiz o papel de turista e percorri o centro da cidade de Porto Alegre como se fosse um visitante que conhece a Capital pela primeira vez. A sensação é terrível. O centro mais parece uma área degradada, suja, um local decadente, deixando para trás os ares de uma cidade moderna.

Acessibilidade ? esqueça ! Se você tiver alguma problema de locomoção seja permanente ou temporário, é bem provável que tenha que andar e disputar espaço com os carros, motos e ônibus pelo asfalto. No Largo Glenio Peres , onde transitam milhares de pessoas diariamente, o piso está todo solto e quebrado. O patrimônio público está a ver navios e basta caminhar pelas ruas para ver os monumentos abandonados e sujos, assim como a cidade como um todo.

Respeitar faixa de pedestre ? nem pensar. A começar pelos nossos bravos taxistas e motoristas de ônibus que fazem questão de te dar um susto e avisar: TE CUIDA.

A programação visual e a sinalização da cidade é tão confusa, incompleta e poluída que não tenho dúvida que se retirarmos tudo, pelo menos não vamos pegar o caminho errado. Não canso de afirmar que em Porto Alegre temos placas demais e sinalização de menos.

O quesito qualidade do asfalto é vegonhoso. Na avenida Mauá, por exemplo, a pavimentação mais parece um campo lunar, onde crateras e tampas de boeiros desniveladas concorrem com os sulcos profundos provocados pelo excesso de peso dos caminhões. Aliás, pra variar, vans, caminhões e lotações andam na maioria das vezes com motores mal regulados, despejando uma fumaça negra em quem anda pelo passeio mal cheiroso e cheio de placas faltando.

Ruelas apertadas com carros estacionados nos dois sentidos fazem a alegria dos guardadores de carro e deixam de cabelo em pé quem precisa entrar o sair da cidade. Ciclovias ? ahahahha, aí é pedir demais. Paradas de ônibus decentes (ahahahahahha) nem pensar. Semáforos a cada 50 metros e sem sincronia fazem a felicidade de quem precisa despejar toneladas de material promocional dentro dos carros. Há tantas outras coisas, mas para não dizer que não achei nada de bonito na cidade digo pra vocês: o Pôr-do-Sol da cidade é maravilhoso.

Bônus corrupção: esta é a nossa justiça

Não canso de falar que no Brasil uma das poucas instituições públicas que não são fiscalizadas pela população é o Poder Judiciário. Seus magistrados em seus colegiados mandam construir prédios nababescos, recebem super-salários, garantem aposentadorias integrais e, vejam só, até um bônus-aposentadoria para juizes corruptos. Vejam bem, aqui eu não estou criticando os servidores da justiça, mas sim os mecanismos administrativos e políticos construídos no judiciário para proteger os membros da alta corte.

No parlamento, a cada quatro anos, a população tem o direito de manter o tirar o seu representante. No executivo, se a gestão é ruim, a cada eleição é possível substituir o seu representante. Lamentavelmente, no judiciário, existe uma verdadeira caixa-preta em sentenças, e premiam com aposentadoria integral magistrados corruptos.

Segundo os jornais de hoje (04), foi a a primeira vez , que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) puniu com aposentadoria compulsória, um ministro de um tribunal superior. Paulo Medina, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), foi condenado por unanimidade pela participação em esquema de venda de sentença judicial em favor de bicheiros e donos de bingos. Outro bônus foi dado ao magistrado José Eduardo Carreira Alvim, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, que também recebeu a pena de aposentadoria compulsória.

Os magistrados não caíram por investigações internas do judiciário, mas devido as investigações da Polícia Federal, que culminaram no início de 2007 na Operação Hurricane. A PF afirma que Medina teria negociado, por meio de seu irmão, Virgílio Medina, o recebimento de R$ 1 milhão por uma liminar concedida em 2006 e depois cassada pela ministra Ellen Gracie, do STF. Com a liminar, foram liberadas 900 máquinas caça-níqueis que tinham sido apreendidas em Niterói.


Se um vereador, prefeito, ou até mesmo um deputado é condenado por cometer uma irregularidade, além de ser punido administrativamente e penalmente, ainda recebem um adeus da população e dificilmente conseguem nova eleição ou aos poucos vão sendo excluídos da política.


É vergonhoso saber que o Conselho Nacional de Justiça garantiru aposentadoria integral de R$ 25 mil reais para juiz corrupto. Isso é imoral, é vergonhoso, um escarnio com os trabalhadores que se aposentam com dois salários mínimos. Isso significa também que independente de qualquer ação criminosa que um magistrado possa cometera, seu futuro está garantido.