8 de out de 2009

Julgamento Popular: Yeda é culpada


Chamados a responder se a governadora Yeda Crusius (PSDB) é culpada ou inocente das acusações de corrupção apresentadas pela Justiça Federal, a população deu o seu veredicto: para 94% das pessoas que participaram do Julgamento Popular organizado pelo Comitê Fora Yeda ela culpada.

Ao todo, 92.520 pessoas participaram do processo. A opção culpada foi assinalada por 86.948 (94%), contra 4.626 (5%) da opção inocente. O número de votos brancos ou nulos foi de 946 (1%). O resultado final do julgamento foi divulgado na tarde desta quinta-feira 8, na Assembleia Legislativa do Estado, local onde, às 18h desta quinta, deve ser votado na comissão que analise o pedido de impeachment da governadora o relatório elaborado pela deputada Zilá Breitenbach (PSDB).

O pedido de impeachment de Yeda foi feito pelo Fórum dos Servidores Públicos Estaduais no dia 8 de julho. O pedido de afastamento da governadora foi aceito pelo Legislativo no dia 10 de setembro e a leitura da denúncia ocorreu cinco dias depois. O governo Yeda tem sido alvo de acusações desde a Operação Rodin, coordenada pela Polícia Federal, que apurou um esquema fraudulento em contratos de prestação de serviços feitos pela Fatec – Fundação de Apoio à Tecnologia e Ciência e da Fundae – Fundação para o Desenvolvimento e Aperfeiçoamento da Educação e da Cultura para o Detran.

Com o julgamento, o Comitê Fora Yeda demonstrou que o povo gaúcho não compactua com aqueles que não querem ver esclarecidos os fatos. Essa vontade também foi manifestada em pesquisa realizada pelo Ibope encomendada pelo Grupo RBS. O levantamento mostra que a maioria dos gaúchos (62%) aprovam o impeachment de Yeda, contra apenas 22% que se dizem contrários.

O governo estadual é reprovado por 64% dos gaúchos e o desempenho pessoal de Yeda é ainda pior: 74%. O desempenho dela é desaprovado por 79% dos porto-alegrenses e por 81% dos moradores da Grande Porto Alegre. No interior, a reprovação é de 70%.

Fonte: imprensa do CPERS/Sindicato

Foto: Roberto Vinícius

José Paulo Bisol recebeu homenagem na Assembléia

O ex-senador e ex-secretário estadual de Segurança Pública do Rio Grande do Sul, José Paulo Bisol, recebeu, nesta quarta-feira (7), a medalha Mérito Farroupilha, a mais alta distinção da Assembléia Legislativa do Estado, uma iniciativa do deputado estadual Elvino Bohn Gass (PT). A cerimônia ocorreu às 18h30min, na Sala Júlio de Castilhos, da Assembléia. Logo após, Bisol proferiu uma conferência na sala do Fórum Democrático. Durante sua passagem pela Secretaria de Segurança Pública, Bisol foi alvo de um massacre político e midiático. Suas posições em defesa dos direitos humanos, de combate à corrupção no aparato de segurança do Estado e de unificação das polícias foram atacadas dia e noite. Foi sucedido por José Otávio Germano, que assumiu a secretaria dizendo que, dali em diante, a polícia passaria a agir “sem freio de mão”. Germano é um dos acusados pelo Ministério Público Federal de integrar uma quadrilha que agia no Detran gaúcho.Mas a vida e a trajetória de Bisol são muito maiores do que esses episódios. São elas o principal objeto da homenagem.

www.ptsul.com.br

O limite da moralidade

Qual será o limite da moralidade do governo Yeda ? Segundo os deputados da CPI da corrupção, documentos comprovam o uso de dinheiro público na reforma da casa comprada pela governadora Yeda Crusius no final de 2006. Além dos pisos de borracha utilizados em garagens, foram encontrados móveis infantis que teriam sido colocados nos quartos dos netos da governadora. Não sei até que ponto isso pode ser legal, mas com certeza é imoral.