11 de jul de 2010

Comunicado Especial sobre Onda de Frio e Tempo Severo

A MetSul Meteorologia alerta para uma onda de frio extremo e potencialmente histórica que afetará o Conesul da América do Sul nesta semana, trazendo marcas muito abaixo da média histórica para grande parte do continente. A erupção de ar polar, que pelas projeções computadorizadas, pode ser uma das mais fortes desde o começo deste século, promete enregelar Argentina, Uruguai, Paraguai, parte do Brasil e da Bolívia durante os próximos dias. A onda de frio se dará em dois pulsos. O primeiro, agora entre segunda e a terça-feira, e o seguinte no final da semana, quando se espera um reforço de ar polar com ar ainda mais gelado do que no início da semana. Veja a projeção de temperatura no nível de 850 hPa (1500 metros) até o sábado (17/7).

O Hamlet de Pinto Bandeira

Recentemente estive em Pinto Bandeira, distrito emancipado de Bento Gonçalves na década de 90, mas que por decisões de uma Ação Direita de Inconstitucionalidade movida pelo Partido Progressita - PP fez com que em 2003 o STF determinasse o retorno do município para a condição de distrito.

A cidade (futura) é linda, acolhedora e o povo da mesma forma, mas senti a tristeza daqueleas pessoas ao conversar sobre a situação do ex-município. De cada dez pessoas que conversamos, onze só falam dessa situação, quase uma crise de identidade. Além da redução drástica de investimentos, em especial, aos dos recursos dos impostos gerados no distrito, agora repassados para Bento Gonçalves, e das Transferências Constitucionais, também há a questão psicológica do ser ou não ser. Um dos líderes do movimento para a emancipação definitiva do distrito é o advogado João Pizzio, que relatou o triste episódio em que centenas de proprietários de veículos tiveram que retornar ao Detran e ver arrancado o nome Pinto Bandeira das placas do seus veículos. Segundo ele, voltaram tristes e de cabeça baixa, como soldados que perderam uma guerra. Outra situação de abalo foi ter que devolver o título novo com a identificação de votante em Pinto Bandeira e receber outro com o nome de Bento Gonçalves.

Espero que essa situação jurídica e hamletiana se resolva o mais breve possível, pois o abalo psicológico e a crise de identidade daquelas pessoas é muito forte. Dá pra sentir apenas no olhar das pessoas que a situação não pode mais continuar. A única coisa certa, e serve de lição, é que partido político nenhum tem o direito de arrancar via judicial o direito do povo de decidir o seu próprio destino.