12 de ago de 2009

O povo gaúcho merece mais do que 'transparência"

Entrevista especial com Jacques Alfonsin - Jacques Távora Alfonsin é advogado do MST e procurador do Estado do Rio Grande do Sul aposentado.

"Por mais traumática que seja a situação do Rio Grande do Sul, a partir de agora, a apuração e a efetiva responsabilização de quantas/os serviram-lhe de causa, vai entrar para a história do nosso povo, seja como uma concessão à mais vergonhosa tradição política que nos vicia, tudo confiado ao tempo de esquecer, seja pela mais rápida apuração da verdade, com os efeitos que dessa sempre se esperam", afirma Jacques Alfonsin em entrevista concedida via email e telefone para a IHU On-Line.

Segundo ele, "o povo gaúcho merece mais do que “transparência”, palavra que vai entrar no vocabulário político do nosso Estado como significando seu contrário, se o tão valorizado “devido processo legal” mais não conseguir, no caso, do que, a pretexto de ser obedecido, sepultar, de novo, aquela esperança". Confira a entrevista.

Ei, você aí, me dá um dinheiro aí?

Essa é de filha para mãe (ahaahaha). A nota de rodapé da ação de improbidade administrativa contra a governadora Yeda Crusius + oito, movida pelo Ministério Público Federal denominou de “inusitada” a operação de crédito feita pela assessora Walna Vilarins Meneses. A super-assessora emprestou à governadora R$ 90,5 mil. Esse caso é semelhante ao do senador do PSDB, Artur Virgilio, que se socorreu de um empréstimo de U$ 10 mil junto ao ex-diretor da Casa, Agaciel Maia, para cobrir despesas extras de viagem a Paris. Na volta, o ilustre senador se socorreu de uma "vaquinha" com amigos para quitar a dívida. O que dá para perceber é que o PSDB está cercado de bons a$$e$$ores, tanto lá quanto aqui.