13 de set de 2009

Um circo de rins e fígados, por Marcos Rolim

Um belo artigo do jornalista Marco Rolin que vale a leitura.

Há uma peça de Gerald Thomas intitulada Um Circo de Rins e Fígados, na qual o protagonista recebe em sua casa caixas com documentos secretos e pedaços de um corpo humano. O que ocorre hoje no Brasil é que recebemos, pelos meios de comunicação, vísceras humanas, gestos despedaçados, discursos absurdos, pedaços de miséria política que, de tão frequentes, já não espantam. O que ocorre nestes dias na Assembleia Legislativa, por exemplo, é estarrecedor. Uma CPI formada para investigar graves denúncias de corrupção que implicam a governadora, além de gestores e políticos gaúchos, foi instalada com uma maioria comprometida tão somente em não permitir qualquer investigação. A mesma maioria se diz indignada com a decisão do presidente da AL, deputado Ivar Pavan, que acolheu o pedido para abertura de processo de impedimento da governadora – que será, ainda, submetido à apreciação do plenário. Nenhuma das pessoas apontadas pelo Ministério Público Federal na ação de improbidade administrativa é culpada antes que sentença definitiva assim o declare. Nenhuma pessoa com um mínimo de bom senso, entretanto, pode afirmar que inexistam indícios muito fortes de envolvimento, se não de todos, de vários dos implicados. O que se espera do parlamento, então, é que ele amplie as investigações, que traga mais depoimentos a conhecimento público, que produza novas informações. Por isso, os deputados que se esmeram em impedir a investigação desonram a função pública e deveriam responder por prevaricação.Convivi na Assembleia Legislativa com o deputado Ivar Pavan por oito anos e afirmo que Ivar é um homem honrado. Votei nas últimas eleições em Stela Farias e me orgulho desta escolha. Stela é uma mulher honrada. Saí do PT, sobretudo, porque não posso mais dizer o mesmo de todos os petistas, e porque o pragmatismo venceu a esperança, mas essa é outra história que não cabe aqui. O que me parece inaceitável é que posições como aquelas que Ivar e Stela sustentam quanto às investigações sejam tratadas como posturas particulares tão legítimas como a de seus críticos. Não o são e o Rio Grande deveria sabê-lo. Se não o dissermos claramente, degradaremos ainda mais a política. O PSDB deveria se desculpar publicamente pela grosseria que se permitiu em matéria de seu blog (http://psdbrs.blogspot.com/) intitulada “Arreios à mão para domar Stela”. Além de mentirosa do começo ao fim, a matéria insinua por seu título uma relação odiosa com as mulheres. Os responsáveis buscam na doma – relação que se mantém com cavalos – a imagem que consideram adequada para o tratamento com uma mulher, o que não diz nada sobre ela, mas muito sobre os responsáveis pelo blog. Devem imaginar que este tipo de metáfora os vincule às tradições gauchescas, o que é bem possível, tendo em conta a quantidade de grosserias abrigadas sob a aba mística e reacionária do tradicionalismo. Na verdade, entregaram ao Rio Grande apenas outra caixa com rins e fígados, suas próprias vísceras machistas, ignorantes e proponentes da violência.marcos@rolim.com.br


Enquanto ela trabalha eles a perseguem


Nossa mída dominical nos brinda com mais uma avalanche de "boas noticias" de yeda nesse final de semana. Segundo Zé H, Yeda reagirá ao Impeachment com obras e viagens (ahahahahhaa). A matéria vem até com reloginho digital (enquanto ela trabalha eles a perseguem)

Pelo que entendi no enunciado toda a bandalheira será combatida com meia duzia de obras "laranjas de amostra" de um governo que já está no seu final legal ? Sim ! porque politicamente já morreu há mais tempo. Pelo que resumi da matéria então é o seguinte: graves denuncias de corrupção e os indiciamentos da Policia Federal e do MPF se combate com obrinhas ?(quaquaquaquaquaqua). Esse então será o novo markentig adotado para mudar a imagem da governadora ? Muita mídia, muito bla bla bla e pouca ação concreta ?

Na região do vale dos vinhedos, na serra gaúcha, centenas de pequenos produtores de uva e de vinho estão à beira de cerrar às portas, pois o chamado novo Simples Gaúcho, adotado por Yeda e seus aliados, enquadram pequenos, médios e grande produtores de vinho numa mesma alíquota, colocando em xeque o futuro da agricultura familiar daquela região e a produção de vinhos. Se Yeda deseja investir o que ainda não investiu , poderia começar por fazer uma força tarefa para acelerar a reconstrução dos presídios que foram abandonados pelo seu governo e pelo seu antecessor, e que hoje são comandados pelas facções criminosas. Ou até poderia também recomeçar pela reforma das estradas que mais parecem um campo lunar, tamanha a buraqueira. Poderia voltar a investir na saúde pública, que a cada ano de seu governo bancou apenas 50% do que é determinado pela Constituição (12 %). Nossas escolas públicas foram abandonadas e poderiam ser relembradas por Yeda , pois nossos professores trabalham com a infraestrutura mínima.
Sobre a agenda da governadora, vão me desculpar, mas o que ela mais fez foi viajar, e a passeio, tendo como principais trechos (São Paulo, Brasília, Canela, e Estados Unidos). Em quase todos os casos para tratar de assunto particulares, descansar, tratar de sua defesa política ou rever parentes no exterior, isso quando não convidada a se retirar pela população.