27 de abr de 2009

Confirmado ! Gripe Suina no RS


Aahahhahaaah ! É o seguinte, como tô gripado e acordei com espirito de porco, então posso considerar que estou com a gripe suína que a grande mídia não para de transmitir e apavorar a população. Além, é claro, da "coitada" da Dilma que já está com o pé na cova segundo os grandes jornalões golpistas. pregaram centenas de preguinhos no caixão da ministra e o mesmo já tá guardado pra daqui alguns meses. Imaginem a governadora "eleita" Roseana Sarney que já estirpou mais de 50 cânceres do corpo e esta com uma aneurisma se fosse no caso da Dilma. Mas como o período é eleitoral (ahahaha) a gente dá um desconto pro pessoal.

Férias aos anjos da guarda do deputado Marcon

São impressionantes as imagens do acidente com o deputado Dionilso Marcon e seu assessor. Como disse o coordenador de imprensa da bancada do PT, João Ferrer: "tem que dar férias prolongadas aos anjos da guarda do deputado porque os caras trabalharam muito neste final de semana".




Alguém, finalmente, resiste

Vale cada centavo a aquisição da revista Carta Capital (edição 543) desta semana, principalmente porque traz na capa Joaquim Barbosa, primeiro ministro do Supremo a manifestar publicamente seu descontentamento com a atuação despótica de Gilmar Mendes.Outra matéria interessante é o dossiê elaborado pela revista sobre os embassados negócios do "empresário", Daniel Dantas. A edição on line liberou o conteúdo que produziu sobre Daniel Dantas e seus negócios nos últimos dez anos (alguém lembra da parceria Britto & Opportunity??). São mais de noventa textos, reportagens e editoriais de CartaCapital sobre o envolvimento de Dantas em transações em diversas áreas da economia nativa, em especial no setor de telecomunicações. A edição 543 também traz importante reportagem sobre ação que tramita no Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul sobre a cobrança de Royates pela multinacional Monsanto. Segundo a matéria, sindicatos rurais de três municípios, Passo Fundo, Sertão e Santiago, uniram-se para pedir na Justiça o reconhecimento do direito de reservarem e replantarem as sementes multiplicadas a partir das originais sem ter de pagar, novamente, royalties, taxas tecnológicas ou indenização. Também alegam que os valores cobrados pela empresa são abusivos. A ação reabre o debate sobre a interpretação da legislação sobre propriedade intelectual, a proteção dos agricultores e o livre uso da biodiversidade no Brasil.