10 de mar de 2010

Câmera cega ? eu já sabia !

Não consigo entender como uma cidade do tamanho de Porto Alegre não consegue manter suas câmeras de segurança em funcionamento. O município de São Leopoldo, por exemplo, possui quase o dobro desses equipamentos em pleno vapor. Hoje, esse tipo de equipamento, é quase um item de primeira necessidade nas grandess cidades, tanto para monitorar o trânsito quanto para fazer a segurança em metrôs, estações rodoviárias, shoppings e é claro, nas ruas.
Relatei nesse espaço que no ano passado o veículo de um colega foi furtado em plena Praça da Matriz, sob os olhos da deusa Themis (em frente ao TJ) e na cara de uma inútil câmera cega. Segundo ele, ninguém viu nada e o equipamento estava desligado. O resultado foi que seu veículo foi depenado e abandonado na zona leste da cidade.
Tanto Fogaça quanto Yeda lavam as mãos no quesito segurança pública, e no caso de Fogaça não adianta o prefeito posar para foto diante do Monumento do Expedicionário cumprimentando policiais uma semana após o tiroteio entre gangues na redenção que vitimou um adolescente para fazer a população voltar a circular com tranquilidade no parque, se Yeda, sua parceira de governo, não coloca policiais onde eles deveriam estar.
Infelizmente, no Rio Grande do Sul, a política de segurança pública não existe, e no caso da Capital, a falta de manutenção em câmeras de segurança deve ser de responsabilidade tanto da prefeitura quanto do governo do Estado. Aliás, não adianta Fogaça e de Yeda fazerem jogo de empurra-empurra pois são eles os gestores, infelizmente.