15 de jul de 2011

Nordeste é região que teve maior retorno de migrantes, indica IBGE

Um levantamento divulgado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) publicado nesta sexta-feira indicou que a migração entre regiões do país perdeu intensidade na última década. Destaque para os estados do Nordeste, que além de conter a população, voltaram a receber os cidadãos que haviam deixado seus estados e seguido em direção ao centro-sul do país.

Com base em dados da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) 2009 e dos Censos realizados em 2000 e 2010, o trabalho mostrou que houve um movimento de retorno da população às regiões de origem por completo em todo país. Apesar de ter acontecido em menor escala, a corrente migratória mais expressiva continua a ser entre o Nordeste e o Sudeste, respectivamente.

Durante o período entre 1999 e 2009, cerca de 4,8 milhões de brasileiros migraram entre estados e regiões do Brasil. Em 2009, os estados do Nordeste que tiveram uma migração de retorno mais expressiva foram Pernambuco, Sergipe, Rio Grande do Norte e Paraíba, que superaram os 20% do total de imigrantes, conforme o instituto.

Correntes migratórias
Para Antônio Tadeu Ribeiro de Oliveira, um dos pesquisadores do instituto, "além de apresentar menor migração, diminuindo o número de pessoas que saem, o Nordeste começa a atrair população, com uma rede social melhor. Enquanto isso, o Sudeste, que já não recebia mais tantas pessoas, passa a ser também emissor, não só de migrantes, como também de quem é originário e está deixando essa região".

Quando São Paulo e Rio de Janeiro começaram a receber menos imigrantes na última década, estados antes classificados com grande evasão começaram a perder menos população, como Piauí e Alagoas. Contudo, Bahia e Maranhão continuaram a ser classificados como regiões "expulsoras", porém também diminuíram o fluxo.

O estado que apresentou maior número de migrantes de retorno do país foi o Rio Grande do Sul, que teve diminuição na taxa na comparação com 2004. Entre a Região Sul, o Paraná passou a receber mais imigrantes. "Esse fenômeno de retorno também acontece em direção ao Paraná, mas em menor intensidade. São aqueles que haviam deixado o estado rumo ao Mato Grosso do Sul e ao Norte, em razão da expansão de fronteira agrícola, mas que começaram a retornar", afirma Tadeu Ribeiro.

Minas Gerais também surge entre os que mais receberam migrantes de volta. "Em Minas, houve uma inversão na corrente migratória, que antes saía com direção ao Rio de Janeiro, e agora retorna, muito por conta da crise no RJ e do crescimento mineiro", avalia o pesquisador.

Na conclusão do estudo, o fenômeno do retorno do país acontece por conta da "Saturação dos espaços do início da industrialização no centro-sul", que "reduz a capacidade de geração de emprego e de novas oportunidades ocupacionais, o que coloca o movimento de retorno na pauta das estratégias de reprodução e circulação dos migrantes".

Fonte: http://www.sidneyrezende.com

LULA LÁAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA