14 de jan de 2010

Multinacionais deveriam ajudar o Haiti

Ao ver a lista das quantias em dinheiro que alguns paises se propuseram a ajudar financeiramente na reconstrução do Haiti me daparei com valores irrisórios, com excessão do Brasil que destinou U$ 15 milhões de ajuda para aquele país. Algumas potências mundiais anunciaram a doação de apenas U$ 2,0 milhões de dólares. Para fazer um comparativo, apenas o casal hollywoodiano Brad Pitt e Angelina Jolie farão através da Fundação Jolie-Pitt a doação de U$ 1 milhão. Se somarmos o que a União Europeia, Espanha, Irlanda e Alemanha (todos com grandes e lucrativos negócios na América Latina e Caribe) doaram, os valores equivalem ao que o Brasil doará.

Pensando nisso, quanto será que as empresas multinacionais americanas, europeias, asiaticas e latinas poderiam doar para a reconstrução do Haiti, numa espécie de gesto de grandeza e ajuda humanitária ? Se pegarmos o faturamento anual na América latina e Caribe das empresas: Ford, Motorola,Nestlê,GMC,GessiLever,Hiundai,Gerdau, Mac Donalds,BMW,Citi Bank,Ferrari,Fiat ,Nokia, Santander,Honda, Wolkswagen, Adidas,Renaut,Pegeaut, seria possível fazer um grande aporte de recursos e de obras emergenciais naquele pequeno país.
Essas empresas, juntas, faturam milhões de dólares em apenas um mês de vendas de seus produtos e ou serviços por aqui. Não é justo que nesse momento essas grandes corporações se omitam e esperem apenas pelos governos. Na minha opinião, as multinacionais também tem a obrigação de contribuir com o país mais pobre do mundo, que agora foi devastado por um desastre natural. Imaginem se esse mesmo desastre fosse em qualquer outro país da região ou até mesmo no Brasil. Qual seria o papel e a atitude social das empresas citadas nesse caso ?