30 de abr de 2010

Nossa utopia que virou realidade


Ontem ao assistir o PIG se rendendo ao presidente Lula, escolhido pela revista americana Time como um dos 25 líderes mais influentes do planeta, lembrei de quanto a mídia nacional pisou , desqualificou, humilhou e tentou destruir a imagem de Lula junto ao povo brasileiro. Lula sempre foi tratado como o bêbado, o vagabundo, o que afundaria o Brasil.

Lembro que na década de 80 a idéia de eleger um trabalhador à Presidência da República era uma utopia, embalada pelos shows do Legião Urbana e a performance revolucionária de Renato Russo (eu estava lá). Lembro das nossas mobilizações estudantis e das campanhas políticas em que usávamos direto as charges do Henfil para enriquecer nossos revolucionários textos juvenis. Lembro da inflação de 80 % ao mês, dos fiscais do Sarney e do debate de Lula vs Collor na Globo em que a edição foi manipulada para favorecer Collor e derrotar o PT. Atravessamos o caminho das trevas de FHC e pela primeira vez transformamos sonho em realidade em 2002.

No entanto, esse sonho custou caro para milhares de brasileiros e brasileiras, muitos deles doaram suas vidas para construir a democrácia e a liberdade. Liberdade que muita gente hoje não dá bola. Transformamos nossa utopia em realidade e elegemos um trabalhador na condição de Presidente da República, no entanto, muitos não tiveram a alegria de ver esse sonho.

Ontem, ao assisitir o presidente Lula pela TV, e hoje, ao ler os jornais matinais do PIG, não pude esconder a satisfação de ter ajudado a concretizar esse sonho.

A UTOPIA DA MINHA GERAÇÃO TRANSFORMAMOS EM REALIDADE, MAS A TAREFA DE CONTINUAR ESSE SONHO ESTÁ NAS MÃOS DA JUVENTUDE, COM A MISSÃO AINDA MAIS IMPORTANTE: NÃO VOLTARMOS AOS CAMINHOS DAS SOMBRAS.

27 de abr de 2010

Agergs: MP ajuiza ação contra conselheiros

A Promotoria de Defesa do Patrimônio Público de Porto Alegre ajuizou, sexta-feira, 23, ação civil pública de responsabilidade por ato de improbidade administrativa contra os conselheiros da Agergs, Ricardo Pereira da Silva e Guilherme Socias Villela. Ambos são acusados de pressionarem uma servidora pública a omitir e tergiversar em depoimento perante à CPI dos Polos Rodoviários na Assembleia Legislativa, bem como de tentar fazê-la desistir do ato.

Por não ceder às pressões e ter prestado declarações à CPI, a servidora acabou respondendo sindicância, conduzida de forma tendenciosa, com desvio de finalidade, em um intuito persecutório indevido. Assim, também respondem por improbidade os sindicantes e conselheiros Manoel Maria dos Santos e Pedro Bisch Neto, além da diretora Jurídica Rosa Maria Campos Aranovich.

Ressalta a Promotoria que Socias Villela, aproveitando-se da condição de conselheiro da Agergs, aprovou a conversão da sindicância em processo administrativo disciplinar para demissão da servidora quando, naquele expediente, estava impedido de julgar por ter atuado como testemunha.

Em 2007, os fatos enfocados tiveram repercussão da mídia em face da gravação das conversas mantidas entre a servidora e os conselheiros, reproduzindo as pressões sofridas para não falar sobre matérias internas da Agergs na CPI dos Pólos Rodoviários.

Os demandados incidiram no art. 11, “caput” e inciso I, da Lei nº 8.429/92 (Lei de Combate à Improbidade Administrativa) e estão sujeitos às sanções do art. 12, inciso III, da mesma Lei.

Fonte: http://www.mp.rs.gov.br/noticias/id20977.htm

Agergs: a guerreira Denise Zaions

A ex-diretora de Qualidade da AGERGS Denise Zaions, testemunha na CPI dos Pedágios em 2007. Antes mesmo de depor na CPI Denise foi coagida a não ir depor ou, se fosse, que se calasse sobre uma votação ocorrida em 2004 que mutilou a verificação do PECR, retirando da análise tudo o que poderia beneficiar os usuário e que poderia apontar o superfaturamento das concessionárias. Mas Denise não cedeu as pressões e falou, simplesmente, a verdade.

Falou que as concessionárias não cumpriam os contratos na parte da qualidade, que a sociedade gaúcha ficou sem a efetiva fiscalização financeira das concessionárias e provou com gravações que havia sofrido pressão do Conselheiro Ricardo e do Conselheiro Villela para omitir a verdade ou,então, não ir depor . Com isto Denise desagradou profundamente os interesses privados que dominam a AGERGS.

Como conseqüência Denise foi imediatamente destituída da Diretoria e, como se isto não bastasse, a saga persecutória foi bem além. A AGERGS, através de seus Conselheiros, Pedro Bisch Neto, Manoela Maria e da Diretora Jurídica Rosa Aranovich orquestrou um sindicância, comprovadamente, inquisitória em que Denise sequer pode se defender.

A conclusão da sindicância foi unânime em enquadrar Denise, dentre outros, em sabotagem contra o serviço público requerendo a demissão de Denise sob o título “A bem do Serviço Público” – Denise é servidora de Carreira tendo obtido o 1º lugar do concurso de Economista, foi Diretora de Tarifas, Conselheira e Diretora de Qualidade da AGERGS. Tal conclusão foi acolhida por todo o Conselho da AGERGS incluindo, obviamente o Sr. Villela que fez questão de votar pela abertura de inquérito para demitir a servidora.

No entanto, o tempo sempre favorece quem diz a verdade e se arrisca pelo interesse público. No início desse ano o TCE fez uma auditoria operacional que comprovou o alerta feita por Denise em 2007: as concessionárias investem menos do que deveriam na qualidade do pavimento e da sinalização e, por isso, esse valor dever ser deduzido da suposta dívida do estado para com as concessionárias e beneficiar os usuários, além disso, está comprovado o superfaturamento das concessionárias em vários itens de custo, chegando a valores acima de 200% do custo de mercado ( todos esses elementos fundamentam reduções tarifárias significativas).

Isso é pra pedir indenização milionária contra o Estado


Charges sobre o terreno da Fase





Esses índios ambiciosos

Fiquei com nojo do título utilizado por Zé H no sábado (24) passado para tratar de uma possível criação de reserva índigena na área destinada à Ford, em Guaíba. Com o título cobiça índigena o jornaleco alerta para um possível estudo de criação de reserva patrocinada pela Fundação Nacional do Índio (Funai) no terreno. Com o objetivo claramente eleitoral o PIG e sua irmandade reaviva politicamente o terreno da Ford e não perdoa nem mesmo os índios que vivem na beiras das estradas.

Aliás, chega dar dó em ver nas rodovias os acampamentos índígenas com dezenas de crianças brincando no limite do asfalto. Quem conhece a nossa história sabe que, desde o descobrimento do Brasil, o povo índigena além de ter sido explorado e roubado, por fim foi exterminado aqui e em nosso continente. A cobiça por ouro, prata e madeira exterminou mais de 160 milhões de indios nesses últimos 500 anos.

A prova de que realmente esse povo precisa de um lugar está na coluna política do PIG. Hoje (27) em Zé H nossa abelha rainha lança seu ferrão contra os índios "Os acampamentos indígenas às margens da BR-116, entre Guaíba e Camaquã, são empecilhos à duplicação da estrada, obra prevista no PAC." A palavra empecilho está interpretada dessa forma: Aquilo ou aquele que empece, que apresenta um obstáculo, que impede, estorva.

Sobre o terreno do Ford, todos nós sabemos que foi FHC e ACM que tiraram a fábrica daqui quando reabriram o já encerrado processo de guerra fiscal para instalação da fábrica, numa clara jogada política para desgastar o govenro do PT no RS. Aliás, a maior parte dos engenheiros das fábricas de automóveis não são daqui. Conheço um italiano, o Paolo, que veio para o RS especialmetne para projetar alguns sistemas automatizados da fábrica da GM. Ele recebeu em euros e sua conta é na itália. A nós caberá ficar com a sujeira,os detritos e garantir milhões de reais em incentivos para que empresas como a Ford e a GM possam lucrar e bancar o deficit público americano.

Engraçado que o PIG não fala da não duplicação da Aracruz que Yeda anunciou e não saiu. O povo gaúcho é povo mais politizado do Brasil (ahahahahhahaha)

26 de abr de 2010

A grande irmandade

No sábado o Partido Progressita (PP) realizou sua pré-convenção no teatro Dante Barone, na Assembleia Legislativa. Na fachada do prédio havia um gigantesco estandarte com o símbolo do partido. O centro da sigla foi substituído pela foto de Ana Amélia Lemos, pré-candidata ao senado pelo partido no Rio Grande do Sul.

Essa imagem me fez relembrar minhas aulas de semiótica na faculdade, onde aprendemos a interpretar os signos e os ícones. No caso do ícone Ana Amélia estampada no lugar do signo do partido há uma relação direta de semelhança entre ambos e o que representam.

Para os mais jovens que ainda não sabem, o atual PP era a Aliança Renovadora Nacional (ARENA) o partido da ditadura militar no que restara do combalido Congresso Nacional. Após a abertura democrática, por necessidade de sobrevivência, a sigla se camuflou e se tornou o PDS. Se você hoje pode sair à noite, se reunir em grupos (galeras), votar e protestar nas ruas ou até mesmo pela internet, agradeça ao fim da ditadura militar.

Mesmo com outra roupagem, mas com o mesmo conteúdo, a minha geração pós-ditadura foi denunciando os lobos em pele de cordeiro e dando o troco nas urnas. Aos poucos o PDS foi perdendo representação eleitoral e novamente foi obrigado a trocar de pele , tornando-se o atual Partido Progressita (PP). Além do PP, os velhos coronéis da política nacional criaram o PFL, também filho da Arena, e que para sobreviver se camuflou, e hoje é o DEM de Agripino Maia e ACM Neto.

Passados quase 25 anos do fim da ditadura, outras gerações começam a ser protagonistas nessas eleições, mas estas pouco sabem do passado destas agremiações políticas que representaram o atraso econômico e social de nosso país mais mais de duas décadas. Aproveitando isso, em 2010, o PP, na minha opinião, aposta todas suas fichas no refortalecimento de suas bancadas na Assembleia, na Câmara e principalmente no Senado, garantindo com isso os interesses das elites e dos governos, sejam eles quais forem.

O ícone da imagem de Ana Amélia fincada no centro da sigla partidária do PP na pré-convenção só demonstra que para nossas elites não importa o partido, não importa a sigla e nem mesmo a pessoa. Importa sim é que defendam os interesses da bancada ruralista, do agronégocio, do PIG e de grandes setores neoliberais da economia nacional. Eles são antigos irmãos da ditadura e membros de uma mesma família, mas que em época de crise (para eles) e principalmente nas eleições se unem em irmandade na busca de ícones que os representem, e que sejam afinadas com seus projetos.

24 de abr de 2010

Serra é o mais preparado para....

Atordoado com as últimas pesquisas, o deputado federal Ciro Gomes (PSB) afirmou em entrevista que o tucano José Serra é o mais preparado para governar o Brasil. Claro que o PIG já estampou na capa a declaração Tombistoniana de Ciro Gomes, que provavelmente já não apareça na relação das próximas pesquisas eleitorais. Mas em parte eu concordo com ele e digo que Serra está preparado para governar o país, mas para as elites, assim como fez seu companheiro de partido, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso.

Ontem, ao assistir os noticiários vi uma reportagem sobre a bancarrota da Grécia e o caos econômico vivido naquele país devido a crise financeira neoliberal de 2008 e 2009. Pois bem ! O remédio amargo que o povo de la vai experimentar é o mesmo que nós brasileiros tomamos durante décadas sobre o comando dessa corja que afundou o país e estampa manche nos jornais.

Nós brasileiros, nunca estivemos tão felizes e de bem com o nosso país, e com uma alto auto-estima. E isso apenas foi possível no governo do PT de LULA e de DILMA, que em apenas sete anos fez o que a turma de Serra não foi capaz de fazer em 50 anos.

Serra está preparado para governar para as elites podres e carcomidas de nosso país; Preparado para baixar a cabeça para a política norte-americana; preparado para garantir ao agronegócio milhões de hectares de terra, enquanto que para os pequenos sempre será o descaso; Serra está preparado para garantir aos grupos transnacionais nossas reservas de minério gás e petróleo e é claro,voltar a fazer plataformas de petróleo em Cigapura.

Quem acredita no PIG já viu gnomos e fadas

23 de abr de 2010

Gilmar Mendes, já vai tarde!


Hoje, 23 de abril, o atual presidente do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, deixa o cargo. Acaba assim os seus dois anos de mandato na Presidência do STF, período em que a máxima Corte de justiça do país se assemelhou mais a um fórum de opiniões políticas que a uma Casa Judiciária. Entre as diversas mazelas do período Gilmar estão a abolição da Lei de Imprensa, o que tornou o Brasil o único país do mundo sem uma legislação de regulação do setor e o fim do nosso diploma de jornalista como exigência para o exercício profissional.Desde o fatídico dia 17 de junho, data da votação contra o diploma, magistrados e juristas têm se posicionado pela revisão dessa decisão. Mas Gilmar Mendes, por onde passa, procura debochar da categoria,como fez recentemente no Ceará.

As obras-papel de Yeda


O PIG nacional e o guasca adoram fazer levantamentos da execução do PAC do governo Lula pelo Brasil e cobrar a conclusão de obras monumentais como se fosse num passe de mágica. Desafio meus colegas de profissão a fazer a mesma prospecção nas obras anunciadas pelo governo Yeda que ainda não sairam do papel. Ontem, ao passar pelo Centro Clínico da Brigada Militar, ao lado do Hospital Militar, na zona sul de Porto Alegre ,vi uma imensa placa de propaganda do governo Yeda anunciando a execução da reforma do local. No entanto, essa placa já está há três meses e nada de operários , só mato e capoeira (foto). A miopia do PIG guasca é política, pois seus olhos são bem grandes quando o tema é obras do governo federal.

21 de abr de 2010

Presente de Aniversário para Brasília

Eu gostaria que todo o brasileiro tivesse o direito de conheçer Brasília, de conhecer o Congresso Nacional, e passear pela bela e inteligente arquitetura oferecida pelo brilhante urbanista Lucio Costa e pelo arquiteto Oscar Ribeiro de Almeida de Niemeyer Soares Filho. Outro atrativo, pra quem gosta (ahahha), é conhecer o povo daquele lugar, uma mistura bem nacional que a gente já começa a gostar quando coloca os pés naquela terra. Brasília, ao contrário de PortoAlegre, é uma cidade iluminada, cosmopolita e que até já tem congestionamento e semáforo (ahahahhah).

O que importa é que o Brasil ainda é uma criança que engatinha rumo a democracia plena, e todos nós temos orgulho de um país continental que avança na cultura, na economia e no social. O espurgo de Arruda e de sua quadrilha foi uma espécie de presente, uma benção de Aniversário, que o povo daquela cidade recebeu ao completar 50 anos. Parabéns ao a todos o povo e aos meus amigos e amigas que adotaram essa terra como sua.

Akcent - Stay With Me (Edward Maya Extended Club Mix)

Edward Maya - Stereo Love

Lady Gaga - Poker Face

Moby - Extreme Ways

20 de abr de 2010

Tarso Genro (PT) em primeiro lugar, com 36,2%

O Partido Progressista (PP) do RS apresentou nesta segunda-feira os resultados de pesquisa encomendada ao IIP Instituto de Pesquisas (Index) sobre as intenções de voto dos gaúchos para a presidência da República, Senado e governo do Estado. Na induzida, para a presidência da República, José Serra (PSDB), obteve 40,3%; Dilma Rousseff (PT), 30,5%; Ciro Gomes (PSB), 9,9% e Marina Silva (PV), 6,9%. Os indecisos totalizaram 6,1%. E os sem resposta 6,5%. A margem de erro é de 2,6 pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 8130/2010. O levantamento foi feito entre os dias 8 e 10 de abril com 1.500 entrevistados.

Para o governo do Estado, a induzida apontou Tarso Genro (PT) em primeiro lugar, com 36,2%, seguido por José Fogaça (PMDB), com 28,3%, e Beto Albuquerque (PSB), com 11,3%. A governadora Yeda Crusius (PSDB), que deve tentar a reeleição, ficou com 9,1%. E o candidato do PTB, Luis Augusto Lara, com 3,8%.

Para o Senado, Paulo Paim (PT), obteve 60,6%. Em seguida, vem Germano Rigotto (PMDB), com 53%; Ana Amélia Lemos (PP), com 41,4%; Vicente Bogo (PSDB), com 9,2% e Luiz Francisco Corrêa Barbosa (PTB), com 8%. Os percentuais para o Senado totalizam mais de 100% porque os entrevistados escolhem duas vezes, já que o RS elegerá dois senadores nas eleições deste ano. O levantamento mediu também a rejeição aos candidatos.

Para o governo do Estado, Yeda foi quem apresentou o maior índice de rejeição (47,1%). Genro teve 9,9% e José Fogaça 5,6%. Lara 3,6% e Beto 2,3%. Na questão específica sobre a avaliação do governo Yeda, 44,7% dos entrevistados o consideraram como ruim ou péssimo e 19,2% como bom ou ótimo.

Fonte: http://www.psbcaxias.org/?p=437

Terreno da Fase vale no mínimo o dobro

Nas terças-feiras a Comissão de Constituição e Justiça da Assembleia Legislativa segue o rito de votação dos pareceres de projetos que tramitam na Casa. Nos últimos tempos, projetos polêmicos como o da extinção do Tribunal de Justiça Militar ou do plebiscito sobre os pedágios nas estradas estão parados há mais de ano. No entanto, o projeto que permite a permuta da área de 73 hectares da Fase, próximo ao estádio Beira-Rio (uma das sedes da copa do mundo), tramita em ritmo acelerado e tem o apoio de muitos deputados.

Agora os parlamentares da base de Yeda (PMDB, PP, PPS, PTB) já admitem que a área vale R$ 79 milhões, valor bem superior ao da permuta oferecida pelos "empreendedores". No entanto, o local, após obras viárias e de infraestrutura que serão realizadas pelos governos para receber a copa do mundo farão duplicar o triplicar o valor do terreno em menos de cinco anos. Os empresários já sabem do potencial da área e colocam um bode na sala para tentar fazer com que a área não tenha a valorização que realmente tem, alegando restrições ambientais. Tudo balela, se o projeto fosse aprovado do jeito que o governo Yeda mandou, provavelmente o local seria repassado por apenas um décimo do valor que já "descobriram". Como a consultoria foi contratada pelo governo Yeda, entendo que o terreno vale pelo menos o dobro ou o triplo do valor.

19 de abr de 2010

www.nãosomosnada.com.br by Jon Pall Vilhelmsson/ AP


Dobradinha no Senado

Cantei a pedra ainda no mês passsado que seria bem possível que Ana Amélia e Rigotto fizessem uma dobradinha informal para o senado com o objetivo de tirar a vaga de Paulo Paim. Pois Bem ! parece que a estratégia está sendo discutida formalmente pelos dois partidos.

Essa lenga-lenga de apoio de lideranças de outros partidos ao senador Paulo Paim termina logo que começar a propaganda eleitoral e a campanha propriamente dita. Tanto Germano Rigotto como Ana Amélia são representantes oficiais do PIG, do agronegócio e das elites gaúchas. Se o PT não fizer nada vai perder a vaga ao senado no dia 3 de outubro, podem apostar.

17 de abr de 2010

O pacificador, o motoboy e o estudante

Quem mora na Capital sabe como foi que o velho e surrado discurso de pacificador de José Fogaça e a ladainha do " fica o que é bom e melhora o que é ruim" , transformou Porto Alegre numa cidade suja, mal iluminada e mal tratada. Seus aliados (PTB, PPS, PSDB, PDT, PP) transformaram as repartições públicas da Capital numa verdadeira Babel, cada um com seus interesses, e se lixando para o cidadão e o patrimônio público.

A morte estupida de um estudante numa parada de ônibus, vitima de uma descarga elétrica, e o recapeamento malfeito que matou o jovem motoboy Leonardo da Silva Delgado, são apenas dois lamantáveis exemplos de que a população precisa ficar atenta aos sucessivos estelionatos eleitorais praticados no Rio Grande do Sul.

O PIG não fala, mas o caos no sistema prisional, o abandono total dos programas sociais e a falta de investimentos em saúde e educação têm relação direta com o discurso "pacificador" das últimas eleições. Tanto de Yeda (PSDB) quanto Rigotto (PMDB), que ao vencer a disputa, eleitoral, fez como Antônio Britto: abandoram o povo e priorizaram os investimentos do estado nos projetos das elites e nos que menos precisavam, abandonando às periferias.

Pelo visto, a paz praticada por essa gente é a do cemitério, lugar onde dois jovens estão neste triste momento histórico de nosso estado.

16 de abr de 2010

Penitenciária de Caxias: cabeça vazia, oficina do diabo

Existe um velho ditado que diz que cabeça vazia é oficina do diabo, e vale muito para nosso falido sistema prisional gaúcho. Ontem fiquei impressionado com o relato dado pela juíza da Vara de Execuções Criminais em Caxias do Sul, Sonáli da Cruz Zluhan ao presidente da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia da Assembleia Legislativa, deputado Dionilso Marcon (PT) sobre a atual situação da Penitenciária Regional de Caxias do Sul (Percs).

Segundo a juiza, a Penitenciária Regional de Caxias do Sul (Percs) não é modelo em lugar nenhum do mundo. Lá o preso fica fechado na cela por 22 horas, sem trabalho prisional e com poucos agentes penitenciários. Além disso, os presos não têm direito a nada do que foi planejado para aquela penitenciária: trabalho prisional, educação e área de convivência

O mais grave, segundo ela, é que o preso fica 22 horas na cela sem fazer nada, proibido de fumar, assistir uma TV e sem rádio. Como o pátio não é murado e não tem agente, os presos vão de forma escalonada para o pátio, só uma hora por dia, e não podem fazer nada no pátio além de caminhar. Segundo Sonali, são poucos agentes penitenciários e o preso está sempre tensionando a relaçãocomos agentes. Para ela, o preso tem que ter trabalho e receber uma ocupação

Outro fato grave são as falhas no projeto da penitenciária. O projeto inicial tinha áreas de convivência, sala de estudo e refeitório para o preso, mas nada disso foi executado. Hoje o preso continua a comer dentro da cela e sem talheres.

O mais grave de tudo foi o que ouvi de um militar ontem sobre a real situação da penitenciária: As galerias da Percs estão falando a mesma língua. Para que entende da área de segurança não precisa falar mais nada.

15 de abr de 2010

Audiência discute criminalização dos movimentos socias em Caxias

A Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Câmara Federal está em Caxias do Sul em audiência pública para discutir a criminalização dos movimentos sociais, em especial, pela violência empregada pelo governo Yeda contra os trabalhadores que protestavam na frente da empresa Implementos, do grupo Randon. Na ação promovida pela BM o vereador Assis Melo (PCdoB) foi brutalmente espancado e agredido. Estão presentes no encontro o procurador Carlos Cezar D'Elia, representando a Procuradoria Geral do Estado (PGE), os deputados federais Pepe Vargas e Iriny Lopes, o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia, deputado estadual Dionilso Marcon , a deputada estadual Marisa Formolo do PT e a deputada federal Manuela D´Avila, do PC do B. Também na audiência representantes dos movimentos sociais, Cpers, movimento sindical ,centrais sindicias, vereadores e lideranças políticas. A Brigada Militar não mandou representantes.

14 de abr de 2010

Pra vc:Gipsy Kings - Un Amor

Pra vc: Surviver

Pra vc: Moby go live

Porto Alegre já tem a parada da morte


No dia 18 de março do ano passado ocorreu um protesto muito criativo em Porto Alegre para denunciara a má conservação das estruturas que abrigam os passageiros de transporte coletivo da Capital. Um galinheiro foi montado em frente a uma parada de ônibus para chamar a atenção da população .

Hoje (14), passado um ano, além de continuar sendo um verdadeiro galinheiro nossas paradas de ônibus, o jovem Valtair Jardim de Oliveira, de 21 anos, aluno da escola estadual Paula Soares, morreu eletrocutado ao encostar-se em uma parada de ônibus na noite de terça-feira, no centro de Porto Alegre. O acidente ocorreu por volta da meia-noite, na Avenida João Pessoa, próximo à Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs).

Pelo que foi apurado, no dia 28 de março (dia em que Fogaça se despediu dos porto-alegrenses), a EPTC foi alertada sobre os choques na parada de ônibus e nada foi feito.

Cada povo tem o governo que merece

Guerra virtual: Portal do PT volta ao normal após ação de invasores

Do portal www.pt.org.br

O portal do PT esteve indisponível por mais de 24 horas e somente retornou à normalidade na tarde desta terça-feira (13).

Após as análises realizadas pelo suporte técnico da página, concluiu-se que o portal sofreu uma "inserção de iframes maliciosos em diversos arquivos, com extensão .html e .php". Um iframe é uma seção de uma página web que carrega o conteúdo de outra página ou site.

Segundo os técnicos, os invasores "injetam iframes maliciosos em uma página web ou em outro arquivo do servidor HTTP. E na maioria dos casos esses iframes são configurados para que eles não aparecam na página web quando alguém faz a visita, mas o conteúdo malicioso que está no iframe acaba sendo carregado".

De acordo com a conclusão técnica, parte dos arquivos que compõem o portal do PT sofreram "a inserção do código suspeito no dia 12 de abril de 2010 às 3h05". A ação foi realizada com a utilização de acesso indevido e a sua origem deverá ser apurada.

Foram realizados trabalhos de "limpeza" de todos os arquivos, não tendo sido registrados danos aos sistemas básicos dos servidores do portal. O portal está recuperado e funciona normalmente.

Com relação aos usuários que acessaram o portal PT, os técnicos afirmaram que é aconselhável que eles adotem as medidas cabíves de varredura de suas máquinas com a utilização de softwares antivírus.

Dentro em breve também serão normalizados os acessos ao portal, através do Firefox e também com relação aos serviços de busca no Google.

O secretário nacional de Comunicação do PT, André Vargas, lamentou o ocorrido. "É lamentável essa ação de desocupados na rede de computadores. É coisa de gente que não gosta do PT", afirmou.

Vargas também comentou as suspeitas levantadas desde ontem de que o incidente estivesse ligado a uma "guerra suja na internet", deflagrada pelos aliados do candidato tucano José Serra. "Esperamos sinceramente que a candidatura adversária não esteja estimulando este tipo de comportamento. Isso seria péssimo para a democracia", enfatizou.

13 de abr de 2010

Ataques virtuais, a guerra começou


Centenas de blogs de esquerda, e , é claro, o site do PT, foram atacados virtualmente nas últimas 24 horas. O site do PT está fora do ar e vários outros foram atacados durante o dia. Recomendo a máxima atenção e não deixem de trocar suas senhas sistematicamente. Na sua casa atualize o antivirus e scaneie semanalmente, e muito cuidado com o links de "amigos" do MSN. Loiras magníficas, morenas estonteantes, correntes sagradas querendo te adicionar, pode apostar, é chicana . A partir de agora serão constantes os ataques, e ninguém está imune.

12 de abr de 2010

A buraqueira e o Déficit Zero de Yeda


Os reflexos da política do déficit zero de Yeda são sentidos diariamente pelos usuários nas rodovias gaúchas. A RS 118, artéria que liga a Região Metropolitana, está entupida e doente pela quantidade de buracos e sulcos no asfalto que podem engolir até mesmo um veículo pequeno. No interior do Estado, além da buraqueira nas rodovias estaduais, o mato e a macega tomam conta dos canteiros. Entre Nova Prata e Nova Araça a gente tem que escolher em que buraco vai cair, e à noite aquilo vira uma roleta russa. Coitado dos caminhoneiros que precisam utilizar as rodovias estaduais do déficit zero de Yeda e de seus aliados (PMDB, PTB, PP,PPS).

Cotiporã precisa de asfalto


No sábado, por compromissos profissionais, tentei continuar a subir a serra pela rodovia 470 que liga Bento Golçalves a Veranópolis, Vila Flores e Nova Prata. No entanto, não me foi possível seguir por essa importante ligação asfáltica. Esta ficou interditada por 27 horas, eu disse 27 horas, devido a um acidente ocorrido com um caminhão que levava carga tóxica (metanol), fazendo com que centenas de carros, caminhões e motos seguissem a única alternativa existente: seguir pelo interior de Bento Gonçalves via distrito de Faria Lemos indo ao município de Cotiporã. Ocorre que o trecho entre esse município e Bento Gonçalves, lamentavelmente, não possui acesso asfáltico por cerca de 12 quilômetros. Era um mar de poeira e a sorte que a estrada estava boa, mas precisa de asfalto urgente. O local é uma grande alternativa de transporte viário para vários municípios da região serrana, além de possuir cenários maravilhosos cercada de vales e montanhas.

Entendo que as comunidades de Cotiporã, Veranópolis e Bento Gonçalves deveriam se unir com o objetivo de buscar dos governo Estadual o acesso asfáltico para esse município, pois, com certeza, acarretará em benefícios para a indústria, comércio e com certeza o turismo.

11 de abr de 2010

O Brasil pode mais, mas não com Serra

Ontem, no lançamento de Serra a pré-cadidato à Presidencia da República, o seu maior cabo-eleitoral, o ex-presidente Fernando Henrique disse que o Brasil pode mais, fazendo alusão que Serra pode superar a gestão Lula/Dilma e que nos últimos tempos viajou pelo país em busca de obras do governo Lula e que não encontrou nada. FHC afirmou ainda que cumpriu o que prometeu e que tudo o que está ai no governo Lula, foi plantado no governo dele (ahahaha).

Bem ! se fosse assim, seria só multiplicar por três e , então, o dolar estaria em 12 reais, a taxa de juros em 78%, a taxa de desemprogo em 30% e o patrimônimo público todo dilapidado. FHC pode não ter achado as obras do governo Lula, mas o povão achou e é por isso que a cada pesquisa, Lula bate recorde de aprovação popular, passando o patamar dos 80%. FHC não enxergou as 14 Universidade Federais, a expansão dos cursos técnicos, o prouni, as milhões de casas populares construidas ou financiadas, o bolsa-família, o Fome Zero, novas estradas, novos portos e aeroportos, isenção de impostos e por ai vai.

O Brasil pode mais mesmo, mas não com o afilhado de FHC

9 de abr de 2010

Aço aumenta 22% em um ano, culpa de quem ??

O governo Federal está de olho no preço do aço nas siderúrgicas para evitar que a matéria-prima aumente ainda mais e pressione a inflação. Segundo o ministro Mantega, a alta nos preços do produto não se justifica porque as usinas vinham com capacidade ociosa desea crise neoliberal de 2008. Mantega avisou que não permitirá inflacão no setor.

Empresários que utilizam o aço como matéria-prima seus produtos (eletrodomésticos, construção civil e veículos) pediram que o governo reduza a zero o imposto de importação do aço. Segundo o presidente da Associação do Aço do Rio Grande do Sul, José Antônio Martins, classificou como “exorbitantes” alguns aumentos no preço do aço praticado por usinas que fornecem o produto. Segundo Martins, desde o final do ano passado, a alta acumulada do produto já passa de 22%.

Grande parte dessas usinas, tanto aqui quanto lá fora, estão nas mãos do grupo Gerdau e de seus sócios no exterior (cartel), essa mesma multinacional possui participação acionária majoritária em várias empresas de siderurgia na América Latina e Estados Unidos. Ou seja, a turma do aço quer descontar o prejuizo da bancarrota de 2008 nos bolsos dos brasileiros, haja vista, que todo o custo é repassado ao consumidor final. Com a palavra o cartel do aço.

8 de abr de 2010

Selo Fiscal para Vinho


O ministro da Fazenda, Guido Mantega oficializa hoje (08), na Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs), o selo fiscal do vinho gaúcho. A decisão, segundo o governo, deverá garantir mais qualidade ao produto local e coibir a informalidade do setor (leia-se contrabando). O selo era uma reivindicação das entidades vitivinicultoras do Estad, no entanto, muitas empresas familiares estão apavoradas com a decisão e entendem que o selo inviabilizará a produção artesanal.

O deputado Dionilso Marcon (PT) juntamente com o diretor de Política Agrícola e Informação da Conab, senhor Silvio Porto, estiveram reunidos para discutir o tema, na comunidade de Faria Lemos, na vinícola Cristofoli, pertencente ao município de Bento Gonçalves, com representantes da União Brasileira das Vinícolas Familiares de Pequenos Produtores – Uvifam e com a participação de outras entidades do setor.

Silvio Porto defendeu o selo e entende que a ferramenta ajudará no combate ao contrabando de vinhos em nossas fronteiras, que se presume estar na ordem de 13 a 15 milhões de garrafas/ano. No entanto, Porto afirmou que o governo está aberto a receber sugestões para aprimorar o instrumento, garantindo que os pequenos produtores de vinho possam se adequar as novas exigências.

Para Silvio Porto um dos maiores problemas do setor está na carga tributária estadual. Silvio Porto destaca que o Rio grande do Sul possui um tributo de 17% sobre o vinho, enquanto que o Estado do Paraná, por exemplo, pratica alíquota zero, e nosso vizinho estado de Santa Catarina trabalha com o percentual de 6%. Segundo ele, é fundamental que o setor reivindique ao governo do Estado a equiparação com as alíquotas dos estados vizinhos para que o vinho gaúcho possa ter competitividade.

O Diretor da Conab também alertou para que o setor fique atento para a execução dos antigos acordos internacionais firmados entre os países do MERCOSUL na década passada. Segundo ele, esses acordos não colocaram travas para proteger o setor vitivinícola brasileiro e podem prejudicar em muito a cadeia produtiva. Contudo, o governo federal está elaborando políticas a longo prazo, estimulando os produtores de uva a destilar parte da safra 2010, transformando-a em álcool vínico. Segundo ele, em 2011, esse produto pode utilizado para a fazer a correção do teor alcoólico do vinho, dispensando o uso de açúcar de cana e garantindo que o pagamento do preço mínimo do produto.

Quem quer tudo fica sem nada

O PSB está isolado politicamente. Como o PC do B estará junto com o PT na candidatura de Tarso Genro e o PP estará com o PSDB de Yeda, e o PTB vai com os DEMOS, resta a o deputado federal Beto Albuquerque apenas o suicídio político se concorrer sozinho ou renovar suas antigas alianças com a Frente Popular. Acredito que a base do PSB não pretende se imolar em 2010.

Racha no PP

Alguns deputados estaduais do PP gaúcho, acostumados a negociar o apoio ao governo na Assembleia diretamente com o governo Yeda criaram um racha eno partido e entre as bancadas estadual e federal. O líder da bancada, João Fischer, quer fechar logo o acordo com o PSDB, mas apena na cabeça de chapa (governo do Estado), no entanto, nota assinada pelos deputados federais Afonso Hamm, José Otávio Germano, Luis Carlos Heinze, Renato Molling e Vilson Covatti exige a coligação em todos os níveis da eleição estadual. Nesse complicado jogo do xadrez político o pavor do PSDB tem fundamento, pois ao se coligar na proporcional, provavelmente reduzirá o tamanho da bancada tucana na Câmara. Eu assino embaixo da nota dos deputados federais (ahhahahaahah)

7 de abr de 2010

De João Pedro Stédile para Luis Nassif

Estimado Luis Nassif,

tenho lido com alguma frequência seus artigos e cumprimento por sua clareza, determinação e coragem. Vi um comentário recente (em http://colunistas.ig.com.br/luisnassif/2010/03/28/sobre-manifestacoes-e-estrategias-politicas/ ), que faz referência a declarações que eu teria dado ao Zero Hora, de Porto Alegre, fazendo uma suposta autocrítica sobre as ocupações de terra.

Infelizmente, o jornalista charlatão me fez uma longa entrevista de mais de uma hora, e depois editou de acordo com os interesses de seus patrões. Mas gostaria de esclarecer o sentido das minhas respostas para você e seus leitores.

No atual período histórico, disse e reafirmo, não está mais em disputa apenas os interesses dos pobres sem-terra e dos latifundiários, que se apropriaram de grandes extensões de terras públicas mantidas ociosas como reserva de valor.

Estamos num novo período histórico, determinado pelo avanço do capitalismo internacional e financeiro sobre a agricultura brasileira, que leva a uma disputa entre dois projetos socioeconômicos para organizar a produção agrícola.

De um lado, os latifundiários “modernizados” (em geral, propriedades acima de 500 hectares), que construíram uma aliança com as empresas transnacionais, fornecedoras de insumos, sementes e compradoras da produção. Dessa forma, impõem o preço e controlam o mercado externo, a quem se destinam as chamadas commodities.

Esse modelo se chama de agronegócio, que se caracteriza pela necessidade de concentrar a propriedade da terra para aumentar cada vez mais a sua escala.

Expulsa o povo do interior para as grandes cidades, porque não oferece oportunidades de trabalho suficientes aos trabalhadores rurais.

É agressor do ambiente, pois o monocultivo destrói todas as outras formas de vida vegetal e animal, e só consegue produzir com elevado uso de venenos agrícolas. Daí porque o Brasil se transformou no maior consumidor mundial de agrotóxicos do mundo – que são, aliás, produzidos por empresas transnacionais.

Do outro lado, temos a agricultura familiar, que prioriza o mercado interno, com a produção de alimentos sadios, por meio de práticas agrícolas em equilíbrio com a natureza, com agricultura diversificada e que demanda muita mão-de-obra.

No outro ciclo histórico, a ocupação de terras era a principal forma de luta. Era suficiente para enfrentar o latifúndio e abrir um processo de democratização da propriedade da terra. E foi com essa prática que o MST nasceu.

Agora a ocupação de terras é insuficiente para enfrentar o modelo do agronegócio. Por isso, além das ocupações, o MST deve desenvolver novas formas de luta, que envolvam todos os camponeses e outros setores da sociedade interessados em mudar esse modelo de exploração agrícola, que agride o ambiente e produz alimentos contaminados.

Ou seja, nas regiões do país em que ainda existem muitos latifúndios improdutivos e trabalhadores sem-terra, certamente a ocupação continuará sendo a principal forma de luta – que vem acontecendo, inclusive, independente da existência do MST -, implementada por diversos movimentos sociais ou como reação à pobreza de comunidades rurais.

No geral, além das ocupações, devemos desenvolver novas formas de luta, para conscientizar a sociedade das perversidades do agronegócio e suas conseqüências para o nosso povo e para toda a sociedade.

Certo de sua atenção, receba um forte abraço

Culpa do LULA e da Dilma: Classe A/B e C se expandem

Pesquisa anual da Cetelem-Ipsos, confirma a mobilidade social do povo brasilieiro nos últimos cinco anos. Nesse tempo (culpa du Lula) a classe D/E perdeu 27 milhões para a C. Essa camada social agora é formada por 93 milhões de pessoas. Também as classes A/B cresceram de 15% para 16%, enquanto as D/E encolheram (de 40% para 35%). Foram 30 milhões de brasileiros e brasileiras que ascenderam devido as políticas sociais e econômicas do governo Lula,/Dilma tais como: bolsa-familia, Fome Zero, Prouni, a criação de 12 Universidades Federais, redução da carga de impostos para a classe média e é claro muita geração de emprego. Isso é culpa do Lula, isso é culpa do PT

6 de abr de 2010

Pra vc

Yeda aponta latrocínio

Ao se manifestar sobre a crise entre o Ministério Público e a Polícia Civil no caso do assassinato de Eliseu Santos a governadora Yeda Crusius comprou a tese do latrocínio antes mesmo de que o caso fique totalmente apurado. Ela reiterou seu total apoio às investigações da Polícia Civil. Segundo o que o ex-deputado Marcos Rolim publicou no seu twitter, essa relação de Yeda com a Policia Civil sempre foi mal explicada ou simplesmente não explicada pelo uso do sistema Guardião e do aparato de segurança do Estado para espionar adversários políticos do governo (denúncia que envolveu diretamente o chefe de gabinete da governadora, Ricardo Lied.

O terrenão da Fase

O governo Tucano de Yeda já está de olho na copa do mundo (ahahahahha). Já tramita na Assembleia Legislativa o projeto que prevê a permuta de uma área de 73,56 hectares da Fundação de Atendimento Socioeducativo (Fase) pela construção de nove unidades descentralizadas da Fase. Para quem não conhece o local, ele situa-se no lado oposto ao estádio Beira-Rio e é praticamente uma mina de ouro no mercado da construção civil. Segundo o deputado Raul Pont (PT) no projeto falta informação sobre o valor do imóvel e a não definição de onde serão construídas as unidades descentralizadas.

No local, segundo informações, está prevista a construção de um hotel de luxo, centros comerciais e milhares de vagas de estacionamento. O valor dessa área vale muito mais que a construção de apenas nove casas para os internos. Cabe aos funcionários da Fase se mobilizarem para que o governo Yeda não troque ouro por espelho, numa versão tucana que quem perde é o Estado e não governo.

5 de abr de 2010

A derradeira fase de Yeda

Segundo pesquisa do Datafolha, o índice de aprovação do govenro Yeda passou de 12 % para 22%, e a rejeição, que era de 50% baixou para 42%. Assim como o caso Eliseu Santos, os casos de corrupção no governo Yeda sempre foram colocados em segundo plano pelo PIG, e nem foi a oposição, leia-se PT, responsável pelas denúncias, mas pelos próprios membros do seu governo.


Além dos três anos de estagnação econômica e de discursos de crise, que fez até o presidente da Fiergs puxar as orelhas de integrantes do governo tucano por passar uma imagem do estado muito negativa , a mídia guasca cansou de criar novas fases para o governo Yeda após sucessivas denuncias de corrupção. A troca de dezenas de secretários e a falta de compromissos com suas promessas de campanha fez com o governo Tucano chegasse ao patamar de 55% de rejeição da população. O abandono da saúde, da segurança pública e da educação foram sentidos pela população, no Estado campeão em homicídios e outros delitos graves.

Nesta nova e derradeira fase de Yeda, a governadora pretende gastar R$ 1 bilhão de reais do Fundo Previdenciário do funcionalismo em menos de 12 meses. Assim como no governo Britto (ex-PMDB) a tucana destinará a maior parte desses recursos para as empreiteiras, garantindo canteiros de obras (que não vai terminar), abandonando de vez o discurso de déficit zero. Na Assembleia , após três anos sem reajuste para os servidores públicos, Yeda forçou ao máximo em garantir reajustes para servidores, inclusive oferecendo em quatro anos apenas 6% para os professores e 12 % para os praças da BM.

O PIG vai ajudar Yeda, vai bombar aliança entre o PSDB e o PP no estado, garantindo palanque para Serra e um discurso para os programas de rádio e TV. Para o PIG guasca interessa a representação política na Assembleia, na Câmara e o grande sonho,: deixar o PT de fora do segundo turno no Estado e garantir uma representante do PIG no Senado.

4 de abr de 2010

Balada IV : David Guetta - When Love Takes Over (Feat.Kelly Rowland)

Balada III: AlexUnderBase - Privacy (Official Music Video) HD


BALADA II : MOBY: GO



Balada: Edward Maya ft Alicia-Stereo Love

Detalhes "esquecidos" do debate de 89

Nem sabão de glicerina é neutro nessa terra

Quem aqui já não brincou numa festa de amigo secreto e ao falar sobre ele diz tudo ao contrário das caracteristicas pessoais do presenteado até que os participantes descubram o seu nome ? Pois bem, é mais ou menos assim que ocorre na nossa querida mídia nacional e guasca. Hoje (04/03), na pagina 11 o grupo RBS lançou o editorial "Compromisso com a Transparência" onde o grupo orienta seus colaboradores e avisa seus eleitores do seu compromisso com a [....neutralidade perseguida pelo Grupo na cobertura de uma eleição....], além de publicar "Normas para a cobertura eleitoral".

Ocorre que aqui nessa terra nem sabão de glicerina é neutro, muito menos um grupo de mídia com tentáculos e intéresses financeiros, tanto na iniciativa privada, quanto na esfera pública, por interesses em projetos, legislação e longooss financiamentos s dos governos Federal e e Estadual. O grupo Gávea investimentos, por exemplo, é um dos sócios do grupo RBS, e tem como um dos seus maiores acionistas o senhor Armínio Fraga (ex-presidente do Banco Central de FHC), assim como tem no Conselho de adminsitração do grupo o senhor Pedro Parente, membro destacado do governo Fernando Henrique, primeiro como ministro-chefe da Casa Civil e, no final do segundo mandato, como comandante do ministério do apagão.

Sobre a "cobertura" ser isenta, isso nem precisaria escrever, deveria ser uma obrigação, mas chama a atenção que já página ao lado "coincidentemente" há um artigo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso com o título "Hora de união" , em que FHC rechea os parágrafos com testes desabonadoras para Dilma Rousseff, dando a entender que será autoritária e que o partido terá o controle do Estado. Ao final, FHC chama voto para Serra e a união das oposições (?????) para: [....conduzir-nos para uma vitória que nos dê esperança de dias melhores. Tenho certeza de que não nos decepcionarão.]

Bem ! Se esse artigo não é propaganda eleitoral antecipada então eu não sei o que isso significa. O grupo se resguarda da propoganda escamoteada no artigo de FHC no último item de suas normas internas: 15) Durante o período eleitoral (5 de julho a 31 de outubro de 2010), os veículos da RBS devem se abster de publicar artigos que caracterizem propaganda de candidatos ou partidos.

Enquanto 5 de julho não vem FHC pode fazer propaganda para Serra e pregando a união da tal oposição (PIG+DEMOS+PSDB+PFL) nos editoriais que publica mensalmente nos grandes-pequenos jornais nacionais.

Eta transparência embaçada a dessa turma do PIG

2 de abr de 2010

A agricultura familiar precisa de ajuda


Ainda no ano passado nos deparamos com os claros sinais de mudanças irreversíveis no clima de nosso planeta. Tornados, tempestades, enchentes, estiagens, chuvas de granizo, calores e frios intensos fizeram sofrer nossos agricultores, em especial no Rio Grande do Sul. Diante desse fato, se faz urgente à necessidade de criar um conjunto de políticas públicas para adequação da produção de alimentos às mudanças climáticas, visando a proteção aos nossos produtores, responsáveis direitos pela preservação do meio ambiente, da água, do solo e ar que respiramos.

Uma iniciativa fantástica do governo Lula (sempre ele) é o projeto que estabelece que nosso agricultor e a nossa agricultora recebam uma remuneração mensal pelo trabalho diário de preservar o meio ambiente em suas terras, evitando o agravamento do aquecimento da terra e do efeito estufa. A iniciativa tramita no Congresso Nacional com o número PL-5487/2009 Instituindo a Política Nacional dos Serviços Ambientais e o Programa Federal de Pagamento por Serviços Ambientais. Na prática, os agricultores vão receber para preservar nossas matas nativas, fontes, sementes crioulas e reservas naturais.

Nesta semana o Movimento dos Pequenos Agricultores e o MST entraram em campo na defesa da agricultura familiar, daqueles que produzem e colocam a comida na mesa dos trabalhadores. Eles exigem a mudança da legislação sanitária que hoje protege e privilegia a grande indústria de alimentos e o agronegócio, impedindo que os pequenos possam vender seus produtos diretamente nas feiras, nas cidades e nas casas comerciais. O fim dessas barreiras geográficas municipais será fundamental para que nossos pequenos agricultores possam comercializar seus produtos em qualquer lugar do país, respeitando padrões de higiene e sanitários estipulados por critérios atuais do SIM, SISPOA ou SIF.

No entanto, essas normas hoje, impedem que nosso agricultor possa vender sues produtos em outros municípios. Essa mesma fiscalização é omissa com os produtos do agronégocio — geralmente recheados de venenos, anabolizantes e produtos químicos — mas tem a mão pesada sobre os pequenos agricultores. Não é novidade fiscais sanitários apreenderem e destruirem queijos, conservas e embutidos dos pequenos agricultores pelo simples fato de haver uma legislação atrasada que faz com que o mesmo produto consumido numa cidade está proibido de ser vendido na localidade vizinha apenas pela falta de um simples. Essa legislação sanitária ignora que essas famílias de pequenos agricultores há mais de 100 anos já industrializavam e vendiam seus produtos, de forma limpa, saudável e nutritiva.

Isso tudo vem ao encontro da retomada e da volta do homem para o campo, mas para isso é fundamental desenvolver a agroindústria familiar, gerando emprego e renda e é claro fazendo reforma agrária. Para evitar o abandono do campo nosso pequeno agricultor precisa ter apoio dos governos para renegociar suas dívidas, precisa de muita assitência técnica, de estradas decentes para escoar sua produção e financiamento. Isso evitará a sua descapitalização e o conseqüente empobrecimento do nosso agricultor, que ao longo dos sete anos do governo Lula, ainda precisa honrar seus compromissos vendendo parte de suas terras ou de seus bens.

Combate a Desigualdade Social, o MST e a reforma agrária no Brasil

Nesta segunda-feira, dia 05 de Abril, haverá o lançamento do livro Combate a Desigualdade Social, o MST e a reforma agrária no Brasil. O ato ocorrerá às 19 horas, no plenarinho da Assembleia Legislativa. O material foi organizado pelo cientista político Miguel Carter, que é pesquisador e professor da American University, em Washington, DC. O livro tem o apoio do Núcleo de Estudos Agrários e Desenvolvimento Rural - NEAD, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra - MST, da Comissão Pastoral da Terra – CPT e do presidente da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia, deputado Dionilso Marcon (PT).

A defesa da reforma agrária no país, leia-se agricultura familiar, também é defendida pelo Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), orgão Federal que coleta e produz estatísticas. Segundo o Ipea, ampliar a reforma agrária e aumentar os investimentos na agricultura familiar são formas de reduzir as desigualdades sociais e econômicas no campo. O inédito Censo da Agricultura Familiar também aponta para o mesmo caminho, e vai mais longe ao identificar que mesmo usando apenas 24 % da área do país, a agricultura familiar responde pela maior parte da produção de alimentos, equanto que o agronegócio, com mais de dois terços da área das terras brasileiras, pouco ou quase nada contribui para a alimentação do trabalhador brasileiro

1 de abr de 2010

Só o PMDB pode barrar a CPI do caso Eliseu

Para uma polícia que possui mais de 1 milhão de inquéritos parados, a rapidez com que a Polícia Civil "desvendou" o assassinato do ex-secretário Eliseu Santos deixaria até mesmo Sherlock Holmes satisfeito. De cara a PIG guasca encampou a tese do latrocínio vendida pela PC. Tão rápida que no domingo, dois dias após Eliseu ser silenciado, pelo menos um jornal abria duas páginas "prevenindo" a população contra possíveis assaltos à noite e dando dicas de "segurança".

O que está se vendo é que a história é bem diferente e que, segundo investigação de dois promotores do Ministério Público, Eliseu Santos foi morto num crime de encomenda. Segundo depoimento do próprio Eliseu na Câmara de Vereadores, ainda no ano passado, dois homens pararam de moto ao seu lado e um deles disse que ele ia morrer porque estava perseguindo o seu pessoal (?????). O estranho é que a Policia desconsiderou esse depoimento feito na Câmara de Vereadores no dia 18 de maio de 2009, onde revelou essa ameaça de morte.

Um dos donos da empresa Reação, que prestava segurança na Secretaria da Saúde, também compareceu à Câmara, e reafirmou que supostamente sofria pressão para pagar propina ao secretário ou algum preposto dele, no entanto, o PMDB abafou a tentativa da oposição de abrir uma CPI para investigar denúncias de propina na Secretaria Municipal de Saúde no governo de José Fogaça (PMDB)

Vamos ver o que será feito pela base de Fogaça para impedir que a CPI não saia na Câmara de Vereadores. Num Estado, dito politizado, a CPI já teria ocorrido há muito tempo.

É 1º de abril, mas é tudo verdade

Parece piada de 1º de abril que o governo tucano tenha enviado ao Poder Legislativo gaúcho uma proposta vergonhosa de apenas 6% de reajuste aos professores como forma de recomposição salarial dos últimos quatro anos. Segundo o governo Yeda e seus aliados (PMDB, PTB, PP, PPS) o impacto nas contas públicas será de R$ 254 milhões até ao final de 2011. Enquanto isso os nababos do judiciário e os roliços oficiais da BM embolsarão mensalmente uma pequena bolada que pode chegar a 24 mil reais mensais. Os juízes ganharão até R$ 3 mil a mais nos seus contra-cheques e o magistério receberá um aumento de R$ 16 no vencimento básico, lamentou a presidente do Cpers, Rejane de Oliveira.

Coincidentemente esse "gasto" com os professores, como gosta de chamar o governo Yeda, é quase o mesmo valor que Yeda "investiu" anualmente na grande mídia em forma de publicidade com o seu governo. E se somarmos o "investimento" de Yeda para sustentar politicamente o seu desastrado governo via mídia juntametne com os valores desviados do Detran, chegaremos ao mesm patamar do tal impacto financeiro.


O líder do governo Yeda, o deputado Adilson Troca (PSDB), disse que não era Silvio Santos para sair distribuindo dinheiro para todo mundo. Nesse quesito o deputado tucano tem razão, o governo Yeda só deu para as elites, para os poderosos. Para o magistério e os praças da BM foram apenas as migalhas, e depois não sabem porque o Rio Grande cresce ano-a-ano como rabo de cavalo: para baixo
O pior é que hoje é 1º de abril, o dia da mentira, mas tudo isso é a pura verdade.