27 de dez de 2009

Fogaça: o popular

É deveras impressionante a capacidade que os barões guascas da mídia têm de cacifar seus "escolhidos" na política e deixar os caras na mídia o maior tempo possível. O prefeito fantasma de Porto Alegre, José Fogaça (PMDB), aparece em terceiro lugar como o prefeito mais popular entre nove capitais, segundo uma pesquisa feita pelo Datafolha (ahahaha). Inicialmente, o ideal seria fazer uma pesquisa na Capital para saber se a população sabe quem é o prefeito da cidade, ou se sabe quais são obras importantes da sua gestão na condição de alcaide. Digo isso porque nesses cinco anos de admistração, ou da falta dela, pouco se viu, assistiu ou ouviu falar das realizações da gestão Fogaça. Os problemas com os buracos, lixo, alagamentos e a falta de iluminação pública parece até que não são de responsabilidade de ninguém, e o tal prefeito da mudança mais parece uma entidade fantasma.
Essa estratégia de mídia e da mídia de "esconder" para não queimar até funciona por um tempo, mas assim como a mentira, chega uma hora que a população começa a ver e sentir também os frutos da competência ou a incompetência de uma gestão. No caso de Fogaça a segunda opção é a que mais se encaixa ao seu perfil. Aposto o que quiserem que mesmo na condição de candidato "novo" ao governo do RS, o nome Fogaça não é mais novidade, e seu estilo de fazer não fazendo começa a aparecer no dia-a-dia da cidade.
Além de ter sido um senador do RIO GRANDE que NÃO SE PAGOU e um prefeito incompetente, uma espécie de clone piorado de Rigotto, Fogaça consegue arrancar elogios apenas de quem tem grandes intéresses em manter-se no poder, ou seja: os mesmos que dão sustentação política para o desgoverno Yeda, fazendo o Estado crescer como rabo de cavalo, para baixo.

Fogaça é uma versão piorada de Rigotto.