14 de ago de 2009

Lied engrossou o Pró-Yeda

O chefe de Gabinete de Yeda, Ricardo Lied, estava entre os 78 manifestantes que interroperam o trânsito da Duque de Caxias, em frente ao Piratini e fizeram um "abraço" simbólico ao governo Yeda. Neste caso não ouve violência e ninguém foi preso, até porque muitos deles entraram para dentro do Palácio depois do ato (ahahaha) Imagem: Marco Couto

Um, dois, três Yeda no Xadrez

Fora Yeda já está no Piratini




BM usou Taser contra agricultores em São Gabriel


A grande mídia não divulgou, mas ontem (13), em São Gabriel, a BM usou a vontade a nova arma dita não letal Taser . Segundo sites especializados no tema, os impulsos elétricos transmitidos no disparo são de 50.000 volts, e afetam o sistema nervoso central do indivíduo, imobilizando-o, fazendo com que ele fique na posição fetal. Ao atingir a vítima, os eletrodos disparam uma descarga de 5 segundos. Após isso, caso o operador permaneça com o dedo no gatilho, uma descarga é liberada a cada 1,5 segundo.

O alcance máximo da arma, a depender do cartucho utilizado, é de aproximadamente 10,6 metros (comprimento do fio da M26), e após um disparo, os fios tem que ser recolhidos para que a arma seja novamente utilizada. Os 50.000 volts citados, são gerados por 8 pilhas AA de 1,2 volts, através de condensadores e transformadores que a arma possui. O fabricante informa que todas as armas possuem uma memória digital que armazena a data e a hora dos 585 últimos disparos, além de expelir confetes identificadores com o número serial do cartucho no momento do disparo.

Segundo sites especializados, as Taser (armas de choques eléctricos) já mataram 334 pessoas desde 2001 nos Estados Unidos da América (EUA). Estes são números divulgados pela Amnistia Internacional (AI) naquele que é o relatório mais recente sobre estas armas. Para contrariar estes números, as autoridades alegam que muitas destas mortes se devem ao consumo de estupefacientes.

Parece que o novo brinquedinho da BM será usado para outros fins que não o do combate a criminalidade.

Profusão de Brigadianos

Se apenas um terço da quantidade de brigadianos que está nas ruas de Porto Alegre no dia de hoje (14) estivessem no dia-a-dia da Capital, garanto que a criminalidade reduziria em 90%. Segundo informes, somente na Mansão de Yeda, há um pelotão inteiro da BM de prontidão. Infelizmente a profusão de policiais que brotam até de árvores não significa proteger a população, mas apenas uma espécie de policia política, bem ao estilo dos velhos tempos da ditadura. Cada ônibus que chega em Porto Alegre com manifestantes é parado e revistado de cima a baixo, e após gentilmente escoltado.
Essa será a primeira participação dos movimentos sociais no Fora Yeda, após a denúncia do MPF contra a governadora +oito. Espero que o governo não ouse agir com violência, pois o preço político será muito caro. No auge da divulgação da corrupção do governo Yeda em 2008 as principais vítimas foram os professores, estudantes e agricultores.