23 de mar de 2009

Espionagem Sim !

Fiquei enojado com a entrevista do chefe de gabinete da governadora Yeda Crusius (PSDB), Ricardo Lied concedida ao jornalista Giovani Grizotti que foi ao ar no programa Gaúcha Atualidade nesta manhã (23). Em alto e bom som, Lied diz que não espionou ninguém, que não fez nada de anormal. Até mesmo o mundo mineral, ouvindo às gravações, consegue entender que o governo Yeda "levantou" de forma ilegal a ficha do ex-deputado Luis Fernando Schmidt: Ricardo Lied: Não tem nada o Luis Fernando. Não tem nada na ficha dele; nada, nada, nada; eu tenho comigo, não tem nada; ele só tem uma perda de documento. Nunca teve nada na ficha.
Se isso não é espionagem política e uso da máquina pública para intimidar e até mesmo chantagear possíveis adversários então eu não sei o que isso significa. Tenho certeza que o nosso "bravo" Ministério Público saberá o que fazer com essa gravação (ahahahaha)

Um orfão na imprensa guasca

Dos políticos que seguidamente aparecem em escutas, em supostos envolvimentos com propinas e desvios de recursos públicos, geralmente são os mesmos que semanalmente falam em programas de rádio e aparecem na TV guasca, além é claro dos metros e metros de colunas de jornal placidamente publicados na área da política e social. Um dos programas se destaca, é um jornalista que adora disparar seus laseres contra os movimentos socias, defender papeleiras, concessionárias de pedágio e privatizações. Antes da operação Rodin da PF chegava ser chato ter que ouvir a maioria dos envolvidos nessas mutretas num bate-papo amigo com esse âncora. Esse mesmo "jornalista" sempre que podia mirava o laser contra o PT e não perdia a oportunidade de massagear o ego de "políticos ?" com o do ex-ministro dos Transportes Eliseu Padilha e do homem-mercado Jorge Gerdau. Agora esses mesmo jornalista, tão valente e ético, parece que anda meio quieto, meio triste, meio órfão de seus entrevistados preferidos. Deve ter mais gente por ai com o mesmo sintoma (aahahaha)