2 de jan de 2009

A Mudança não Pode Parar III



Para quem acha que a tal da ciclovia inaugurada às pressas pelo governo PRBS-Fogaça em 2008, em Porto Alegre é uma maravilha da cidade, dá uma olhada nessas fotos acima.... São apenas 2 mil metros de lajotinha (já afundando em vários pontos ) disputadas com pedestres, e após o fim do shopping, tanto para quem vai para o museu Iberê Camargo quanto para quem se dirige para a Zona Sul, não há nada além de corredores estreitos, sem nenhum acesso de bicicleta ou até mesmo para pedestre. Para os passageiros do transporte coletivo que visitam o shopping uma péssima notícia: não há parada de ônibus do lado da tal ciclovia e o lixo é uma constante no restante da orla. A MUDANÇA NÃO PODE PARAR.


A Mudança não Pode Parar II


Inaugurado com pompa pela alta burguesia da cidade, o museu Iberê Camargo recebe centenas de pessoas diariamente em seu interior. Lá fora, um praça linda, mal conservada e suja. Restos e lixos de todos os tipos espalhados no local, além dos tradicionais despachos que recheavam nossa orla. Ao lado, na rodovia, passava o ônibus-turismo da prefeitura com seus alegres visitantes. Clics e mais clics de máquinas digitais no museu e na bela paisagem, que jazia recheada de lixo em sua praça. A orla como um todo, a onde não há visibilidade política, está abandonada, bem como a parte que deveria ser de resposabilidade da empreiteira que construiu o novo o Shopping Cristal (Postarei a seguir o material que tenho sobre o assunto)

A Mudança Não Pode Parar I


Se algum turista e ou cidadão de Porto Alegre circular desavisadamente a pé pela orla do guaíba (gasômetro, Museu Iberê Camargo, Shopping Cristal) e quiser ver como funciona nossos serviços públicos, terão desagradáveis surpresas. Se a mudança não pode parar, como afirmava uma propaganda política,vamos aos fatos. Ao tentar utilizar o banheiro público mantido pela prefeitura, logo abaixo do mirante, próximo a Usina do Gasômetro, fiquei repugnado . Além do cheiro fétido e insuportável do local, era impossível utilizar, caso necessário, os sanitários. Restos de papeis jogados ao chão, sem luz ,grandes poças de água no piso além de torneiras abertas. Ao redor, nas escadarias, milhares de pitucas de cigarro nos canteiros. Esse é apenas um dos casos que fiz questão de registrar e que colocarei nesse blog.(foto do dia 02/01/2009- Usina do Gasômetro)