18 de mai de 2009

Nota de Paulo Afonso Feijó

Venho à sociedade prestar os seguintes esclarecimentos:

1 - O responsável pela gestão financeira na campanha de 2006 era o Sr. Rubens Bordini. A ele cabia a prestação de contas dos recursos captados e a conseqüente emissão dos recibos eleitorais;

2- Somente no primeiro turno da eleição quando candidato a vice-governador atuei em conjunto com os presidentes das siglas coligadas, deputados federais e outros colaboradores na captação de recursos para o pleito;

3- Com base na lei eleitoral n 9504/97, artigo 23, parágrafo quarto, inciso II, combinado com o artigo 16, incisos I e II e parágrafo único, da resolução do TSE 22.250/2006:

Art. 16. As doações de recursos financeiros somente poderão ser efetuadas na conta bancária da campanha por meio de...
I - cheques cruzados e nominais, transferência eletrônica de depósitos;
II – depósitos em espécie devidamente identificados com nome e o número de inscrição no CPF ou CNPJ do doador até os limites fixados nos incisos I e II do art. 14.
Parágrafo Único. O depósito de doações, em qualquer montante, realizado diretamente em conta bancária, não exime a correspondente emissão do recibo eleitoral.

4- Portanto, assim como outros colaboradores de campanha, cabia ao então candidato contatar possíveis apoiadores, sendo dever do Coordenador Financeiro emitir os respectivos recibos eleitorais.

Porto Alegre, dia 18 de maio de 2009
Paulo Afonso Girardi Feijó

Eu quero a CPI da Petrobrax na CPI da Petrobras


Se é pra ir no inferno então que se dê um beijo na face diabo. Se o PSDB quer a CPI da Petrobras, então que retroaja a 2002 quando do afundamento da plataforma de petróleo P36. Segundo foi levantado à época o desastre com a plataforma P-36 da Petrobras foi causado por erros de projetos, manutenção e operação, segundo relatório da ANP (Agência Nacional do Petróleo) e da Marinha. O relatório é bem diferente do que foi apresentado pela Petrobras naquele período em que dezenas de trabalhadores perderam suas vidas. A CPI da Petrobras deve ir a fundo, talvez mais profundo do que nas profundezas do oceano onde repousa bilhões de dólares em equipamentos por culpa de omissão e incompetência da gestão de FHC em seus oito anos. CPI JÁ.

Gostei do Plano B do deputado Marroni

Gostei do Plano B proposto pelo deputado Federal Fernado Marroni, do PT gaúcho. Ele defende a aprovação de um Projeto de Emenda Constitucional (PEC) que possibilita o atual presidente concorrer pela terceira vez. A região do deputado foi, por décadas, uma das mais pobres do Brasil. Isso mesmo, a região sul possui um dos IDHs (Indice de Desenvolvimento Humano) mais baixos do país. Nestes últimos seis anos o governo Lula investiu pesado em infraestrutura naquela região, fazendo com que Pelotas, Rio Grande e todos os municípios voltassem a ser novamente um pólo de desenvolvimento econômico e social no Estado. Desta forma, a tese de Marroni, do ponto de vista de quem viu uma região inteira se recuperar do marasmo e da falta de política públicas (FHC, Collor etc..), não está errada. Eu também aprovaria essa proposta se visse que minha região, em apenas seis anos, recuperou seu prestigio econômico e social e principalmente a sua identidade.

Começa a necropsia do governo Tucano

A chance de sair a CPI da corrupção na Assembleia é de 110% e a decisão agora está nas mãos do PDT. Apenas os deputados Cherini e Kalil estão em dúvida, mas acredito que suas bases eleitorais vão clarear rapidamente suas posições (ahahhaahhaha). Com a publicação de novas denuncias, corroboradas inclusive com uma entrevista em Zé H de hoje (18) do vice-governador Paulo Feijó (DEM) que afirmou :“Tenho outros e-mails que são comprometedores”. Na opinião de nossa mídia guapa, às CPIs estão vulgarizadas , mas esquecem de dizer que foi através de uma, a CPI do Detran, que a sociedade descobriu como funcionava o submundo da corrupção no governo, tendo como "liderança" parlamentares tradicionais da terrinha e políticos de alta plumagem. Já em Brasília a criação da CPI da Petrobras tem um motivo claro para o PSDB: desgastar o governo Lula, e com a ajuda do PMDB fazer pressão para que a CPI guapa não pegue pesado com as conexões do PMDB quando às entranhas do tucano for dissecado na necropsia a ser realizada na CPI.