15 de mar de 2009

Disputa assimétrica e os remadores das galés

Com a saída de Olívio Dutra do páreo pela disputa ao Piratini, entendo que a escolha do candidato petista não será naturalmente o nome do ministro da Justiça Tarso Genro. Acredito até que em uma disputa assimétrica onde o maior não enxerga o menor quem sai prejudicado é o maior (lembram das prévias na Capital ?). Antes a coisa era mais clara: Tarso e Olívio. O problema é que o nome do ministro Tarso Genro, peremptóriamente (ahahahah), não foi, não é e não será consenso na escolha à disputa para o ano que vem. Emergiram no mínimo mais de quatro personalidades petistas com força suficiente para disputar a indicação. Mesmo que neguem, e sempre o fazem (ahahaha), 0 deputado Federal Henrique Fontana, o prefeito de São Leopoldo, Ary Vanazzi e o deputado Federal de Caxias do Sul, Pepe Vargas são nomes com peso político suficiente para disputar e ganhar o pleito e fazer o debate estadual. O tabuleiro do xadrez politico do RS em 2010 envolve vários fatores, que também passam por um amplo leque de alianças, pela articulação da sucessão de Fogaça-Fortunati na Capital e a composição desse grupo com uma futura vice, sim eu disse no gênero feminino ELA (ahahaha). O complexo jogo envolve o PDT, o PC do B, o PTB e o PSB. A sucessão estadual e a troca de comando em 2014 também entram nesse caldeirão político, assim como como entrará no jogo o apoio do PMDB guasca à presidência da república. Tudo isso ainda é conversa de Caciques, regada a muito vinho bãoooo. Muitas dessas "amarrações" podem ser cortadas da embarcação da cacicageee, caso os remadores das galés se revoltem em seus porões. ahahahahahahhaha