22 de set de 2009

PSDB e DEM apoiam golpe em Honduras

Ao apoiar com restrição o retorno de Manuel Zelaya ao governo Hondurenho, os senadores do DEM e do PSDB mostraram que a Democracia , dependendo da conveniência, não vale nada. O que se vê nas ruas de honduras é uma guerra civil onde o povo tentar fazer voltar o seu presidente legitimamente eleito e um golpista, que se não é apoiado pelos americanos tem a sua complascência. Os senadores do DEM e do PSDB preferem a "saída" diplomática (deixa que se f......) e não o protagonismo de um país continental com força suficiente para impor que meia duzia de golpistinhas sejam retirados de onde nunca deveriam estar. Se fosse senador pediria a cassação desses vermes por atentar contrar a Democracia e a Constituição e por falta de decoro parlamentar.
O chefe do Departamento de América Central e Caribe no Ministério das Relações Exteriores, embaixador Gonçalo Mourão, afirmou que o pedido de abrigo feito pelo presidente Zelaya, à embaixada brasileira demonstra o "prestígio" internacional que o País vêm alcançando nos últimos anos. "Se você vê duas pessoas andando pela rua: uma uma maltrapilha e outra bem vestida, você vai pedir um 'trocado' naturalmente para a pessoa que esta bem vestida. É isso o que está acontecendo: o Brasil está cada vez mais bem vestido", disse.

Golpistas não aceitam a volta da democracia em Honduras.

Militares de Honduras cercaram a embaixada brasileira em Tegucigalpa, onde permanece o presidente deposto, Manuel Zelaya, e passaram o rodo nos manifestantes que passaram a noite em frente ao edifício. A direitona delá e daqui já contesta a posição do Itamaraty de receber Zelaya na embaixada, mas não fala que esse governo é golpista. Confira as transmissões ao vivo da Rádio Globo Honduras (nada a ver com a globo), há eminência de conflito e invasão da embaixada brasileira: http://www.radioglobohonduras.com/

OAB/RS requer cópia de inquérito militar que apura morte de sem-terra

A OAB/RS requereu à Brigada Militar, por meio de seu conselheiro seccional e coordenador-geral da Comissão de Direitos Humanos Sobral Pinto, Ricardo Breier, cópia integral de inquérito militar que apura morte do sem-terra Elton Brum da Silva, ocorrida há um mês, bem como as filmagens realizadas durante a operação de desocupação da fazenda Southall, em São Gabriel.Passados 30 dias do assassinato a BM inexplicavelmente ainda não revelou o nome do assassino. É um assassino sem nome e sem rosto, quase um fantasma.

Charges em debate