4 de dez de 2009

Justiça condena professora a pedido do MPE

É muita falta de ter o que fazer de alguns membros do Ministério Público (MP) que moveram ação contra a professora Maria Denise Bandeira, que foi obrigada a pagar multa pecuniária para não sofrer processo penal, por ter obrigado um aluno a pintar as paredes de uma escola de Viamão que haviam sido pichadas por ele. Segundo a professora, ela aceitou pagar a multa para não enfrentar um duro processo penal. Deveriam ter dado uma medalha para a docente ao invés de criminalizar uma professora por oferecer uma punição didática ao aluno infrator.
O fato demonstra também que nosso MPE guasca realmente não corresponde mais aos anseios da sociedade. São dezenas de exemplos de omissão, descaso e alinhamento político com pessoas comprometidas nos nebulosos casos que envolvem os escândalos do governo Yeda.
No fatídico dia do assassinato de Elton Brum da Silva em São Gabriel a promotora daquela cidade afirmou na mídia que tudo tinha sido muito profissional por parte da BM. Outro membro do MP lutou e conseguiu o fechamentos das escolas itinerante do MST deixando as crianças sem aula, mesmo sabendo que os prefeitos se negam a dar transporte escolar para esses alunos. Um ex-secretário de Estado de Yeda, egresso do MPE conseguiu embaçar ainda mais a imagem da instituição ao proteger de forma velada interesses no caso Detran, e articulando a demissão da presidente daquele órgão.
Força professora ! a senhora deveria receber uma placa e uma homenagem, diante de tantos exemplos de corrupção e da roubalheira escancarada do erário público.

Oração dos corruptos, por Iotti