29 de nov de 2008

Pedágios: Povo que não tem virtude acaba por ser escravo..

A terceira estrofe do hino rio-grandense representará o que seremos das concessionárias de rodovias se nos próximos quinze dias o aguerrido e valoroso povo gaúcho não se mobilizar contra o projeto do governo Yeda de prorrogação dos contratos de concessão das praças de pedágio. Ela quer mais 15 anos (de 2013 para 2028) para as atuais empresas. Se aprovado, os deputados perderão toda a autonomia sobre o tema, trasferindo ao Daer e as concessionárias o poder de decisão de retirar e colocar praças de pedágios onde bem entenderem, impedir rotas de fuga (vias alternativas) e explorar o filão publicitário nas faixas de domínio. Se a estrofe do hino ainda vale, tem que ser agora.