28 de jan de 2011

Mais torres ? Mais justiça ?

Vista do MPE para a vila Chocolatão. (ar condicionado a 20 graus)
Enquanto aqui no Estado crianças estudam em escolas de lata, apenados se espremem em pocilgas denominadas de presídios e delegacias de polícia operam sem a mínima estrutura, há um outro lado, um mundo diferente, de fartura e bonanza na terra guapa.
Não precisa de legenda
  A chefe do Ministério Público Estadual, a procuradora Simone Mariano da Rocha, anuncia a duplicação das torres gêmeas e a construção de mais um anexo, tudo isso para promover justiça. O Poder Judiciário também já começou a construção de mais um prédio anexo ao Tribunal de Justiça, erguidos em 15 espaçosos patamares. Outras dezenas de foros já foram erguidos no interior, tudo isso no intuíto de provover a tal justiça.

Escolas de lata (39 graus, com ar da rua)

Próximo da sede do MPERS e do TJRS há uma vila, a Chocolatão, onde a cada ano dezenas de barracos pegam fogo, ratazanas e baratas caminham faceiras no meio do lixo, ao lado de crianças ,que desde cedo já sabem  que os restos de papelão, as garrafas pets e as latinhas de cerveja descartadas são os seus meios de sobrevivência. Desculpe ! mas fazer prédios nababescos não significa promover justiça.
Chocolatão: mais justiça e menos prédios de luxo


25 de jan de 2011

Albergue público é a cidadania traduzida em ação do Estado

No pacote de projetos que o governo Tarso Genro prepara para envio à Assembleia no mês de fevereiro, o da criação de albergues públicos para o acolhimento e atendimento de pacientes em tratamento de alta complexidade, juntamente com seus familiares, representa um dos mais relevantes do ponto de vista social e de cidadania. Há anos convivemos com a polêmica dos albergues patrocinados por deputados, que em troca da "solidariedade" aos doentes e seus acompanhantes recebiam um caminhão de votos de amigos e familiares das pessoas que utilizaram o serviço.

É lamentável assistir pacientes e os famíliares dos doentes perambulando pelas ruas da Capital à espera da hora da consulta ou do tratamento médico. A maioria delas chegam à cidade ainda na madrugada, em microônibus de prefeituras, e grande parte desses gaúchos e gaúchas têm pouco ou quase nenhum recurso financeiro para a alimentação, ou outras despesas básicas. Para esses cidadãos, passar um dia inteiro apenas com um pastel e um guaraná, ou até mesmo um pacotinho de bolachas recheadas é mais corriqueiro do que possamos imaginar. Basta ver ao redor dos grandes hospitais públicos a disseminação de vendedores de pasteis ou de lanches baratos, que na maioria das vezes tem muita coloria e poucos nutrientes, o que é lamentável, haja vista a necessidade de o paciente ter uma alimentação de qualidade ou equilibrada para que possa se recuperar.

Tenho a convicção que esses albergues públicos terão o apoio das comunidades, da sociedade civil, dos prefeitos e das lideranças políticas de todo o Estado, e que juntos encontrarão meios de manter e prestar um serviço de qualidade para esses cidadãos e cidadãs. 

Cuidar do seu povo e do bem-estar  da população é uma das funções do Estado, e são iniciativas como esta que traduzem o verdadeiro sentido da palavra cidadania.

Parabéns ao governo Tarso Genro pela iniciativa, mas sabemos que esta é apenas uma, entre tantas outras que serão necessárias para tirar o RS da vanguarda do atraso social e da estagnação econômica.

19 de jan de 2011

Radiodifusão comunitária: Abraço realiza o seu VII Congresso


De 20 a 22 de janeiro, a Associação Brasileira de Radiodifusão Comunitária (Abraço) realizará, no Museu Nacional, em Brasília, o seu VII Congresso nacional. 

De acordo com o coordenador executivo da Abraço, este será o maior congresso realizado pela entidade. Pela primeira vez, haverá uma delegação feminina de dirigentes de rádio, com a formação de um coletivo nacional de mulheres dirigentes de rádio da Abraço. 

"Teremos ainda, pela primeira vez, um congresso somente com dirigentes de rádio, e o primeiro com a participação do Ministério das Comunicações, que disponibilizará um estande para consultas dos radialistas comunitários”, destaca Sóter. 

O evento contará, também, na sua abertura, com a participação inédita de um representante da Presidência da República. “Será a oportunidade de reunir todas as entidades que participaram da Comissão Organizadora da Confecom para fazer um balanço e traçar diretrizes”, ressalta o dirigente. “Com certeza, o movimento de radiodifusão comunitária será outro depois do VII Congresso Nacional da Abraço”, avalia Sóter.
Por: FNDC

14 de jan de 2011

Antônio Britto em alta rotatividade

O ex-governador Antônio Britto é um executivo de alta rotatividade. Após sair à francesa do Estado em 1998, deixando a trasmissão do cargo de governador para Olívio Dutra sob a responsabilidade do então vice-governador Vicente Bogo, Britto acumula várias passagens pela privada, pela iniciativa privada (aahahaah).

Em 2003, Britto ingressou como executivo da Azaléia Calçados, e foi  alçado diretor-presidente da empresa, com a morte do então presidente da Azaléia, Nestor de Paula. Em 2005, envolveu-se em uma polêmica nacional, ao fechar uma unidade da fábrica no Rio Grande do Sul, demitindo 800 funcionários, ao mesmo tempo que abria uma unidade na China.  Desgastado com os herdeiros de Nestor de Paula, por conta de um relacionamento conflituoso, no final de 2006 anunciou seu desligamento da Azaléia, por demissão.

Em 2008, a operadora Claro, do mexicano Carlos Slim (América Móvil), também dono da Embratel, contratou o ex-governador como um dos vice-presidentes da empresa. Britto atuava na área de assuntos corporativos, com o objetivo de organizar as relações da empresa com os públicos externos e com o Congresso (hummmmmmm).

 Desde o primeiro dia de governo de Yeda Crusius, Britto atuou com um conselheiro informal da ex-governadora, numa espécie guru, apontando o caminho "certo" (aahahahahhaha) para aquela senhora que já foi tarde.

Em maio de 2009, Britto assumiu a presidência da Interfarma, entidade que representa a indústria farmacêutica. O convite havia sido recusado há mais de um ano, mas agora a Interfarma fez uma proposta que o ex-governador considerou “irresistível”. Britto, segundo informações coletadas, foi contratado a peso de ouro, e "coincidentemente" o Ministério da Saúde e as indústrias de remédios debatem a concessão de patentes para fórmulas polifórmicas (o polimorfismo se refere a diferentes formas de uma mesma substância química que pode ser utilizada na fabricação de medicamentos).

O Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) tem posição favorável à concessão dessas patentes polimórficas, o que contraria a posição do Ministério da Saúde, que alerta que isto pode comprometer o crescimento da indústria dos genéricos e encarecer os remédios, em especial, àqueles usados pelas farmácias e hospitais do Sistema Único de Saúde. Segundo meu colega João Manoel (o Maneco), para bom espremedor, meia laranja basta. Ou seja, se o debate está no campo político, parece óbvio que a contratação de Britto – que como homem público sempre foi um fervoroso privatista – tenha se dado muito mais pelas suas capacidades (lobísticas?) nesta área do que, propriamente, por seus dotes de executivo. Afinal, ele não para mesmo muito tempo em empresa nenhuma.

Segundo o Ministério Público eleitoral a Interfarma é uma entidade de classe, o que não permitiria tais contribuições.Com isso, tentam anular a aprovação da contas de vários candidatos que receberam doações da entidade.  NO RS, porém, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul entende que, por não receber verbas públicas, a Interfarma não pode ser considerada entidade de classe, e aprovou todas as contas desses candidatos. O certo é que temos que ficar atentos aos movimentos dessa entidade e de seu executivo de alta rotatividade. Britto conhece muito bem os caminhos do Congresso Nacional. 

Campanha eleitoral 2010

Fiz uma rápida pesquisa no TSE para verificar o quanto e para quem a Interfarma fez doações na campanha eleitoral aqui na terra guapa. Abaixo estão os candidatos beneficiados pela Interfarma, que está sob o Cnpj  31.118.508/0001-12.

100.000,00 MANUELA PINTO VIEIRA D AVILA PC do B 
150.000,00 OSMAR GASPARINI TERRA PMDB 
50.000,00 RENATO DELMAR MOLLING PP
150.000,00 DARCÍSIO PAULO PERONDI PMDB 
50.000,00 ONYX DORNELLES LORENZONI DEM















13 de jan de 2011

O clima está mudando, e agora ?

A enxurrada que já matou centnas de pessoas e destruiu centenas de casas e ruas nas cidades de Nova Friburgo,Teresópolis, Petrópolis e Itaipava, localizadas na região Serrana do Rio de Janeiro, é mais um capitulo de uma tragédia anunciada. A ocupação desordenada das encostas, a falta de uma fiscalização e monitoramento permanente das autoridades e a ausência de  radares de alerta meteorológico contribuem ainda mais para que a situação se agrave.

O clima está mudando, e nos últimos cinco anos vários eventos climáticos têm causado apreensão. Essa fortes chuvas, cada vez mais intensa, fizeram grandes estragos em vários estados (Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Rio de Janeiro), tragando vidas e causando grandes prejuízos. Já passou da hora de os governos (Federal, Estadual e Municipal) investirem pesadamente em tecnologia para antecipar tempestades,planejamento, fiscalização e planos de evacuação de emergência em cidades cercadas por encostas ou que tenha ocupação irregular de vales ou morros.

O clima está mudando, e agora ? o que temos que fazer ? é cada vez mais comum assistir pela TV o aumento dessas calamidades. Estiagens sufocantes, temporais arrasadores, chuvas de granizo, tornados devastadores e por ai vai.  Se não nos antecipamos para salvar vidas essas cenas se repetirão ano após ano.

6 de jan de 2011

S.OS – FIGUEIRA DA PAZ

Arambaré abriga a considerada a maior figueira do Rio Grande do Sul, com 20 metros de altura e tronco com 12 metros de diâmetro. De ponta a ponta, seus galhos têm 50 metros de extensão. Chamada Figueira da Paz, a árvore centenária é símbolo da cidade e importante atração turística. Alguns historiadores apontam que a Figueira tem 400 anos, outros um pouco mais. Numa coisa todos concordam é a maior e mais velha figueira do estado.

A Figueira da Paz pede socorro.Uma rachadura num dos seus principais galhos está colocando as autoridades numa situação complicada. Podar é a solução que logo aparece, mas com a poda a figueira pode perder o equilíbrio e tombar. A outra solução seria a de colocar cimento nas rachaduras, evitando assim que a umidade apodreça mais o galho.

A Figueira da Paz pede ajuda! O que podemos fazer, além de respeitar o seu sofrimento, é rezar para que as autoridades consigam resolver da melhor maneira o problema.

Você assim como eu, que tem um carinho todo especial por Arambaré mande as fotos da nossa figueira, para seus conhecidos.Quem sabe alguém tem alguma solução?

Mande a sua mensagem para o e-mail arambare.rs@gmail.com que enviaremos para a prefeitura.

Não podemos perder tempo! Antes que cortem a nossa centenária Figueira da Paz....

www.arambare.blogspot.com

2 de jan de 2011

A LUTA CONTINUA , COMPANHEIROS


Olha o que o sábio Lula disse ontem  à noite (02) em São Bernardo

 "...Os adversários são os mesmos, os preconceitos são maiores ... A gente vai ter que estar ao lado dela, para que a gente possa provar que a mulher tem competência e vai governar este país com muita qualidade...porque o Brasil não pode parar" 

Fonte: Carta Maior

1 de jan de 2011

Um bom sinal

Semioticamente Getúlio Vargas observa Tarso e Olívio
Grande foto do Marco Couto, clicada  momentos antes da abertura da sessão solene que deu posse ao governador Tarso Genro na Assembleia Legislativa. A imagem do ex-governador Olívio Dutra ao lado de Tarso Genro, sob o olhar atento de Getulio Vargas é um bom sinal para os gaúchos.

Tarso já é governador do RS

Militância em  festa na posse de Tarso 
O governador Tarso Genro e seu vice Beto Grill foram empossados hoje (01) pela manhã na Assembleia Legislativa do Estado em sessão solene no Parlamento Gaúcho. Após o juramento,  Tarso discursou, renovando o compromisso de seu governo com diálogo, com a ética e propôs um pacto entre os poderes no sentido de fazer avançar os projetos de interesse dos gaúchos. No discurso, o governador deu a entender que será implacável no combate à corrupção e que os atos do governo serão transparentes, facilitando a fiscalização de toda a sociedade. Tarso afirmou que tem o compromisso de: "colocar o nosso Estado num outro patamar econômico, cultural, de civilidade política; para que possamos construir um novo Rio Grande, para que possamos potencializar o nosso Estado, para que nosso Estado volte a ocupar o papel decisivo no conserto da federação, deste Rio Grande do Sul que é de todos nós, de todos os partidos,  de todos os setores, da sociedade, de todos os movimentos sociais, de todas as instituições de representação da sociedade civil, de todas as organizações empreendedoras. Isso significa exigir que o Rio Grande seja o Rio Grande do Sul do Brasil, do Mundo." Os ex-governadores Olívio Dutra e Alceu Collares presentes na sessão solene, foram muito aplaudidos pelo público presente. Tarso fez uma homenagem ao ex-governador Olívio Dutra, e citou-o como  referência a ser seguida na ética e na política.

Após o ato de posse na Assembleia, Tarso e Beto, acompanhados de parlamentares e de todo o seu secretariado, atravessaram a rua Duque de Caxias,  e foram até o Palácio Piratini para receber de Yeda  o cargo de governador do Estado do RS. Após o ato, Tarso Genro conduziu a ex-governadora para fora do Palácio (foto abaixo). Após receber o cargo, o governador deu posse para todo o seu secretariado e finalizou agradecendo o apoio do povo gaúcho. Antes de viajar a Brasilia para  prestigiar a posse de Dilma Rousseff, o governador foi até uma das sacadas do palácio, onde discursou para o público que acompanhava a cerimônia na Praça da Matriz.

Tarso conduz Yeda para fora do Piratini