6 de ago de 2009

A raposa cuidando do galinheiro

Na minha opinião a estratégia da base do governo Yeda, em especial da dos deputados da bancada do PMDB, do PP e parte do PTB que decidiram somente agora entrar de cabeça (ahahhaha) na CPI proposta pelo PT para investigar o governo Yeda Crusius e seus aliados (PMDB, PP, PSDB, PTB) tem por objetivo formar uma espécie de tropa de choque para blindar o governo e seus aliados dentro da Comissão. Não será novidade se a base do governo requeira a relatoria da Comissão e rejeite requerimentos de deputados de oposição que ameaçem abrir a caixa-preta da corrupção no RS.

A CPI é fundamental e pode respingar

A ação de improbidade administrativa movida pelo MPF é apenas o primeiro passo para desvendar os caminhos da corrupção do governo Yeda e de seus Aliados. Ao contrário de quem prega por ai, inclusive o PSOL, de que a CPI da Corrupção não é necessária, na minha opinião ela será uma das principais artérias para desvendar os caminhos da corrupção guapa. O próprio ex-chefe da Casa Civil de Yeda, Cézar Busatto, a ser gravado pelo vice-governador Paulo Feijó disse de onde se originava os recursos de campanha para o PMDB e PP, só não teve tempo de dizer como se dava (ahahahah). Os deputados da base de Yeda sabem disso e farão de tudo para que a degola da governadora seja rápida para que a questão de fundo — como se operava a corrupção dentro do Estado guapo — não apareça, até porque o método utilizado pode ter sido copiado por agentes políticos de uma grande Capital brasileira (ahahahahaha).