18 de ago de 2011

Nossa cidade é nossa segunda casa

É impressionante o desleixo da população de Porto Alegre com o patrimônio público, e da mesma forma a atuação dos órgãos responsáveis pela manutenção da cidade. Ontem, por exemplo, pude perceber que a EPTC ou seja lá que for, colocou barras de aço, ao invés de guard rails,  para proteger postes em avenidas da zona sul da cidade, com o intuito de impedir que numa colisão de um veículo com o poste, o segundo leve a pior. Porém, dá pra ver claramente que essas barras são verdadeiras assassinas em estado de dormência, pois caso algum veículo (moto,carro etc) derrape e venha a bater contra essas estruturas, o condutor será literalmente atorado ao meio. Aliás,a EPTC tem um delay em suas ações impressionante, além é claro da má vontade em atender as solicitações. 

Outra coisa que me incomoda são as tampas de boeiros, que geralmente formam panelas ou estão 10 cm mais alta que o nível da rua. Aliás, falando em ruas, parece que Porto Alegre tem na composição do asfalto o Sal de Eno ou o Sonrisal, pois se desmancham na primeira água que cai na cidade.

O cidadão de Porto Alegre, na sua maioria, também não está nem ai para a sua calçada, que na grande maioria dos bairros, são repletas de buracos, não possuem acessibilidade para pessoas com deficiência e geralmente são tomadas pelo mato.

Sobre o lixo, não preciso dizer mais nada, pois é comum ver gente grande em seus carrões desovando lixo em praças e em áreas de preservação.

Não consigo entender como as pessoas não conseguem cuidar e dar valor para o que é seu, pois, para mim, a cidade onde vivo é a minha segunda casa. Lamentável !