13 de jul de 2009

RS batendo recorde, de novo.

Se me perguntarem o porquê do Rio Grande guapo ranquear o número de morte por gripe A, posso afirmar que não é apenas uma fatalidade, ao contrário do que falam. O Estado mais politizado do Brasil não estava e não está preparado como foi propagandeado pelo secretário da saúde para tal tarefa. Dos três casos nacionais de morte, dois, infelizmente, são daqui. O primeiro foi um caminhoneiro, e o segundo um menino de nove anos que morava em Sapucaia do Sul. Ele foi internado no dia 2 de julho na UTI do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, e morreu no dia 5. Espero que o pouco que resta desse governo tenha a dignidade de investir em saúde , haja vista a chegada do inverno e com ela as doenças do frio (gripes e resfriados). Se continuar assim teremos mais e mais casos, batendo esse triste recorde negativo.

O caso Damião Ximenes

É com muita satisfação que veiculo neste pequeno espaço o lançamento do livro "Damião Ximenes" de autoria da minha amiga, a advogada gaúcha Nadine Borges. A publicação de 240 páginas conta a história da primeira condenação do Brasil na corte Interamericana de Direitos Humanos. A história se passa numa clínica psiquiátrica situada em Sobral/CE em 04 de outubro de 1999. Damião era paciente portador de transtorno mental, foi imobilizado, espancado e morto dentro do estabelecimento que deveria lhe dar tratamento.

A partir desse caso, a autora detalha a denúncia pública apresentada por Irene Ximenes Lopes Miranda, irmã de Damião, à Comissão Interamericana de Direitos Humanos - CIDH da Organização dos Estados Americanos – OEA até a condenação do Brasil pela Corte Interamericana de Direitos Humanos em 2006. O livro, de forma didática, mostra o passo a passo e os requisitos para que se possa apresentar uma denúncia à Comissão Interamericana de Direitos Humanos. Para adquirir o livro clique aqui

Sobre a autora: Nadine Borges é advogada, mestre e doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Sociologia e Direito da Universidade Federal Fluminense – PPGSD / UFF. Realizou curso de extensão sobre o Sistema Interamericano e Universal de Proteção dos Direitos Humanos, organizado pela American University Washington College of Law (WCL-AU), Comissão Interamericana de Direitos Humanos da Organização dos Estados Americanos (CIDH/OEA) e Internacional Service Human Rights (ISHR) em Washington/DC. Foi advogada da Justiça Global, organização não-governamental, sediada no Rio de Janeiro. Atualmente dedica-se à pesquisa sobre o acesso ao sistema interamericano de direitos humanos e supervisiona uma das clínicas do Núcleo de Prática Jurídica da Fundação Getulio Vargas - FGV Direito Rio.

O fogo Alagoano


Tá certo que gaúcho não sente frio, mas é impressionante o fogo alagoano da nossa sempre candidata a presidenta, a ex-senadora Heloísa Helena. Nos humilhou (hahaha). Olha como está o restante da gauchada do PSOL (ahahahah)