1 de ago de 2015

O combate à sonegação não é prioridade de Sartori

Ao propor aumento em mais cinco pontos percentuais do ICMS para os combustíveis e energia  e de 17% para 18 %  na alíquota geral, Sartori, do PMDB, fala nas entrelinhas que não está nenhum pouco interessado em combater a sonegação no Estado. É muito mais fácil tungar a população via energia e gasolina do que sair à caça daqueles que não pagam seus impostos.  Além de não dar nenhum reajusteao funcionalismo, Sartori ganhou muito com o realinhamento do preço dos combustíveis e energia no inicio do ano, fator que ele esconde. Meu Partido é o Rio Grande é na verdade a velha prática do PMDB nos governos, tira dos pobres e deixa os ricos de lombo liso.