29 de dez de 2008

Israel e a sua guerra perdida

Ocupação militar, demolições de casas, cerco naval, terrestre e aéreo, checkpoints e bloqueio à entrega de alimentos e remédios aos habitantes. Não ! Não estamos falando da política nazista do Führer na segunda grande guerra, estamos falando do Estado de Israel e sua máquina de matar palestinos. Ao contrário do que imagina os líderes sionistas a guerra que trava-se contra os palestinos já está perdida, assim como perdida foi ,desde o início, a guerra americana contra o Iraque. Matar centenas de civis com a justificativa de que o lado palestino (sitiado)lança foguetes Qassam (vetorzinho michuruca perto do aparato letal do Estado de Israel)é praticamente assinar a confissão de culpa diante de uma opinião pública mundial, que sempre teve no povo judeu um dos que mais sofreram nas mãos dos nazistas na segunda grande guerra.No Blog do jornalista Luiz Carlos Azenha está uma excelente matéria sobre o tema denominado A verdadeira história dessa guerra não é a que Israel está contando , publicada hoje 29/12/2008 no jornal Inglês The Independent. Outra fonte de consulta é o blog O Biscoito Fino e a Massa. De qualquer forma, aí está uma grande oportunidade do recém presidente americano Obama, mostrar a que veio.

“Mais grave! Mais agudo! Mais eco! Mais retorno! Mais tudo!”


Finalizei a leitura do livro Vale Tudo e o recomendo. O Som e a Fúria de Tim Maia,escrita por um de seus amigos mais próximos, o jornalista, compositor e produtor musical Nelson Motta. Ele resgata parte da memória da intensa convivência com o cantor, de quem era fã, assim como eu.Com preço sugerido de R$ 49,90, o livro produz boas gargalhadas e conta um pouquinho dos bastidores do mundo musical. Achei fantástico a divisão dos capítulos, que é feito pelo peso corporal de Tim ao longo dos anos. Transgressor, amoroso e debochado, o cantor gostava de se definir como “preto, gordo e cafajeste” e se consagrou como um dos artistas mais queridos e respeitados da música brasileira, rei do samba-soul. Tim Maia era todo enrolado juridicamente, pois ,eventualmente, não aparecia em seus shows e tinha três advogados, um para vigiar a ação do outro (ahahahhaha).

28 de dez de 2008

Gerdau e o discurso das elites


"... Enquanto as empresas se desdobram para evitar a tomada de decisões mais drásticas, o Congresso Nacional e o Poder Executivo praticamente seguem gastando como se nada estivesse acontecendo, como se existissem dois Brasis totalmente distintos..."
Esse é apenas um trecho do artigo "Dois Brasis" do PLAYER Jorge Gerdau Johannpeter, publicado em ZH Dominical (28). No início ele até dá uma vasilinada no Lula mas depois....Créooooo. Critica o aumento do gasto público federal com saúde,educação etc e a incremento do número de vereadores. Ah ! e ainda sobra para os Funcionários Públicos que na avaliação do "Dr.Jorge", não deveriam receber aumento de salário pois o momento é inadequado (claro ! tem que sobrar mais pra eles).
Esse cidadão é engraçado: suas empresas cresceram literalmente mamando incentivos fiscais (Fundopem) nas tetas do Estado (estadual, federal, intergaláctico) para logo em seguida "abrir" fábricas ou comprar usinas e laminadoras em outros países. Agora, quando a carruagem pega fogo e seus amigos especuladores quebram, ele usa o velho e surrado discurso da austeridade. O que nossa elite sempre soube fazer muito bem ao longo desses 500 anos de Brasil foi privatizar o lucro e socializar o prejuízo (e ainda continua). Realmente há dois Brasis, o dele e da sua elite - que pega jatinho pra jantar em Nova York - que sempre beneficiaram-se direta ou indiretamente ou para suas empresas com o dinheiro público e a do povão, que sempre paga a champanhota francesa da turma dos austeros e probros cidadãos de "bens". Se o senhor Gerdau diz que o caminho é outro, pode ter certeza: estamos no caminho certo.

27 de dez de 2008

Greve da PM de Santa Catarina: se a moda pega !

O governador de Santa Catarina, Luiz Henrique (PMDB), pediu ajuda ao governo Lula para que envie a Força Nacional de Segurança para patrulhar o Estado enquanto durar a greve (motim) de soldados, cabos, sargentos e subtenentes. Quartéis fechados e carros de polícia com pneus vazios são as armas dos amotinados. A paralisação das instituições militares em Santa Catarina, foi deflagrada na manhã de 22 de dezembro e já conta com 19 unidades militares totalmente paralisadas, entre batalhões, guarnições especiais, pelotões e destacamentos. Destaca-se, o 4º Batalhão da Polícia Militar de Florianópolis, o 7º Batalhão de São José e o 16º Batalhão de Palhoça, interrompendo o policiamento de toda a região da Grande Florianópolis.

No 12º Batalhão, em Balneário Camboriú - local onde se concentra a maior parte dos policiais destacados do interior para a Operação Veraneio - também está com o policiamento comprometido. As duas principais unidades administrativas da Polícia Militar de Santa Catarina, o Quartel do Comando Geral e a Diretoria de Apoio Logístico e Financeiro, estão fechadas e com os trabalhos interrompidos. Pelo menos 154 viaturas em todo o Estado estão paradas, com os pneus esvaziados ou trancadas dentro dos quartéis. Além disso, tem ônibus e motocicletas de rondas paralisadas.As esposas dos praças fecharam a entrada de quartéis em Florianópolis, Balneário Camboriú e Laguna, onde trabalham os principais efetivos da Operação Veraneio.De acordo com o sargento Edson Fortuna, um dos coordenadores do movimento dos praças, as atividades dos salva-vidas e dos bombeiros estão mantidas, por serem consideradas imprescindíveis. Participam da manifestação os que não estão de plantão. Já a maioria dos policiais militares em serviço estão fechados dentro dos quartéis.

A principal reivindicação da Associação de Praças de Santa Catarina é o cumprimento da Lei Complementar 254, sancionada em 2003. A Lei 254 estabelece um reajuste escalado de salários, de até 93%, em que o menor seja apenas um quarto do maior. Até agora foi pago apenas metade do que o governo estabeleceu. A última vez que os praças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros receberam reajuste salarial foi em 15 de novembro de 2005.
Se essa moda pega, podemos ter mais uma nova fase do governo Yeda aqui no Rio Grande do Sul.

26 de dez de 2008

Madrugadas ensurdecedoras e bebida liberada

Grupos de jovens que viajam para o litoral gaúcho para curtir suas férias parece que esquecem ou deixam bem guardados seus modos na suas casas. Além do som alto de seus carros-boate até o raiar do dia, some-se a tudo isso o menu de bebidas ingeridas nas raves de rua.Quando o sol nasce, os bebuns ligam seus carros e vão para casa.Como as prefeituras nao fazem nada e a polícia não reprime e nem fiscaliza, o verão promete muito som nas madrugadas. Durante o dia é a farra dos carros de som de restaurantes, churrascarias etc.. que oferecem seus serviços com auto-falantes no extremo. Para quem deseja descansar a pedida é levar um abafador de ouvidos para o litoral gaúcho.

25 de dez de 2008

Respeite o ser Humano, respeite os animais


Além do tradicional desrespeito ao ser humano verificado no dia-a-dia, todo ano é a mesma coisa quando se trata de animais e o descarte desses pelos seus donos. Encontrei ao longo da BR 290 (Free-Way) esta legítima chow chow (foto) abandonada, arrastando-se pela estrada com muita dor, sede e fome. A "choco" como apelidamos, foi operada para a retirada de um tumor e se recupera bem. Ela já está a espera de uma lar e quem tiver interesse em adotá-la ou em oferecer um lar temporário, contate pelo e-mail titacmelo@hotmail.com (51 98917831), com Cintia. Não é raro ver pessoas descartando animias (bem estilo capitalista) ou até
jogando-os pela janela de seus automóveis os pobres bichos ao logo de rodovias, em especial quando chega a época de veraneio. Geralmente são animais bem tratados e que se dedicam por anos a fio a uma família e por algum motivo recebem a sentença, na maioria das vezes de morte, ao serem jogados a própria sorte nas estradas para morrer num pára-choque de algum automóvel ou caminhão.

23 de dez de 2008

A perseguida


Coitadinha da Yeda , parece a Flora da novela das oito. Quem lê a manchete de ZH (23)"Piratini (????)) anuncia o resultado positivo de R$ 300 milhões em caixa" diz : o Estado está quebrado? . Pura lorota. No governo Rigotto ocorreu aumento de imposto e de receita com a chancela da maioria dos membros da Assembléia. Aprovaram aumento da alíquota linear de mais 1% de imposto para tudo e de cara ja tinham superavit. Yeda, quando levou a eleição, sabendo que tinha dinheiro em caixa, correu e jogou seu discurso de menos imposto fora e exigiu da base a manuntenção do aumento. Ai veio o blá blá blá do choque de gestão (leia-se não prestar serviços públicos).No entanto, de lá pra cá, os cofres do Estado continuaram a encher com o crescimento econômico do país e o aumento da arrecadação. Hum ano se passou e Yeda se deu 143 % de aumento e também para seus secretários, além de um aboninho de R$ 7 mil para secretários especiais de carreira. Para o "resto" apenas de 0 % a 11% para os servidores públicos ( a escolher ) Essa mulher é muito perseguida ! coitadinha !

21 de dez de 2008

Yeda, a mulher de Fases

Disposta a desatolar o governo Yeda, ZH dominical (21) descarrega mais uma vez o seu mantra sobre a "nova fase" do governo Yeda. A Yeda arrogante, prepotente que mandava baixar o cassetete em professores e agricultores agora "não se furta a tirar os sapatos para caminhar num rio, posar ao lado do Papai Noel na abertura das festividades natalinas ou mesmo andar de ônibus. No campo das ações de governo, surpreendeu até a oposição ao deixar de lado uma batalha dura em torno da prorrogação das concessões de pedágios, contrariando seu histórico de persistência."
Bem ! vejamos ! A primeira fase de Yeda foi quando antes mesmo de assumir, jogou seu discurso no lixo e exigiu de seus aliados do PMDB que propusesse o aumento de impostos. Sua base na Assembléia rachou e deputados que assumiriam como secretários saltaran como sapo em água quente; A segunda Fase foi a total ausência do Estado em suas obrigações com a saúde, a educação, a segurança pública e com a continuidade de obras e projetos já em andamento. O exemplo cabal disso foi a quebradeira de empresários do eixo da Baltazar (zona norte de Porto Alegre); A terceira fase foi a privatização à moda Britto do Banrisul, isso que ela chegou a vestir jaqueta do banco e promentendo não vender o patrimônio; A quarta fase foi a que o governo se atirou nos braços das papeleiras (Aracruz), passando por cima de leis federais e dos técnicos da Fepam para que a zonal sul do estado tivesse as lavouras de eucaliptos e uma nova fábrica que geraria milhares de empregos (a papeleira quebrou e a fábrica não vem). Em outros países e até mesmo em outros estados esse mesmo projeto devastou o meio ambiente, transformando rios e fontes e pedaços secos de terra; A quinta fase foi a da corrupção em seu governo, culminando na CPI do Detran, derivada da operação Rodin da Policia Federal. Alí ficou exposto o centro de governo e as falcatruas praticadas por seus membros e de seus aliados. A sexta fase foi a da compra da sua casa, (perguntem a um corretor de imóveis em Porto Alegre quanto é que vale a residência naquele local e estamos devidamente conversados). A sétima Fase foi a da proposta de natal turbinado às concessionárias com a iniciativa de prorrogar por mais 15 anos os atuais contratos. No meio disso tudo, cairam mais de uma dezena de secretários, a PF já abriu novas ramificações de investigações sobre fraude em licitações em Canoas (PSDB) que vai de estradas até merenda escolar. Realmente, Yeda é uma mulher de fases e o futuro nos espera para mais uma, qual será ?

19 de dez de 2008

Fraude no Detran pega mais nove


O procurador-geral de Justiça, Mauro Renner, apresentou nesta sexta-feira, 19, durante coletiva à Imprensa, novos resultados das investigações referentes aos desvios de recursos públicos no Departamento Estadual de Trânsito - Detran. Foram ajuizadas duas ações civis públicas e uma ação na esfera penal, resultando no total de 18 denunciados. Entre os denunciados estão os diretores-presidentes do Detran, Flávio Vaz Netto e Carlos Ubiratan dos Santos. Mauro Renner explicou que a sistemática de atuação era sempre a mesma, pois se dava com o superfaturamento de empresas escolhidas premeditadamente, que procuravam seus concorrentes para fazer propostas fictícias, beneficiando sempre aquelas escolhidas. Em relação à primeira ação civil pública ajuizada, ficou comprovado que entre os meses de abril e novembro de 2007, em Porto Alegre, Flávio Roberto Vaz Netto, na condição de diretor-presidente do Detran, juntamente com outros oito demandados, agindo em concurso e auxiliando-se mutuamente, recolheram ilicitamente para si mais de R$ 938 mil. Os valores foram provenientes de valores pagos pela Fenaseg - Federação Nacional das Empresas de Seguros Privados e de Capitalização - para prestação de serviço previsto em contrato em que o Detran era beneficiário, tendo como contratadas as empresas Tops Consultoria Empresarial Ltda., sendo os valores parcialmente desviados via Grão & Pão Indústria e Comércio Ltda., empresa inativa de propriedade de Imahero Fajardo Pereira. A segunda ação civil pública é referente a superfaturamento na contratação de empresas prestadores de serviços de transporte para o Detran. Somente em um dos casos, referente à empresa Lane Viagens e Turismo Ltda. foi constatado que houve superfaturamento na contratação pelo valor de R$ 216 mil, referente à locação, por 12 meses, de um microônibus, pelo valor mensal de R$ 18 mil. O valor de mercado apurado aponta que, pelos 12 meses, o valor total seria de aproximadamente R$ 118 mil. Tendo sido a contratação pelo valor superestimado de R$ 216 mil, o desvio foi de R$ 97,8 mil. Nove dos envolvidos responderão, ainda, na esfera penal, pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro. Em relação ao peculato, a denúncia é referente a apropriação indevida do valor total de R$ 938 mil dos cofres públicos. A lavagem de dinheiro ficou comprovada com os repasses no total de R$ 270 mil da empresa Tops Consultoria para a Grão & Pão Indústria e Comércio Ltda., feitos para ocultar a destinação do dinheiro recolhido com a prática criminosa contra a administração pública.

Agência de Notíciasimprensa@mp.rs.gov.br(51) 3224-6938

Inauguração da Baltazar sem pedido de desculpas


O governo do Estado durante dois anos permaneceu com suas obras paradas na Avenida Baltazar de Oliveira Garcia e deixou o Programa Linha Rápida com passos de tartaruga. O projeto, que estava dentro do programa, reprojetou a Baltazar para melhorar o transporte coletivo nos corredores Norte e Nordeste da Região Metropolitana. As obras começaram em fevereiro de 2006, sendo interrompidas no início do governo yeda. Para justificar o famoso Déficit Zero, Yeda cortou despesas com segurança, educação e infra-estrutura e é claro deixou quebrar a maioria dos comerciantes do eixo da Baltazar. A dupla cara-de-pau (governadora Yeda Crusius e o prefeito de Porto Alegre, José Fogaça) fizeram festa em uma obra que ja deveria estar pronta em 2007. Fogaça, por ser parceiro de yeda no seu governo e vice-versa, nesse caso entrou com a sua omissão costumeira , pois ao longo desse tempo não exigiu a conclusão no tempo certo das obras do governo Estadual. Fogaça demostrou que realmente pacificou a prefeitura (vassalagem) ao deixar o comércio local ser varrido do mapa. Deveriam ao menos um pedido de desculpas à comunidade e aos comerciantes e talvez uma linha de crédito do Banrisul a fundo perdido aos empresários que perderam tudo naquele trecho. Até um blog foi criado para denunciar a omissão

Isto não é um clube de amigos

Mais dois deputados estaduais do PMDB são incluídos no processo que a Justiça Federal move por possível participação em fraude em licitações. A decisão foi do Tribunal Regional Federal que incluiu os deputados Alceu Moreira (PMDB), presidente da Assembléia Legislativa, e Marco Alba (PMDB), secretário estadual de Habitação, no processo por suspeitas apuradas pela Operação Solidária da Policia Federal - investigou irregularidades em licitações envolvendo obras de saneamento, rodovias, além de fraude em compra de merenda escolar - também fisgou peixes graúdos do PSDB, e dois conhecidos deputados Federais (Padilha e José Otávio ) e pegou uma conversinha amiga do coronel Mendes com Chico Fraga, onde Mendes pede pra ser indicado a comandante da BM no governo Yeda Crusius.
No entanto, a repercussão na mídia guapa se limita a dar uma informação seca e formal. A abelha rainha não sai da colméia e o homem-elétrico fala de amenidades. Quem não se lembra que tanto a gestão municipal de Canoas, quanto a gestão Detran eram singulares em irrigar programas e colunistas políticos da grande mídia e recebiam espaços generosos em entrevistas bombadas. Isto não é um clube de amigos.

18 de dez de 2008

Reforma Agrária: Caiboaté já é do povo


Choro, lágrimas, emoção: falei a pouco com o repórter fotográfico Eduardo Quadros, que está em São Gabriel, fazendo a cobertura da entrega de título de posse para quase 600 famílias ligadas ao MST e que estavam acampadas à beira das estradas no RS. São as primeiras imagens do assentamento Caiboaté (Nome dado em homenagem ao índio Sepé Tiarajú , morto na Batalha de Caiboaté, uma das mais sangrentas batalhas da Guerra Guaranítica, na qual cerca de 1.500 índios Guarani perderam a vida confrontando o exército espanhol, incluido o líder Sepé Tiaraju ).

Segundo relato, a emoção tomou conta de integrantes do governo Lula, deputados e agricultores. para o MST a conquista da Caiboiaté está na mesma grandeza da Fazenda Anoni, no norte do Estado. Assentar quase 600 famílias de pequenos agricultores e suas famílias, somente num município, representa uma grande conquista política para Lula e um tapa de luva em integrantes do Ministério Público do RS e no governo Yeda. Yeda não assentou e nem assentará nenhuma família nos seus quatro anos de mandato e sua política é para outras esferas. Mas isso é uma outra história. Agora a ordem é trabalhar e produzir na terra.


Fotos: Eduardo Quadros.
contato: 51 96952575

Mais vereadores com custo igual melhora a representação dos gaúchos

Quando ocorreu a redução do número de vereadores em 2004 a maioria bateu palmas. O discurso era o de reduzir os custos com às Câmaras. Na realidade, o que ocorreu, foi ao contrário, pois reduziu-se a representação política, concentrou o poder naqueles que já tinham mandato ou nos que foram apoiados pelo poder econômico. O percentual de gasto com o Legislativo à época também ficou o mesmo, apenas aumentou o número das diárias, compra de mobília, gastos com consultorias, aumento do número de assessores. Essa foi a forma encontrada para que o percentual destinado aos Legislativos municipais fosse gasto. Foi justo ? Na minha opinião Não ! O Poder economômico manteve sua representação pois as bancadas das empreiteiras, do cimento, das prestadoras de serviços se mantiveram, na maioria dos casos. Ficou de fora grande parte dos vereadores que recebiam os votos de suas comunidades e eram eleitos por defender iniciativas populares. Passar de 4.584 para 5032 vereadores, em especial onde ocorreu grandes distorções (119 municípios no RS) de representação é mais do que justo. Em tempos de Pontais, de espigões, de serviços públicos municipais precários, de bancadas de empreiteiras, esse aumento do número de vagas vem em boa hora. O que falta é fiscalizar o bom andamento do trabalho dos Edis.

17 de dez de 2008

Reforma Agrária no Berço do Latifúndio

590 famílias de sem terra serão assentadas em São Gabriel e em Santa Margarida do Sul a partir de amanhã (18) . O ato de posse é motivo de comemoração para o MST , pelo Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e pela Superintendência Regional do Incra no Rio Grande do Sul. Maior parte das áreas é da fazenda Southal, desapropriada pelo Incra no mês de dezembro. Para os deputados Dionilso Marcon e Adão Pretto (PT) a posse da terra significa uma grande vitória do MST e dos movimentos sociais. Marcon recordou que, juntamente com o deputado Adão Pretto, esteve cercado por estancieiros na Fazenda Southal, em São Gabriel, durante uma operação da Brigada Militar no primeiro semestre deste ano. A situação tensa exigiu a intervenção da Assembléia Legislativa e da Câmara Federal para garantir a integridade física dos dois deputados, que tentavam intermediar uma saída pacífica entre sem terra e governo estadual

O homem de Obama volta como de uma anestesia

O ex-chefe da Casa Civil do governo Yeda , Cézar Busatto (PPS), aos poucos está sendo inserido no dia-a-dia dos noticiários e jornais da mída guapa. Aos poucos ele aparece, como de uma anestesia-geral e com o curativo de nossa mídia guapa de que ele foi para os EUA ajudar na Campanha de Obama (ahahahahahha).Ficou por lá "pianinho", com um selo na boca de "observador político" esperando que a lama que o ilhou aqui nos pampas ficasse mais seca. Busatto perdeu o cargo devido a conversa que teve com o vice-governador Paulo Feijó (DEM), quando disse que o PMDB e o PP usavam empresas públicas para financiar suas campanhas eleitorais. O homem de Obama está de volta, quem sabe será convidado para algum Conselho Político, um debate aqui ou ali (tudo filmado e fotografado) e por fim uma Secretaria. ALIÁS ! O PMDB processou o ex-chefe da casa Civil ? O PP foi a justiça para lavar a sua honra devido aos comentários desonrosos que fez o homem de Obama ?

16 de dez de 2008

A mídia, o mercado e o Estado


O poder da grande mídia no RS, ao contrário do que pregam em seus veículos, não provêem das forças do mercado ou de contribuições graúdas e sistemáticas da iniciativa privada. Pelo contrário, ao longo dos anos, o que se vê são astronômicas verbas publicitárias que o Estado garante anualmente. Por que orgãos de Estado como a Agergs, o Banrisul, a Corsan, a CEEE e outras tantas precisam descarregar milhões de reais anualmente em mídia ? O gabinete da governadora e a Assembléia Legislativa também contribuem polpudamente com essa verbas. Não deveriam prestar um serviço de qualidade para mostrar a sua propaganda ? Muitos do que falam em transparência nas rádios e jornais ficam quietinhos quando se tenta tabular o quanto é destinado para esse fim. Digo tenta porque são muito difíceis de arrancar informações de órgãos públicos sobre o quanto se destina para esse fim ou que caminhos percorrem até chegar ao seu destino final.
Na outra ponta estão pequenas rádios comerciais do interior ou emissoras comunitárias, que dependem de sua comunidade para sobreviver. A briga entre os pequenos pelos "restos" que sobram do banquete do grandes é titânica. Todos reclamam, mas o que fazer ? tem que baixar a cabeça e esperar um farelo que sobre.
No andar de cima o banquete é farto ( milhões para campanhas publicitárias,muitas vezes que não retratam a verdade). No andar de baixo (rádios e jornais do interior) disputam pequenas verbas e ainda tem que deixar 20% para às agências. O Ministério Público deveria ir a fundo e fiscalizar essa farra do dinheiro público.
O segredo, na verdade, é que para a grande mídia não interessa que haja governos fortes, melhor são: partidos fracos, parlamentar vacilantes que mendigam espaços de mída que no fundo ele mesmo garantem. O dinheiro que garante a folha de pagamento dos funcionários dos grandes veículos de mídia, ao longo do ano, através de veiculação de publicidade, faltam para os salários dos servidores, para educação, saúde e segurança pública.

Não tem Pesquisa para a Yeda ?



É tão estranho a falta de uso de uma ferramenta bem utilizada pela mídia "amiga" em governos anteriores. Falo da Pesquisa de Opinião Pública. Será que nenhuma federação, entidade de classe ou grupo de mídia providenciou uma sondagem sobre a popularidade de Yeda no último período ? Dou um dedo se essas pesquisas não estão bem escondidas da opinião pública devida a altíssima baixa popularidade de nossa líder guasca. Me recordo de um ex-ministro de FHC - mais um tucano que esses dias falava em entrevista para rádio gaúcha sobre crise internacional - que foi pego pela boca num canal aberto da parabólica : "a gente divulga o que é bom, esconde o que é ruim". Nossa mídia guasca é especialista nesse quesito.

15 de dez de 2008

Sapatada é pouco

Alguém já perguntou onde anda o jornalista (colega) que e

Sapatada é pouco

Alguém já perguntou onde anda o jornalista (colega) que deu uma sapatada do presidente americo Jorge W. Bush ? Espero que não seja torturado ou morto pelo aparato norte-americano e seus aliados. Imaginem ! o povo iraquiano deve ter ficado muito feliz com aquele gesto. Aquilo deve ter aliviado a dor de centenas de famílias que perderam seus filhos, maridos e esposas. O bom é que na guerra da mídia o governo Bush perdeu de 10 a 0 e essas sapatadas vão até virar game da gurizada, pode apostar.

Crack em frente a SJS

Fiquei impressionado com a quantidade de viciados em crack que livremente fumam a droga a plena luz do dia. O local usado é estranho: em frente a Secretaria de Justiça e Seguraça Pública na Avenida Castelo Branco. Foi surpreendente assistir um joven parado no meio da pista de rolamento da Castelo, em frente a SJS, brigando com um poste. Isso mesmo, o rapaz estava delirando. A 10 metros dali mais quatro jovens estavam fumando a droga. Quem quiser constatar esa realidade, basta sair da cidade plo antigo acesso em frente a rodoviária e olhar ao longo da via essas cenas. pelo visto a SJS não consegue ver o óbvio, a droga está nas portas e nas barbas de nossas autoridades. Também já existe outra droga mais poderosa sendo comercializada na cidade, é a Merla. outro derivado da cocaina, porem pior que o crack.

O crack deriva da planta de coca, é resultante da mistura de cocaína, bicarbonato de sódio ou amônia e água destilada, resultando em grãos que são fumados em cachimbos.
O surgimento do crack se deu no início da década de 80, o que possibilitou seu fumo foi a criação da base de coca batizada como livre. O consumo do crack é maior que o da cocaína, pois é mais barato e seus efeitos duram menos. Por ser estimulante, ocasiona dependência física e, posteriormente, a morte por sua terrível ação sobre o sistema nervoso central e cardíaco. Devido à sua ação sobre o sistema nervoso central, o crack gera aceleração dos batimentos cardíacos, aumento da pressão arterial, dilatação das pupilas, suor intenso, tremores, excitação, maior aptidão física e mental. Os efeitos psicológicos são euforia, sensação de poder e aumento da auto-estima, e a morte.

14 de dez de 2008

Artigo de Mino Carta sobre a Mídia,o AI5 e ditadura. Imperdível

O Ato Institucional nº 5 desabou sobre o Brasil faz 40 anos, o aniversário cai neste dia 13 de dezembro. Com ele, a ditadura tirou a máscara? Foi ato de pura formalidade, as premissas já estavam fincadas, como estacas inabaláveis. Somos imbatíveis neste jogo das aparências, nós, do privilégio. E também somos bandeirolas ao vento da conveniência contingente. Até ontem lia e ouvia da mídia nativa que o regime de exceção de 21 anos resultou de uma revolução. Agora fala-se em ditadura militar. Permito-me ainda contestar o adjetivo militar. Leio entre atônito e perplexo o suplemento de O Estado de S. Paulo sobre a edição do AI-5. O título de abertura informa a platéia que o edito assassinou a liberdade. E já não fora assassinada no dia 1º de abril de 1964, quando o golpe derrubou o presidente democrática e constitucionalmente eleito? E que esperar, a partir de então, daquele gesto de inaudita prepotência, invocado pelos inesgotáveis donos do poder e sua mídia, e praticado por seus gendarmes, convocados para executar o serviço sujo? Diz o Estadão no seu suplemento que a sociedade brasileira apoiou o golpe. Que sociedade, caras-pálidas? Agrada-me, entre parênteses, usar o lugar-comum, tão apropriado, no entanto, para acentuar a palidez dos rostos privilegiados. Sim, a sociedade dos clubes faustosos, dos bairros elegantes, das redações abastadas, e do seu time aspirante, sequioso de ascensão. Enfim, dos democratas da democracia sem povo. O golpe, é do conhecimento até do mundo mineral, foi invocado e estimulado para interromper a subversão em marcha, esta que espero em vão até hoje, com a inestimável colaboração da CIA e do embaixador dos Estados Unidos, Lincoln Gordon. Agora me pergunto: as manifestações midiáticas na comemoração do AI-5 são fruto de ingenuidade ou de desfaçatez, da ignorância ou da hipocrisia? Algo está certo na apresentação do Estadão. A afirmação de que não houve outro diário atingido pela censura nascida do AI-5, como Palas Athena dos joelhos de Zeus. Justo lembrete, no mesmo momento em que os jornalões não hesitam em falar em ditadura fardada e anos de chumbo. Tamanha capacidade de vestir a roupa nova é de comover, ou estarrecer, como preferirem. Nada de surpresas. Cabe, porém, estabelecer outras diferenças, a bem do futuro. O qual será melhor se a memória for preservada. A da censura e da feroz perseguição política e da tortura, crimes contra a democracia e a humanidade, praticados em conseqüência do golpe de 1964 e do golpe dentro do golpe de 1968. A censura deu-se em três diferentes patamares, é verdade factual. O Estadão, que no seu suplemento se atribui o papel de líder na resistência à censura, contou de fato com concessões que outros não tiveram. Foi censurado na redação, foi autorizado a preencher espaços cortados com versos de Camões (e receitas de bolo no caso do Jornal da Tarde) e ficou livre dos censores no dia do seu centenário, dia 4 de janeiro de 1975, no quadro de evidente homenagem da ditadura a uma casa que na origem militara integralmente ao seu lado. A censura no Estadão foi o desfecho de uma briga em família, a mesma que acabou por cassar Carlos Lacerda, favorito da família Mesquita à sucessão presidencial. Acima dos militares havia quem não concordasse com isso, e os rebeldes foram punidos, embora, lá pelas tantas, pudessem ser recebidos de volta como filhos pródigos. Outro patamar para Veja, que eu então dirigia, primeiro censurada na redação por militares, depois por policiais civis e finalmente, de abril de 1974 a abril de 1976, obrigada a remeter diariamente o material para as dependências da Polícia Federal em São Paulo e, aos sábados, para o domicílio dos censores. Por algumas edições, não mais que seis, colocamos em lugar dos espaços cortados gravuras de gárgulas medievais. Os titulares das tesouras enfim entenderam, e os diabinhos foram proibidos. No pior dos patamares ficou a imprensa alternativa, apresentada como nanica por quem se supõe gigantesco, e que eu chamaria de “tendência”. Sem exclusão do Pasquim e de O São Paulo, jornal da Cúria Metropolitana de São Paulo, ré por ser a casa de dom Paulo Evaristo Arns. Tinham estes desafetos que remeter o material para a sede central da PF, em Brasília, os semanários toda terça-feira. O primeiro a ser liberado foi o Estadão. A censura só deixou os demais entre abril de 1976 e meados do ano seguinte. Ao celebrar seu centenário, o jornal da família Mesquita trouxe um suplemento bem mais volumoso do que aquele referido acima. Contava a sua história desde o começo e dedicava largo capítulo ao renascimento depois da encampação sofrida durante o Estado Novo. Foi então que se deu a primeira reforma importante de um jornal brasileiro, iniciada sob a influência decisiva de meu pai Giannino em 1948 e assumida nos anos 50 por Claudio Abramo. No suplemento de 4 de janeiro de 1975 falava-se de um certo cavalheiro muito bem-educado de sobrenome Carta que andava pela redação sem propósitos melhor especificados. Quanto a Claudio Abramo, era simplesmente ignorado. Não foi aquele um dia sem censura, conquanto faltassem os censores da ditadura. Se um marciano surgisse subitamente em cena, não conheceria toda a história. Assim como hoje, o mesmo marciano não saberia, a basear seu conhecimento na exclusiva leitura do Estadão, como de fato se deu a censura e qual foi o papel desde as preliminares do golpe de 1964. Receio que no Brasil atual haja espaço para inúmeros marcianos, e não somente entre os leitores do Estadão. Dedico este texto ao planeta Marte.

A pista de Lair

A págima 10 (ZH),que tem como escriba Mor a Jornalista Rosane de Oliveira, em um dos espaços mais disputados e cobiçados por politicos do Rio Grande do Sul, garantiu, neste domingo,(14),uma generosa parte de sua coluna a uma figurinha carimbada na CPI do Detran. Falo de Lair Ferst, (guru do PSDB e indiciado pela Justiça Federal no caso Detran). Qual a lenga-lenga dessa vez ? Calma ! não é outro escândalo. É apenas o doutor Lair fazendo pesadas críticas ao superintendente da Policia Federal , Ildo Gasparetto. Ele compara o Loby do coronel Mendes ao seu e afirma que Gasparetto usa dois pesos e duas medidas ao incriminá-lo . Bem ! até onde nós saibamos o coronel Mendes ainda não foi grampeado pela PF "desviando" recursos públicos para o bolso privado,como era o caso da quadrilha que estava no governo. Será que Lair quer dar uma pista da colaboração do coronel em Canoas quando era sub-comandante ? Será que ele sabe de algo e quis mandar algum recado ? Será que não tem mais fitas ?

13 de dez de 2008

Mídia quer trasformar Robin Hood em príncipe John

A Página 10 insiste em trasformar Robin Hood em príncipe John. Quem lê a coluna imagina que o presidente Lula está atrasando o desenvolvimento do Rio Grande ao impedir que "vermes" ganaciosos se locupletem por mais 15 anos com o dinheiro da prorrogação do pedágios. Coitada da governadora, mandou às favas o presidente com maior índice de popularidade desde Getúlio Vargas (será que não passa?) Yeda ocupou os espaços na mídia amiga para desqualificar o memorando enviado pelo governo Federal, que condena a prorrogação dos pedágios. A turma do Britto (PMDB) amarrou tão bem os contratos que às concessionárias além de não cumprirem o que estava acordado ainda alegam "prejuízos" e querem indenização. No inicío de 2009 o contratinho que turma do Britto amarrou vai dar mais um aumentinho de 11% (quem recebeu 11% de aumento no salário ?). Segundo o IPCA, as meninas de ouro de YEDA já tiveram aumento acima da inflação de 92%. Isso é que eu chamo de natal turbinado e queriam mais. O governo do PSDB vai insistir com a prorrogação. Se não conseguirem votar a proposta agora, voltam em janeiro ou fevereiro e não é de surprender se a base aliada de Yeda (PMDB,PP,PTB, PSDB) queira votar o projeto no dia 16/12 , ou talvez, na calada da tarde de uma modorrenta tarde de fevereiro.
O argumento do governo de que precisa prorrogar os pedágios para ajudar a salvar vidas das pessoas nas estradas é tão estupido e vazio quanto o discurso de que o Rio Grande vai párar caso as "meninas de ouro" não recebam seu natal turbinado. Quem não fez em dez anos não faz em três, além do mais, nunca se preocuparam com nada além do lucro fácil e contratos inquebráveis. Acusar Lula de atrasar o Rio Grande é como condenar Robin Hood de assaltar as carruagens abarrotadas de ouro do principe John para devolver aos pobres que moravam na floresta de Barnsdale.

12 de dez de 2008

Simon's Cats / Eles são assim mesmo


Fonte: http://satiro-hupper.blogspot.com/

Seca já atinge o RS e prefeitos estão preocupados com o futuro

Preocupados com a estiagem que já atinge a Região Norte do Estado, deputados, prefeitos e lideranças se reunem nesta terça-feira (16/12) em audiência com o Delegado Federal do Desenvolvimento Agrário no RS, Nilton Pinho de Bem. Na pauta, esta a proposta de ações que visem amenizar os efeitos climáticos que a seca já produz no RS, trazendo prejuízos aos municípios e aos pequenos agricultores.O governo Yeda, na campanha, prometeu acabar com o problema da seca no Rio Grande do Sul e criou até uma secretaria para tal feito. No ano passado o governo do Estado além de demorar muito na homologação dos decretos também prejudicou os municípios afetados. Sem a publicação no Diário Oficial e o envio dos documentos para a Secretaria Nacional de Defesa Civil, subordinado ao Ministério da Integração Nacional, não há como a prefeitura pleitear recursos no governo Federal . O verão nem chegou e a seca promete fazer grandes estragos no RS.

Alerta contra golpe baixo, avisa a oposição

Os deputados que se opoem ao projeto de prorrogação pedágios na Assembléila alertam que a iniciativa do governo do Estado de prorrogar os contratos de pedágios por mais 15 anos pode sim ser votado na terça-feira (16) e que o anuncio da retirada do projeto poder ser uma tática para desmobilizar a sociedade gaúcha para o dia da votação. Os parlamentares avisam que a sociedade deve ficar alerta para um possível golpe baixo do governo. A frente contra os pedágios estará atenta e vai trabalhar para evitar que o parlamento seja constrangido a apreciar uma matéria repleta de irregularidades

Os deputados do PT, PC do B, PDT e PP solicitaram, formalmente, ao presidente da Assembléia Legislativa, Alceu Moreira (PMDB), a devolução do projeto ao governo do Estado. O pedido é ancorado no Regimento Interno da Casa, que estabelece que, em caso de inconstitucionalidade ou manifesta ilegalidade, o presidente tem o poder de devolver a proposta ao seu autor. A negativa do presidente não abalou a oposição, que promete analisar outras alternativas para evitar a tramitação da proposta. O PT não descarta a possibilidade de ingressar com uma ação judicial.

Fórum Social Mundial será no Pará

O Governo do Pará se prepara para receber o Fórum Social Mundial ( aquele que era em Porto Alegre) Em entrevista exclusiva à Carta Maior, o chefe da Casa Civil do governo paraense, Cláudio Puty, fala da importância do Fórum Social Mundial, da relação com os movimentos sociais e dos principais desafios colocados para a administração estadual, além de rebater as críticas à organização do evento. Clique Aqui para ler a entrevista na íntegra

11 de dez de 2008

Deputados pedem que Mendes não assuma no TJM

O deputado Dionilso Marcon e o deputado Elvino Bohn Gass (PT) se revezaram na tribuna da Assembléia Legilativa para exigir que o governo Yeda anule o ato de nomeação do coronel Mendes, para o Tribunal de Justiça Militar do RS. Marcon lembrou da perseguição de Mendes contra os movimentos sociais e da gravação em que o então sub-comandante articula nota junto ao jornalista Políbio Braga contra o MST. O petista acusou Mendes de se associar a um ladrão de merenda escolar, referindo-se a Chico Fraga , investigado na operação solidária na fraude de contratos de fornecimento de merenda escolar e processado pela justiça federal na operação Rodin. O deputado Elvino Bohn Gass fez relação ao grande de poder que Chico Fraga mantém no governo Yeda, mesmo após o seu indiciamento pela Justiça Federal e vê que essa relação de poder também pode chegar a outros indiciados , tais como Lair Ferst.

Assista o pronunciamento do deputado Marcon

Mendes caiu pra cima


No velho jargão da política, o coronel Mendes "caiu pra cima". A conversa do coronel com o secretário-geral de Governo de Canoas, Franscisco Fraga, (indiciado pela operação Rodin e investigado na Operação Solidária que investiga fraude em contratos de fornecimento de merenda escolar e de obras rodoviárias) revela que o "Chico" tem poder e influencia a governadora Yeda e o seu governo, ao contrário do que ele mesmo havia afirmado na CPI do Detran, na Assembléia Legislativa. Outro fato importante revelado, mas escondido pela "grande mídia" é alto nível de partidarização do comando da BM. Fica claro que Mendes é indicação do PSDB de Canoas pelos "serviços prestados". O que mais enoja a população é que esse mesmo coronel — que muito pau mandou baixar em professor e agricultor—foi nomeado para uma vaga no Tribunal de Justiça Militar, onde receberá um salário de r$ 22 mil reais mensais. Alías, Yeda gastou mais com o tribunal militar do que segurança pública (TJM 21 milhões x 14,5 milhões segurança pública).

Me digas com quem andas e te direi quem és

Minha avó já dizia: " me diga com com que anda e te direis que é" Na mosca !
A reportagem públicada em Zero Hora hoje (11/12) traz mais um capítulo da novela sobre as relações de poder entre o governo Yeda com os indicados na operação Rodin. A matéria publicada descreve trechos granpeados pela Policia Federal em que aparece as falas do coronel Mendes (subcomandante da corporação à época) pedindo para Chico Fraga (PSDB de Canoas) que fizesse articulações que pudessem influenciar na decisão da Yeda para ascender ao comando da BM. Mendes chega a pedir que Chico Fraga interceda junto ao jornalista Polibio Braga para que "bombe" o seu nome, usando o MST como bode espiatório sobre o episódio da ocupação da Fazenda Southall, fazendo se passar por impressindível.
Se o próprio comandante deve favor a indiciados da operação Rodin, imagina-se como ele deve ter retribuido esse apoio.
Foto: Eduardo Seidl

10 de dez de 2008

Casa "igual" a de Yeda estava à venda por 1,4 milhão em 2006




A revista Imóveis Class, ano 2, nº 12 , de 22 de abril de 2006, traz em seus classificados uma casa idêntica a da governadora, com algumas mudanças estéticas e de cor. A casa posta à venda na revista foi anunciada por R$ 1,45 milhão (Hum milhão e quatrocentos e cinquenta mil reais). É muito estranho que o Ministério Público não tenha levado esse caso adiante. Veja às fotos e compare, são muito "parecidas". Parecem as mesmas, só que uma saiu pela metade do preço.
Yeda diz que comprou a casa em Porto Alegre no dia 6 de dezembro de 2006. Avaliado em R$ 900 mil, o imóvel foi adquirido por R$ 750 mil. No mesmo bairro onde se situa, as casas têm avaliação de mercado de R$ 1,5 milhão.

Yeda executa apenas 9% dos recursos da segurança em 2008

O governo Yeda propôs para o ano de 2008 um orçamento para a Segurança Pública de R$ 198,5 milhões (investimento) . O que a mídia amiga não fala e não cobra é que estamos no mês de dezembro e apenas 14,5 milhões foram executados, ou seja, 9% do valor proposto inicialmente pelo governo do déficit zero. Sabemos o que Tribunal de Justiça Militar do Estado,órgão obsoleto, e inútil, que serve apenas para julgar processos envolvendo membros da Brigada consumirá neste ano R$ 21 milhões de reais do erário público. O elefante branco chamado tribunal militar consumirá mais recursos que toda a Polícia Militar, Civil e Susepe juntas (R$ 14,5 milhões). A governadora Yeda, além de não executar seu próprio orçamento, ainda contemplará o coronel Mendes (atual comandante) da BM para compor esse tribunal, recebendo uma salário de R$ 22 mil reais, juntamente com mais seis coroneis. Esse é um governo de déficit zero, segurança zero, saúde zero e educação zero

Convite do MST

A Direção Estadual do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra - MST envia nota-convite para dois importantes atos que ocorrerão em São Gabriel e em Nova Santa Rita na próxima semana (16 a 19 de dezembro) No dia 16 de dezembro tem início a Marcha dos agricultores e agricultoras e de suas famílias em direção a São Gabriel rumo à fazenda Estância do Céu, que pertencera ao complexo Southall, desapropriada recentemente pelo Incra. A previsão de chegada da Marcha na fazenda será dia 18 com ato político de Emissão de Posse do novo assentamento com almoço coletivo. A segunda conquista, segundo a nota do movimento, será a instalação de uma unidade de beneficiamento de arroz, no Assentamento Capela, em Nova Santa Rita, a ser inaugurada em ato com a presença do Ministro Guilherme Cassel no dia 19 de dezembro às 11h. O ministro também visitará a loja da Reforma Agrária localizada no Mercado Público, em Porto Alegre.

Pedágios 92 % acima da inflação não dá

Se for correta a informação de que em apenas 10 anos de cobrança de pedágios, as tarifas para veículos de passeio e comerciais com dois eixos subiram 92 % acima acima da inflação (IPCA) ,então temos que banir esses gatos do Estado imediatamente. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), é elaborado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e usado oficialmente para avaliar a inflação no Brasil. A planilha, segundo o deputado Raul Pont, tem componentes fora da realidade. O deputado afima que os gastos incluem assessorias e consultorias. "O pedágio vive da manutenção de estradas e não de consultas e estudos", diz o parlamentar. Na CPI dos pedágios,realizada em 2006,na Assembléia Legislativa, foram identificadas notas frias, lançadas pelas concessionárias como se fossem despesas de manutenção das rodovias e que foram alvo de investigação na Receita Federal.

9 de dez de 2008

AGERGS não elaborou projeto de Yeda

Ofício 254-cs da Agência de Regulação dos Serviços Delegados do Estado (Agergs) respondeu à Assembléia Legislativa sobre a participação da agência na elaboração do projeto do governo Yeda para prorrogação dos pedágios que tramita na Assembléia Legislativa.

A AGERGS afirma que não participou da elaboração do projeto 279/08 para prorrogação dos pedágios que tramita na Assembléia Legislativa, conforme Yeda havia dito. Na realidade Yeda usou a Agergs transformando a participação de um grupo de trabalho que o governo criou para discutir o aperfeiçoamento do programa de concessões como se fosse uma "participação efetiva" na elaboração do projeto. O objetivo: dar um "verniz" técnico à proposta.

Estudos da agência afirmam categoricamente que todos os pólos de pedágios foram reprovados no quesito qualidade, ficando abaixo do aceitável, e que nenhum estudo sobre prorrogação, novas tarifas, inclusão de trechos, praças e valor de obras foi elaborada pelo corpo técnico da AGERGS.

O estudo apresentado pela Secretaria de Infra-Estrutura e Logistica do RS sobre os desiquilibrios econômicos dos pólos foi apresentado três meses antes de a Fundação Getúlio Vargas ter revelado seus estudos ( OS ESTUDOS DA FGV SÃO ÀS BASES PARA TAL ESTUDO).

O governo Yeda além de tomar às dores das concessionárias e usar orgãos de Estado para transparecer ares de idoneidade ao PL 279, também GANHOU poderes extra-sensoriais e de vidência.



O bem e o mal e a "festa" dos pedágios

O resultado do debate na TV COM, realizado ontem à noite (08), recebeu um recorde de ligações, a esmagadora maioria repudiando os atuais contratos de pedágios.Com mais de seis mil ligações, 73% responderam que a proposta é ilegal contra apenas 27% que opinaram pela legalidade dos contratos. Segundo o advogado Ricardo Giuliani, advogado das empresas das concessionárias de pedágio, o debate não é uma disputa entre o bem e o mal. Ponto
Realmente dr. Ricardo, este debate não é entre o bem e o mal. É o debate entre quem deseja prorrogar uma concessão de péssima qualidade, pelo triplo do preço, por mais 15 anos, sem nenhum compromisso e contrapartida com o desenvolvimento econômico da população gaúcha. Do outro lado estão os trabalhadores autônomos, os caminhoneiros e os comerciantes, que se obrigam a repassar o custo dessa "festa dos pedágios" para os produtos e ao final para mesa e para o bolso nosso de cada dia.

8 de dez de 2008

O bode das Concessionárias

Foi anunciado hoje (08) que as concessionárias estudarão as mudanças solicitadas pelos deputados para aprovar o projeto dos pedágios.
Que deputados pediram isso ? Os da base do governo Yeda ?
Se a população não quer nem saber de prorrogação dos atuais contratos, quem está pedindo pra alterar os projetos ? Eles não deveriam nem existir. O que está sendo debatido pela mídia na realidade são os "bodes" na sala. Eles encheram o projeto desses peludos quadrupedes só para depois retirá-los um a um e aprovar algo que ninguem pediu. Veja a malandragem: Primeiro vieram com a lenga-lenga de tirar praças que eles mesmos criaram, depois disseram que poderiam não explorar às faixas de domínio, agora dizem que podem aumentar os trechos a serem duplicados.

TUDO BALELA ! O que o governo (concessionárias) quer é

A PRORROGAÇÃO, E SÓ !

O resto são bodes fedorentos postos na salas dos gaúchos

O Movimento Negro e Quilombola estão de Luto

Neste momento 10h45min (08), representantes das Comissões de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa, da Câmara de Vereadores e diversas entidades ligadas ao movimento negro e aos quilombolas realizam manifestação em frete ao Palácio da Polícia. Exigem que o delegado determine a busca do assassino de duas lideranças quilombolas ocorridas no início do mês. Após, a representação se dirigem à Policia Federal onde solicitarão o acompanhamento do caso. Na quarta-feira haverá uma missa, às 19h no quilombo dos Alpes e na quinta-feira às 10h ocorrerá uma audiência pública na Câmara de Vereadores, organizada pelo vereador Guilherme Barbosa e pelo deputado estadual Dionilso Marcon, ambos do PT.

Entenda o caso:


No dia 04 de dezembro, por volta das 13h 30 min a Comunidade Remanescente de Quilombo dos Alpes foi brutalmente atacada. Dois líderes quilombolas foram assassinados: Joelma da Silva Ellias (Jô, 36 anos), diretora de Eventos e membro do conselho fiscal da Associação do Quilombo dos Alpes e Volmir da Silva Ellias (Guinho, 31 anos) – vice-presidente da Associação do Quilombo dos Alpes. O assassino ainda deixou ferida Rosangela da Silva Ellias (Janja) – Presidente da Associação dos Moradores do Quilombo. O ataque ocorreu dentro da comunidade, sendo que Volmir e Joelma foram alvejados pelas costas. Segundo a comunidade o assassino Pedro Paulo Back, conhecido por alemão, morava na área do quilombo e já algum tempo vinha ameaçando as lideranças. No domingo dia 30/11 ele disparou diversos tiros contra comunidade gritando frases racistas e preconceitusas. Diante desta ameaça, a presidenta da Associação denunciou o fato ao INCRA que, por sua vez pediu que a comunidade procurasse o Ministério Público Federal.
A Comunidade do Quilombo dos Alpes, a partir de Janeiro de 2005, foi auto reconhecida e Certificada pela União através da Fundação Cultural Palmares. Desde então, passa a ter sob a sua posse uma vasta área de terra, , aproximadamente 142 hectares.

Se antes a especulação imobiliária confinara a comunidade em uma área restrita de terra, hoje ela já pode desfrutar de boa parte das terras ocupadas pelos seus ancestrais. A finalidade da terra para esta Comunidade Remanescente de Quilombos é inconciliável com a destinação dada pelas empresas de especulação imobiliária, que buscam lotear a área ao passo que os quilombolas há mais de cem anos ali estabelecidos desenvolveram uma relação de preservação com o meio ambiente, especialmente da mata de onde advém parte do seu sustento e dos veios de água. Desta forma impedindo que o local seja utilizado como depósito de lixo e evitando incêndios criminosos.

Os conflitos no quilombo dos Alpes vêm ocorrendo sistematicamente desde que a comunidade se auto declarou quilombola. A partir deste momento tem inicio um processo de disputa pelo território por parte de moradores não quilombola(posseiros) e dos especuladores imobiliariarios com a conivência de órgãos da segurança pública. O acirramento desde processo redundou nesta chacina. A demora do processo de regulamentação do território quilombola vem acirrando os conflitos inerentes à disputa pela terra. A comunidade negra do RS exige providencias dos governos federal, estadual e municipal, no sentido de fazer cumprir o artigo 68 ADCT da Constituição Federal. De imediato requerem: proteção da policia federal e o respectivo acompanhamento do inquérito policial, assim como a a imediata titulação do território quilombola.

Estão em vigília neste momento:

Associação da Comunidade Remanescente de Quilombo dos Alpes – Dona Edwiges
Associação da Comunidade Remanescente de Quilombo Família Silva
Associação da Comunidade Remanescente de Quilombo Luiz Guaranha
Associação da Comunidade Remanescente de Quilombo Família Fidelis
Rede Quilombos do Sul
FACQRS - Federação das Associações das Comunidades Quilombolas do RS.
Akanni – Instituto de Pesquisa e Assessoria em Direitos Humanos, Gênero, Raça e Etnias.
IACOREQ – Instituto de Assessoria as Comunidades Remanescentes de Quilombos
MNU – Movimento Negro Unificado
FORMA - Fórum Estadual de Religiosidade de Matriz Africana
UNEGRO – União de Negros Pela Igualdade Racial

08/12 - 171 homicídios e ainda não acabou

Enquanto o comando da Brigada Militar ainda comemora os 171 anos da corporação, até hoje (8/12), mais de 171 gaúchos perderam suas vidas, vítimas de homícidio. Conta-se nesta cálculo apenas aqueles que morrem no ato do crime. Intrigante é que nesta fórmula se a pessoa é baleda, mas tem seu óbito no hospital,o indicador não é abastecido com esse número. Ou seja, é bem possível que esse registro esteja defasado , mas para baixo.

7 de dez de 2008

Sem Terra não é problema de meio ambiente

Oitocentas famílias foram selecionadas dentre 13 acampamentos do MST existentes no RS e serão assentadas em áreas desapropriadas pelo governo federal nos municípios de São Gabriel, Santa Margarida do Sul e Alegrete, na Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul. Ao contrário das lavouras de eucalipto da falida Aracruz , os assentamentos da reforma agrária trarão uma função social para às terras. Produzirão comida saudável para a população, movimentarão o comércio local e contribuirão no desenvolvimento social da população e da região. No dia 18 de dezembro, será realizado um ato público na fazenda Southall, em São Gabriel, para comemorar sua desapropriação e o assentamento das famílias. Assim como a fazenda Anonni, situada ao norte do Estado, a Southall será mais uma referência da reforma agrária para o país, colocando uma pedra no sapato daqueles que acham que os agriculores e agriculturas sem terra são um problema de meio ambiente, conforme afirmou Tarso Teixeira, presidente do Sindicato Rural de São Gabriel ao jornal Zero Hora deste Domingo (o7/12).

Eucaliptos, a Aracruz e o ouro de tolo

Provavelmente se a Aracruz tivesse adquirido a Fazenda Southall em São Gabriel, como já o fizera em dezenas de muncípios do RS — em muitos casos de forma ilegal e em nome de terceiro s em faixas de fronteira, conforme o próprio Incra denunciou — com o objetivo de plantar LAVOURAS DE EUCALIPTOS, a cidade estaria em maus lençóis neste momento. Segundo relato de vereadores e lideranças da região sul do Estado, a quebra da Aracruz teve efeito imediato naqueles municípios que apostaram nas forças do "mercado do eucalipto". Apavorados, sabem que a nova fábrica não sairá do "papel", portanto, haverá excesso de matéria prima para atual planta situada em Guaíba. O famoso O Horto Florestal da Fazenda Barba Negra, em Barra do Ribeiro (RS) — o mesmo ocupado por 2 mil mulheres da Via Campesina em março de 2006 — foi "desligado" e seus empregados demitidos. Aliás nenhuma crítica do meios de comunicação, nem mesmo um chiadinho dos arautos da grande mídia foi realizado sobre esse tema. Deveriam gritar, esbravejar, urrar contra o fechamento do horto, afinal tanto defenderam essa empresa aqui no RS. Além dos estragos sociais, econômicos e políticos também a política de meio ambiente foi afetada no estado, com a perseguição implacável de técnicos da Fepam que resistiram a determinação do governo Yeda de "liberar áreas " para a Aracruz plantar suas lavouras.

6 de dez de 2008

2,5 mil quilômetros sem pédágios em estradas boas

Acabo de receber a ligação de um caminhoneiro que está fazendo o trecho (Fortaleza - São Paulo - Porto Alegre - 4090 km ). Eu o questionei sobre a quantidade de pedágios que havia pago ao logo dos mais de 2 mil quilômetros de rodovia, ainda faltam 2 mil para chegar a Porto Alegre . Ele me disse "nenhum centavo" . Bom ! insisti ! Mas as estradas são péssimas ? "não ! melhores que as nossas". Não consigo imaginar às consequências a nossa população se a Assembléia Legislativa aprovar o projeto de Yeda de prorrogar por mais 15 anos os atuais contratos de pedágios. Se em 2,5 mil quilômetros não existe pedágio e as estradas estão boas,então deveríamos trafegar em verdadeiras auto-estradas de quatro pistas (um verdadeiro tapete).
"O POVO GAÚCHO É O MAIS POLITIZADO DO BRASIL."
Autor desconhecido

Déficit zero, insegurança 10

Segurança,câmeras,aaaaa.... A parte da ação deixa pra lá, conforme admitiu a Secretaria de Segurança (major Fernando Alberto Grillo Moreira, chefe do Centro Integrado de Operações da Segurança Pública-Ciosp), 19 das 48 câmeras da Capital precisam de manutenção (eufemismo para estragadas).
Se funcionassem, os assassinos do médico Marco Antonio Becker — mortona esquina da Rua Santo Antônio com a Avenida Cristóvão Colombo e na Rua Ramiro Barcelos com a Voluntários da Pátria — provavelmente já estariam identificados neste momento. O tema câmera de segurança foi exaustivamente debatido nas eleições municipais, mas como o assunto não foi aprofundado, nenhum compromisso do prefeito eleito foi efetivado. Aliás, o debate sobre o tema segurança pública foi pobre e profundo como uma poça.Durante dois anos o governo Yeda aprofundou o sucateamento da segurança pública e o prefeito Fogaça foi omisso em não exigir para os cidadãos de Porto Alegre o direito ao mínimo necessário na segurança pública de sua governadora. Agora, com mais um homícidio (são 154 ao mês), só que de uma alta figura da sociedade gaúcha, pode ser que o o governo Yeda resolva discursar menos sobre deficit e contas e trabalhar mais (aliás, trabalho muito bem pago). Yeda designou uma força tarefa para investigar o caso, provavelmente os gastos com essa decisão seja, no mínimo, o dobro do custo do que seria necessário para o conserto das câmeras.
E dos outros 154 homicídios (5 ao dia ) haverá força tarefa ?

5 de dez de 2008

blog De Olho no Pedágio


Já está no ar o blog De Olho no Pedágio, criado para dar transparência ao debate sobre a proposta do governo estadual de prorrogar o contrato dos pedágios. O blog é administrado pela assessoria de imprensa dos partidos de oposição na Assembléia Legislativa. Entre outras coisas, traz um placar com a opinião de cada parlamentar sobre o tema, com o fone e o endereço eletrônico de cada um, para que a população possa manifestar sua opinião aos parlamentares. O blog funcionará até o dia da votação do projeto na Assembléia Legislativa, prevista para o dia 16 de dezembro, caso o Executivo não reconsidere a matéria e retire a urgência na tramitação. Será, também, um espaço para manifestação de todos os que são contra o atual modelo de pedágios que o governo Yeda Crusius (PSDB) quer prorrogar. fonte : www.rsurgente.net

Dilmar Roussef lança Blog

Para quem ainda não sabe, à ministra Dilma Rousseff mãe, avó e tia do PAC, tem seu próprio Blog de discussão política: é o http://dilma13.blogspot.com/ . Para quem deseja conhecer a futura candidata do presidente Lula à presidência da república, é uma boa pedida. Quem posta os materiais é Daniel Pearl. Coicindência ! Daniel Pearl (o famoso) era jornalista, e repórter do jornal The Wall Street Journal. Foi raptado por um grupo de terroristas em Karachi no Paquistão. Daniel foi assassinado, esquartejado em 10 partes. Um vídeo foi gravado e, inclusive, na época, ficou disponível na internet.

TJM, a coisa é cabeluda, além da imaginação.

O arquivamento de uma ação no Tribunal de Justiça Militar, na qual teriam sido manipuladas provas em favor do então tenente-coronel Jorge Alfredo Pacheco de Barcelos, em um processo de prevaricação é mais profunda do que nós mortais podemos imaginar.
O caso (2004) envolveu um mega empresário gaúcho numa briga de transito em Porto Alegre. Num acesso de furia, em plena Nilo Peçanha, ele humilhou o outro condutor que se envolveu no acidente, que apavorado, chamou a polícia: dois brigadianos e o oficial major Sérgio Lemos Simões.
O empresário, (RB.. vamos chamá-lo assim) ligou diretamente para o alto comando da Secretaria de Justiça e Segurança, que determinou que um oficial "resolvesse" a situação (tenente-coronel Jorge Alfredo Pacheco de Barcelos)
O major que atendia a correncia além de humilhado pelo empresário foi "liberado" por seus superiores de cumprir seu dever de autuar o "player" . Inconformado, o major entrou com ação do TJM por prevaricação administrativa contra então tenente-coronel Jorge Alfredo Pacheco de Barcelos (responsável pela liberação de RB da corrência). O CNJ abriu um inquérito para investigar a condução do processo cuja decisão foi chancelada pelo vice-presidente do TJM, juiz-coronel Antonio Carlos Maciel Rodrigues, ex-comandante-geral da Brigada Militar. Se o julgamento do tribunal é político com está se vendo, será que também não há casos de perseguição política em outros casos, com condenações e punições ?

Mais detalhes ao longo do dia, aguaaaarrrrdemmmmm.