28 de dez de 2008

Gerdau e o discurso das elites


"... Enquanto as empresas se desdobram para evitar a tomada de decisões mais drásticas, o Congresso Nacional e o Poder Executivo praticamente seguem gastando como se nada estivesse acontecendo, como se existissem dois Brasis totalmente distintos..."
Esse é apenas um trecho do artigo "Dois Brasis" do PLAYER Jorge Gerdau Johannpeter, publicado em ZH Dominical (28). No início ele até dá uma vasilinada no Lula mas depois....Créooooo. Critica o aumento do gasto público federal com saúde,educação etc e a incremento do número de vereadores. Ah ! e ainda sobra para os Funcionários Públicos que na avaliação do "Dr.Jorge", não deveriam receber aumento de salário pois o momento é inadequado (claro ! tem que sobrar mais pra eles).
Esse cidadão é engraçado: suas empresas cresceram literalmente mamando incentivos fiscais (Fundopem) nas tetas do Estado (estadual, federal, intergaláctico) para logo em seguida "abrir" fábricas ou comprar usinas e laminadoras em outros países. Agora, quando a carruagem pega fogo e seus amigos especuladores quebram, ele usa o velho e surrado discurso da austeridade. O que nossa elite sempre soube fazer muito bem ao longo desses 500 anos de Brasil foi privatizar o lucro e socializar o prejuízo (e ainda continua). Realmente há dois Brasis, o dele e da sua elite - que pega jatinho pra jantar em Nova York - que sempre beneficiaram-se direta ou indiretamente ou para suas empresas com o dinheiro público e a do povão, que sempre paga a champanhota francesa da turma dos austeros e probros cidadãos de "bens". Se o senhor Gerdau diz que o caminho é outro, pode ter certeza: estamos no caminho certo.

Um comentário:

  1. Disse tudo, meu caro.
    Parabéns pelo blog.

    ResponderExcluir