7 de abr de 2009

MP e SEC recuam sobre escolas itinerantes

O promotor do MP, Gilberto Thums (ao fundo) foi duramente criticado na audiência
Em audiência pública, proposta pelo deputado Raul Pont, hoje (07), na Comissão de Educação, da Assembleia Legislativa, se discutiu o fim das escolas itinerantes por determinação do MP e da SEC, via TAC (Termo de Ajuste de Conduta). Ambas instituições, ao final da audiência, recuaram da decisão de acabar com as escolas (Será ???), e aceitaram rever suas posições (vamos ver se cumprem a palavra). As duas instituições também foram alvo de duras críticas dos educadores e dos parlamentares. A representante da SEC foi questionada pelo deputado Marcon (PT), se o governo, através da Secretaria de Educação aceitaria rever o tema. Ao responder, a representante afirmou que o governo estpá aberto para rediscutir a outra proposta. O próprio Conselho de Educação do RS afirmou na audiência que as escolas e a metodologia utilizada seguem as normas da SEC e o Ministério da Educação concluiu ser de extrema importância para o aprendizado dessas crianças a iniciativa das escolas itinerantes, principalmente por se tratar de escolas rurais. O que me parece é que esse movimento do MP é uma tentativa de "limpar um pouco a barra" diante de tamanho desgaste que a Instituição vem sofrendo, seja pelo posicionamento atrasado e conservador de alguns de seus membros, seja pelo não cumprimento efetivo da missão a que se destina: guardião da justiça e defesa da sociedade, toda a sociedade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário