19 de mai de 2009

Rindo à toa


Não entendi a felicidade do deputado Kalil Sehbe (PDT), na reunião que liberou sua bancada para assinar ou não o pedido de abertura de CPI. Talvez a sua assinatura, ou a falta dela no requerimento dará muita alegria à governadora Yeda e a turma do PMDB que já estavam apavorados com a abertura de uma Comissão Parlamentar. Essa turma vai longe..... Liberar a bancada foi a maneira que o PDT arranjou de lavar às mãos e deixar livres os deputados do PDT alinhados com às políticas de Yeda e contra a abertura da Comissão para investigar às denuncias de: caixa 2 da campanha da Yeda, a sua mansão, Detran (Atento) e licitações nas barragens. Os deputados que não assinam a CPI são: Gerson Burmann, Giovani Cherini e o risonho Kalil Sehbe.
Imagem: Guerreiro

2 comentários:

  1. Bah, que rumo tomou o PDT, hem? Aqui em Pelotas teve uma ala que apoiou o Fetter, do PP, contra o PT. Olha uma coisa é ser apoiado pela direita, como acontece com o governo Lula, outra é apoiar a direita, e pior ainda nesses casos suspeitos, como esses deputados do PDT tem feito. Eles que sejam coerentes e se desfiliem, que vão pra algum partido conservador, tipo o PTB ou o proprio PSDB. Lá eles serão bem vindos.

    ResponderExcluir
  2. Ladroagem não é política.
    Ladroagem, falcatruas, morte não são políticas.
    Quem está se alinhando, está se alinhando com outras coisas, não com políticas.

    ResponderExcluir