19 de jul de 2009

Morte cerebral

A sensação de que uma quadrilha tomou de assalto o governo do Estado, para mim é cada vez mais clara. Entendo ser a mesma sensação de ser assaltado por um policial fardado, pela impotência que a sociedade tem em resolver esse lamentável problema e que só pode ser resolvido daqui 15 meses. O principais partidos que dão sustentação a esse governo corrupto (PSDB, PP, PPS, PMDB, PTB, PDT) não largam o osso pois se o fizerem terão de abandonar centenas de cargos em comissão, e como todo mundo sabe, as eleições estão chegando. O caso Lied é o simbolo desse governo sem escrúpulos, assim como outras dezenas de casos já desbaratados pela Polícia Federal na Operação Rodin e na Operação Solidária. A mídia guapa tenta segurar o paciente (governo Yeda) vivo nos aparelhos dando de vez enquando algumas injeções do remédio Nova Fase no paciente vegetativo. O PMDB, partido com grande força no interior, tem como um de seus principais líderes, o deputado Federal Eliseu Padilha, outro envolvido até os ossos nos esquemas de corrupção e favorecimento de empreiteiras em obras públicas e outras cositas mais. O certo é que estamos no meio do ano e o governo Yeda já tem morte cerebral constatada, mantendo-se vivo apenas através dos aparelhos da grande mídia. O PT por sua vez tem a grande oportunidade de voltar a governar o RS desde que saia unido de seu encontro de hoje (19), que ocorre na Assembleia Legislativa. O 19 Encontro Extraordinário Adão Pretto, em homenagem ao deputado falecido em fevereiro deste ano. Lá é preciso encontrar a união de seus delegados em torno de um projeto, de uma coordenação ampla, da política que acolha ou deixe aberta às portas para seus históricos aliados e não somente em cima de nomes, pois se for assim, corre-se o risco de novamente o Estado continuar avançado rumo ao abismo por mais quatro anos.

Um comentário:

  1. Os partidos da base aliada não deixam o governo é porque estão envolvidos até a medula nas negociatas e nos esquemas de corrupção. Basta olhar o exemplo do PMDB do Padilha e do PP no DETRAN. Acredito que os CC's, e apenas alguns deles em posições estratégicas, são apenas instrumentos para operar esses esquemas, pois são cargos muito mal remunerados. Esse, por sinal, será um problema de qualquer governo sério que administre o RS. Não será fácil encontrar quadros políticos capazes e dispostos a sacrificar suas vidas profissionais e familiares recebendo remunerações aviltantes. Os corruptos sempre desmontam as estruturas do Estado, desvalorizam o funcionalismo e os agentes públicos, como forma deliberada de facilitar a apropriação do que é público por quadrilhas de verdadeiros predadores.

    ResponderExcluir