10 de ago de 2009

Um sabre para abrir champanhe


Recomendo a leitura do artigo "Um sabre para abrir champanhe. Como a identidade de um certo poder político pode trair o poder constitucional da legítima identidade política." de autoria de Antonio Cechin, irmão marista, militante dos movimentos sociais. Jacques Távora Alfonsin é advogado do MST e procurador do Estado do Rio Grande do Sul aposentado. A revelação pública de que um integrante do Tribunal Militar do Estado admite ser “conselheiro” da governadora, segundo confessa em reportagem da ZH de domingo, dia 02 de agosto, revela o que de mais cínico e hipócrita se esconde nos bastidores de exercício do poder político aqui no Rio Grande do Sul. Leia na íntegra clicando aqui

2 comentários:

  1. o machão que gosta de bater em cri
    anças e mulheres do MST alem de im
    becil é um grande irresponsável.dar
    uma espada de presente para a velha
    louca é a mesma coisa que dar uma
    corda para quem quer se enforcar.
    OLHA A FACA.ahahahahahhaha

    ResponderExcluir
  2. Esse sujeito não deveria estar trabalhando naquele horário, Deveria sim, mas como não tem qualificação deve ser mandado passear ou para casa. É duro ver um baba ovo como esse sujeito, recomendado pelo bandido Chico Fraga, virar magistrado de calças curtas. Este estado está mesmo virado numa merda. E há deputados ordinários que não querem acabar com este tribunalzinho de mentira feito para acomodar puxadores de saco e ou ovários.

    ResponderExcluir