25 de set de 2009

E por falar em buracos


Por falar em buracos em rodovias, naquela semana das chuvas andei por várias estradas estaduais e tive pena de quem precisa colocar seu veículo no trecho, pois eram tantos buracos que a única alternativa era desviar do maior e sentir o solavanco dos menores. Aliás, não entendo como nosso asfalto "brasileiro" (ahahaha) seja tão vagabundo que qualquer chuvinha as crateras reaparecem. Tem algum empreiteiro que possa me explicar ? (ahahahaha)

Na nossa Capital da mudança, mas para pior, se tivesse um ranking ou um buracódromo, para aferir a quantidade de buracos nas ruas, Porto Alegre, com certeza, estaria disputando a liderança desse campeonato. Além disso, ruas planas são transformadas em verdadeiras "olas" após a passagem das equipes de obras da prefeitura, que se encarregam de destruir o que estava em perfeitas condições. As ruas das vilas da cidade estão abandonadas e a buraqueira começa a tomar conta.

Outra vergonha é tal maquiagem que a prefeitura de Porto Alegre faz nas ruas e avenidas principais. Na rua Pinheiro Borda , zona sul da Capital, há umas 20 faixas de rolamento, todas de mentirinha. A gestão Fogaça criou uma nova forma de asfaltar: pinta uma nova faixa e sobre a existente passa uma mãos de tinta preta que com a primeira chuva reaparece. O resultado é que quando se acessa a rua não se sabe exatamente qual pista se deve pegar, pois a faixa antiga e a nova se misturam. Pelo que sei, esse tipo de pintura é ilegal e acho que se alguém se sentir prejudicado por essa confusão deve entrar na justiça.

Nenhum comentário:

Postar um comentário