9 de fev de 2010

Marcon cobra explicações sobre o apagão elétrico no RS e exige explicações sobre a omissão das concessionárias e da Agergs



O presidente da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia Legislativa criticou, na sessão plenária desta terça-feira (9), a lentidão da CEEE e da AES SUL no restabelecimento da energia elétrica nos municípios atingidos por temporais na última quinta-feira (4). Segundo Dionilso Marco (PT), há localidades em que o fornecimento ainda não foi normalizado. “É um completo descaso com a população e um sinal de que não há investimentos nesta área. Tanto a CEEE quanto a AES SUL não têm mão-de-obra suficiente para dar conta da manutenção e do conserto da rede nas situações de emergência”, denunciou.

O petista pretende pautar o tema na CCDH. Sua intenção é promover uma audiência pública com a participação de representantes das empresas de energia elétrica, do Ministério Público, dos consumidores e da Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados no Rio Grande do Sul (Agergs). “Os responsáveis pelo desabastecimento devem explicações à população. Além disso, devem dizer como pretendem enfrentar outros temporais”, frisou.

Segundo o parlamentar, a Agergs, que deveria defender os interesses dos usuários, lavou as mãos. “A agência reguladora deveria descer do muro e ser mais firme na defesa dos consumidores gaúchos”, disse.

Marcon denunciou, ainda, a precariedade do atendimento das empresas ao consumidor. “O 0800 não atendia. E quando atendia, o funcionário não sabia o que dizer à população”, revelou.

O petista defendeu também a indenização dos consumidores que tiveram prejuízos por conta do desabastecimento de energia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário