2 de abr de 2010

Combate a Desigualdade Social, o MST e a reforma agrária no Brasil

Nesta segunda-feira, dia 05 de Abril, haverá o lançamento do livro Combate a Desigualdade Social, o MST e a reforma agrária no Brasil. O ato ocorrerá às 19 horas, no plenarinho da Assembleia Legislativa. O material foi organizado pelo cientista político Miguel Carter, que é pesquisador e professor da American University, em Washington, DC. O livro tem o apoio do Núcleo de Estudos Agrários e Desenvolvimento Rural - NEAD, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra - MST, da Comissão Pastoral da Terra – CPT e do presidente da Comissão de Cidadania e Direitos Humanos da Assembleia, deputado Dionilso Marcon (PT).

A defesa da reforma agrária no país, leia-se agricultura familiar, também é defendida pelo Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), orgão Federal que coleta e produz estatísticas. Segundo o Ipea, ampliar a reforma agrária e aumentar os investimentos na agricultura familiar são formas de reduzir as desigualdades sociais e econômicas no campo. O inédito Censo da Agricultura Familiar também aponta para o mesmo caminho, e vai mais longe ao identificar que mesmo usando apenas 24 % da área do país, a agricultura familiar responde pela maior parte da produção de alimentos, equanto que o agronegócio, com mais de dois terços da área das terras brasileiras, pouco ou quase nada contribui para a alimentação do trabalhador brasileiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário