12 de abr de 2010

Cotiporã precisa de asfalto


No sábado, por compromissos profissionais, tentei continuar a subir a serra pela rodovia 470 que liga Bento Golçalves a Veranópolis, Vila Flores e Nova Prata. No entanto, não me foi possível seguir por essa importante ligação asfáltica. Esta ficou interditada por 27 horas, eu disse 27 horas, devido a um acidente ocorrido com um caminhão que levava carga tóxica (metanol), fazendo com que centenas de carros, caminhões e motos seguissem a única alternativa existente: seguir pelo interior de Bento Gonçalves via distrito de Faria Lemos indo ao município de Cotiporã. Ocorre que o trecho entre esse município e Bento Gonçalves, lamentavelmente, não possui acesso asfáltico por cerca de 12 quilômetros. Era um mar de poeira e a sorte que a estrada estava boa, mas precisa de asfalto urgente. O local é uma grande alternativa de transporte viário para vários municípios da região serrana, além de possuir cenários maravilhosos cercada de vales e montanhas.

Entendo que as comunidades de Cotiporã, Veranópolis e Bento Gonçalves deveriam se unir com o objetivo de buscar dos governo Estadual o acesso asfáltico para esse município, pois, com certeza, acarretará em benefícios para a indústria, comércio e com certeza o turismo.

Um comentário:

  1. O Rio Grande do Sul perde para Santa Catarina e Paraná nesse quesito e tem várias sedes municipais sem ligação asfáltica, o que determina maior subdesenvolvimento de várias regiões.
    Yeda iria passar a mão nos poupados dos servidores, no dinheiro guardado para os precatórios do IPE para fazer essas ligações.
    O povo gaúcho, que repetidamente vota em Rigottos, Britos e yedas, portanto de maneira geral, concordaria com mais essa espetada nos servidores.
    Ocorre histórico dela permite se inferir que desfalcará o IPE sem concluir nada. Já se passaram 3/12 avos do ano, é mais provável que o dinheiro já tenha sido gasto.

    ResponderExcluir