4 de abr de 2010

Nem sabão de glicerina é neutro nessa terra

Quem aqui já não brincou numa festa de amigo secreto e ao falar sobre ele diz tudo ao contrário das caracteristicas pessoais do presenteado até que os participantes descubram o seu nome ? Pois bem, é mais ou menos assim que ocorre na nossa querida mídia nacional e guasca. Hoje (04/03), na pagina 11 o grupo RBS lançou o editorial "Compromisso com a Transparência" onde o grupo orienta seus colaboradores e avisa seus eleitores do seu compromisso com a [....neutralidade perseguida pelo Grupo na cobertura de uma eleição....], além de publicar "Normas para a cobertura eleitoral".

Ocorre que aqui nessa terra nem sabão de glicerina é neutro, muito menos um grupo de mídia com tentáculos e intéresses financeiros, tanto na iniciativa privada, quanto na esfera pública, por interesses em projetos, legislação e longooss financiamentos s dos governos Federal e e Estadual. O grupo Gávea investimentos, por exemplo, é um dos sócios do grupo RBS, e tem como um dos seus maiores acionistas o senhor Armínio Fraga (ex-presidente do Banco Central de FHC), assim como tem no Conselho de adminsitração do grupo o senhor Pedro Parente, membro destacado do governo Fernando Henrique, primeiro como ministro-chefe da Casa Civil e, no final do segundo mandato, como comandante do ministério do apagão.

Sobre a "cobertura" ser isenta, isso nem precisaria escrever, deveria ser uma obrigação, mas chama a atenção que já página ao lado "coincidentemente" há um artigo do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso com o título "Hora de união" , em que FHC rechea os parágrafos com testes desabonadoras para Dilma Rousseff, dando a entender que será autoritária e que o partido terá o controle do Estado. Ao final, FHC chama voto para Serra e a união das oposições (?????) para: [....conduzir-nos para uma vitória que nos dê esperança de dias melhores. Tenho certeza de que não nos decepcionarão.]

Bem ! Se esse artigo não é propaganda eleitoral antecipada então eu não sei o que isso significa. O grupo se resguarda da propoganda escamoteada no artigo de FHC no último item de suas normas internas: 15) Durante o período eleitoral (5 de julho a 31 de outubro de 2010), os veículos da RBS devem se abster de publicar artigos que caracterizem propaganda de candidatos ou partidos.

Enquanto 5 de julho não vem FHC pode fazer propaganda para Serra e pregando a união da tal oposição (PIG+DEMOS+PSDB+PFL) nos editoriais que publica mensalmente nos grandes-pequenos jornais nacionais.

Eta transparência embaçada a dessa turma do PIG

Um comentário:

  1. RBS neutra? E os "investimentos" do MAIOJAMA! A compra da CRT e tudo que seja do governo, após fazer ficar inviável e a preço de banana. Mas o importante é o estado mínimo para não se pagar imposto. Se o estado cai no IDH, participação no PIB, educação e importância econômica, nível de segurança, os NEUTROS já diagnosticaram é o CRACK...

    ResponderExcluir