17 de mai de 2010

Ganância sem limites

Eu gosto muito de conversar com pessoas que exercem profissões diferentes da minha, e que vivem um outro dia-a-dia. No sábado, conversei longamente com um caminhoneiro de Taquari e fiquei impressionado pelo alto nível de politização daquele cidadão. Além de abrir voto para Dilma e defender as políticas sociais do governo Lula, o motorista desabafou: disse que não aguenta mais pagar tanto pedágio e receber em troca péssimas estradas.

Ele também reclamou de uma suposta industria de multas nas estradas estaduais e da fiscalização arrogante(draconiana) desses patrulheiros. Ele lamentou também que nós gaúchos estamos ardilosamente cercados pelas praças de pedágios, que cobram valores exorbitantes e em troca nos oferecem vias simples, esburacadas e mal conservadas. O motorista também alerta que a influência tucana também ultrapassa as fronteiras do Mampituba e, assim como nós gaúchos, os paulistas também já estão cercados de pedágios .

Quando o assunto é governo estadual o motorista sai do chão (ahahahha) ao esbravejar a cara de pau da governadora Yeda, que propôs antecipar a concessão desses verdadeiros caça-níqueis em nossas estradas por mais 15 anos. Segundo ele, um caminhão não paga menos de R$ 400 reais em pedágios se a carga cruzar de Norte a Sul o RS. Faça o calculo ! quantos caminhões fazem esse trajeto diariamente ? Um carro de passeio , por exemplo, que precisa entrar e sair de Caxias paga diariamente R$ 12 reais (carro de passeio); quem anda pela BR386 desembolsa R$ 48 reais num veículo comum , e da mesma forma para quem vai para a Zona Sul do Estado ou sai da Capital.

Segundo o motorista a ganância dessa gente não tem limites.

2 comentários:

  1. A ganância tem limites, sim. Ou teria, se não fôssemos todos tão frouxos, tão hipócritas, que nunca nos atrevemos nem um passo além do cinismo. Se a esquerda não tivesse se entregue tão visceralmente à institucionalidade (fisiologismo?), teriamos mais frentes de combate como os hermanos, ou como a Via sabe combater. Não joguemos nos tubarões a culpa pela nossa passividade diante de tanta calhordices.

    ResponderExcluir
  2. A ganância vai ter que ter limites,sim, nem que seja num dia longínquo. Ou talvez, quando a humanindade se dê conta disso, já seja tarde demais. Para isso, como disse o "Carluxo" depende de nós, da nossa consciência e ação. Bjjj.

    ResponderExcluir