5 de fev de 2011

Prouni: bolsistas pagam para comprovarem que são pobres

Todos nós sabemos que há muita gente safada querendo aplicar o golpe em instituições públicas, e que todas as esferas de governo devem se precaver. No entanto, na minha opinião, a lista de documentos que o governo federal exige dos bolsistas do Prouni, uma espécie de comprovação de pobreza, deveria ser no mínimo ressarcida, devido ao enorme custo das negativas e da quantidade de documentos exigidos. Aliás, o governo tem a obrigação de saber se o contribuinte tem ou não condições financeiras de custear a sua faculdade. Quando fiz a minha faculdade também foi bolsista de uma instituição privada, e a quantidade de documentos que me exigiam semestralmente também eram absurdos, mas como assinava uma promissória ficava tudo bem, ainda mais porque tinha um fiador, e ficava tudo bem pra eles (aahahahhahahhahha).

Entendo que o governo tem a obrigação de custear toda e qualquer despeza da pessoa que foi selecionada, afinal, se a pessoal necessita, ela não tem condições de pagar num tacada só o volume de negativas e de cópias que o MEC exige, que segundo relato de alguns estudantes chegam a (R$ 200,00). 

O processo que o MEC faz está correto, mas não é o bolsista que tem que pagar essa batelada de documentos. O Estado tem mecanismos para comprovar a situação financeira e tributária de seus cidadãos e não precisa encher ainda mais os bolsos dos donos de cartórios.

Confira abaixo a lista exigida:

http://www.ulbra.br/novo-comuns/files/comprovacao-de-informacoes-prouni2011-1.pdf

Um comentário:

  1. Bom no meu caso eu devo ter gasto uns 3 Reais com cópias e mais 7 reais com a autentificação de dois documentos no cartório, ao todo gastei 10 reais. Se eu tivesse que ter desembolsado 200 reais esse mês, teria complicado minha vida.

    ResponderExcluir