21 de dez de 2008

Yeda, a mulher de Fases

Disposta a desatolar o governo Yeda, ZH dominical (21) descarrega mais uma vez o seu mantra sobre a "nova fase" do governo Yeda. A Yeda arrogante, prepotente que mandava baixar o cassetete em professores e agricultores agora "não se furta a tirar os sapatos para caminhar num rio, posar ao lado do Papai Noel na abertura das festividades natalinas ou mesmo andar de ônibus. No campo das ações de governo, surpreendeu até a oposição ao deixar de lado uma batalha dura em torno da prorrogação das concessões de pedágios, contrariando seu histórico de persistência."
Bem ! vejamos ! A primeira fase de Yeda foi quando antes mesmo de assumir, jogou seu discurso no lixo e exigiu de seus aliados do PMDB que propusesse o aumento de impostos. Sua base na Assembléia rachou e deputados que assumiriam como secretários saltaran como sapo em água quente; A segunda Fase foi a total ausência do Estado em suas obrigações com a saúde, a educação, a segurança pública e com a continuidade de obras e projetos já em andamento. O exemplo cabal disso foi a quebradeira de empresários do eixo da Baltazar (zona norte de Porto Alegre); A terceira fase foi a privatização à moda Britto do Banrisul, isso que ela chegou a vestir jaqueta do banco e promentendo não vender o patrimônio; A quarta fase foi a que o governo se atirou nos braços das papeleiras (Aracruz), passando por cima de leis federais e dos técnicos da Fepam para que a zonal sul do estado tivesse as lavouras de eucaliptos e uma nova fábrica que geraria milhares de empregos (a papeleira quebrou e a fábrica não vem). Em outros países e até mesmo em outros estados esse mesmo projeto devastou o meio ambiente, transformando rios e fontes e pedaços secos de terra; A quinta fase foi a da corrupção em seu governo, culminando na CPI do Detran, derivada da operação Rodin da Policia Federal. Alí ficou exposto o centro de governo e as falcatruas praticadas por seus membros e de seus aliados. A sexta fase foi a da compra da sua casa, (perguntem a um corretor de imóveis em Porto Alegre quanto é que vale a residência naquele local e estamos devidamente conversados). A sétima Fase foi a da proposta de natal turbinado às concessionárias com a iniciativa de prorrogar por mais 15 anos os atuais contratos. No meio disso tudo, cairam mais de uma dezena de secretários, a PF já abriu novas ramificações de investigações sobre fraude em licitações em Canoas (PSDB) que vai de estradas até merenda escolar. Realmente, Yeda é uma mulher de fases e o futuro nos espera para mais uma, qual será ?

Um comentário:

  1. Ary da Silva Martini22 de dezembro de 2008 15:08

    O fabricante do "sapato do Bush" precisou contratar mais 100funcionários, pois recebeu 370 mil novos pedidos. Fico a imaginar se o "OG Mandino Guasca" - o então governador Britto, tivesse levado uma sapatada a indústria calçadista gaúcha teria sido salva. Nesses tempos mais modernos - mas, atrasados -, o que será preciso atirar na governadora Casanova a fim de se evitar a quebradeira do Rio Pequeno do Sul? Um apagador? Uma vaca? Gás lacrimogêneo? O MendeSS? Uma bobina de papel? Uma tora de eucalipto? Um passat? Uma CNH? Um lavabo? Uma garrafa de champagne? O livro do Busatto? A Marizona? O Lair? Um chopp sem colarinho? Uma cancela? O Dr. Feijó? Uma cueca usada, do Chico? Um pneu? Uma ferradura? Uma urna? Digam aí!!!!

    ResponderExcluir