20 de jan de 2009

Alianças: o PT mostra sua cara

Duas situações políticas recentes mostraram que o PT não perdeu a sua identidade, ao contrário. A primeira foi o documento que o PT Nacional deliberou em defesa do povo Palestino, contra a política genocída do Estado de Israel na Faixa de Gaza. A segunda foi da militância e do PT gaúcho, que se rebelou contra a decisão do prefeito de Canoas Jairo Jorge, que indicou Busatto na condição de secretário. Indicação que apontaria para uma futura e ampla aliança para o governo do Estado.
Que o PT necessita construir uma grande e duradoura aliança para voltar a disputar e vencer todos sabemos, no entanto, isso não quer dizer que o partido deva submeter seu programa aos interesesses de alguns caciques petistas. Para construir um novo bloco político que dê sustentação a um governo não significa que o Partido dos Trabalhadores tenha que abrir mãos da sua história e de seu programa partidário. Cézar Busatto representa, simbólicamente, justamente tudo o que o PT combateu na última década aqui no RS. Busatto ajudou a construir com Antônio Britto (esse se deu bem) às privatizações, a venda do patrimônio público, o Estado mínimo, os PDVs, e neoliberalismo como forma de governo. Recentemente Busatto foi engolfado pelo Tsunami de lama que envolveu o governo Yeda ao revelar os dutos que drenan o dinheiro público para as campanhas do PP e do PMDB. O deputado Nelson Proença (PPS) afirmou em entrevista que lamentava a posição do PT e disse que teve que "esquecer" do PT do Mensalão e do Valérioduto para compor alianças. No entanto, a militância petista não esqueceu e sempre é cobrada pelo episódio que serviu como passaporte para que o partido fosse nivelado por baixo e colocado na vala comum dos esquemas de campanha dos partidos. A mídia e a oposição se fartaram em desconstruir a imagem do PT como um partido que sempre lutou pela ética na política, contra a corrupção e pelas grandes mobilizações pelas conquistas sociais. O PT mostrou novamente sua verdadeira face , fez um gol de placa ao defender o seu programa e a sua identidade. O prefeito Jairo Jorge se elegeu porque pertence a uma sigla partidária que lhe dá sustenção política e contou com a militância petista e com a história do seu partido para fazer às mudanças necessárias em Canoas, pois, caso contrário, a população canoense teria deixado os mesmos que há anos tratam o erário público com se fosse dinheiro privado. Parabéns PT !

Nenhum comentário:

Postar um comentário